Jurupari se suicidou?: notas para investigação do suicídio no contexto indígena1 1 Este trabalho encontra-se vinculado ao projeto Saúde e Condições de Vida de Povos Indígenas na Amazônia PRONEX/FAPEAM/CNPq, e conta com suporte financeiro do Instituto Brasil Plural (IBP).

Maximiliano Loiola Ponte de Souza Luciane Ouriques Ferreira Sobre os autores

No Brasil, há indícios de que alguns povos indígenas apresentam taxas de mortalidade por suicídio significativamente superiores às taxas nacionais e regionais. Por outro lado, evidências apontam para as dificuldades de se transpor categorias biomédicas ao contexto das sociedades indígenas, tendo em vista que estes se valem de referenciais simbólicos particulares para compreender o processo saúde-doença e a morte. O objetivo deste artigo foi refletir sobre as dificuldades para utilização do conceito de suicídio no contexto indígena, ponto crucial para abordagem deste tema através de uma perspectiva menos etnocêntrica. O caminho proposto para tal foi o de se recorrer ao chamado “estranhamento antropológico” do conceito biomédico de suicídio. Para tanto, nós fizemos a análise do mito do Jurupari amplamente difundido entre os povos indígenas da região do Alto Rio Negro, utilizando três perguntas norteadoras: Jurupari queria morrer?; Jurupari morreu?; Quem matou Jurupari? Para responder estas perguntas, recorreu-se a informações etnográficas sobre suicídio entre povos indígenas brasileiros. Através da análise realizada, demonstraram-se as dificuldades de transposição do conceito biomédico de suicídio para o contexto indígena. Isto foi feito na medida em que evidenciamos: 1) a amplificação das dificuldades de se falar de intencionalidade no contexto indígena; 2) as diferentes concepções indígenas sobre morte e morrer; 3) a complexa correlação entre suicídio e homicídio nos sistemas etiológicos nativos. Por fim, apresentaram-se, mesmo que de forma preliminar, algumas eventuais dificuldades como possíveis caminhos para abordagem do suicídio indígena, tanto por meio de estratégias qualitativas como quantitativas.

Suicídio; População Indígena; Interdisciplinaridade


Faculdade de Saúde Pública, Universidade de São Paulo. Associação Paulista de Saúde Pública. Av. dr. Arnaldo, 715, Prédio da Biblioteca, 2º andar sala 2, 01246-904 São Paulo - SP - Brasil, Tel./Fax: +55 11 3061-7880 - São Paulo - SP - Brazil
E-mail: saudesoc@usp.br
Accessibility / Report Error