Qualidade do tomate de mesa em função da época de colheita

As perdas na cadeia produtiva do tomate de mesa iniciam-se no campo durante a colheita, a qual ocorre por cerca de dois meses. No inicio da colheita frutos concentram-se na parte basal da planta, posteriormente na região mediana e finalizam na parte superior. Frutos durante o período de colheita apresentam alterações quanto ao diâmetro e estádio de maturidade. O objetivo deste trabalho foi avaliar o efeito do manuseio durante a colheita na qualidade do tomate de mesa, cultivar 'Fanny' após 15, 30 e 45 dias, depois de iniciada a colheita. Tomates foram colhidos no sistema tradicional, utilizando-se de uma cesta de bambu e transferidos para caixas plásticas. Foi realizada uma classificação para o estádio de maturação e diâmetro e avaliação para danos físicos e defeitos externos nos frutos colhidos. O tempo necessário para colheita foi mensurado. Para avaliação da qualidade dos frutos foram considerados: perda de peso (%), incidência de danos físicos (%) originados no processo de colheita e originados em campo. Estes resultados foram relacionados à qualidade final dos frutos após armazenagem por 21 dias. A mesma metodologia foi utilizada nas três diferentes épocas. Os maiores valores em danos físicos (%) obtidos na etapa de colheita foram na segunda época, juntamente com um maior tempo para realização desta colheita. Nas três épocas, frutos não submetidos ao manuseio apresentaram menor perda de peso. Após armazenamento por 21 dias, frutos obtidos na segunda época demonstram maiores perdas devido a danos físicos do que as demais épocas.

Lycopersicon esculentum; perdas; pós-colheita; danos físicos


São Paulo - Escola Superior de Agricultura "Luiz de Queiroz" USP/ESALQ - Scientia Agricola, Av. Pádua Dias, 11, 13418-900 Piracicaba SP Brazil, Tel.: +55 19 3429-4401 / 3429-4486, Fax: +55 19 3429-4401 - Piracicaba - SP - Brazil
E-mail: scientia@usp.br