Suporte domiciliar intensivo para crises em saúde mental: experiência da equipe de crise territorial de Trieste - Itália

Rossana Maria Seabra Sade Serena Goljevscek Clarissa Mendonça Corradi-Webster Sobre os autores

Resumo

O manejo precoce da crise em saúde mental é importante para bom prognóstico e adesão ao tratamento. São propostas experiências para atender situações de crise em domicílio, com objetivo de diminuir internações, doses de medicamentos e aumentar satisfação com o atendimento. Conhecer experiências de cuidado domiciliar em crises em saúde mental pode auxiliar gestores e profissionais na proposição de práticas inovadoras. O objetivo deste artigo é descrever a experiência de Trieste, na Itália, que implementou o serviço de equipe de crise domiciliar. O trabalho é realizado em quatro fases: aplicação dos critérios de inclusão no tratamento da equipe de crise; avaliação inicial; co-construção do plano terapêutico; alta e transição para outros serviços. Em um ano a equipe fez 124 avaliações e admitiu 59 pessoas. Em relação aos sintomas psiquiátricos, observou-se, no momento de alta, melhora significativa em 93% das pessoas. Quanto ao funcionamento global, houve melhora significativa em 81%. Os dados apontam uma redução de internações compulsórias de 29,4% no primeiro semestre de 2018 e de 78,8% no segundo, comparado a 2017. A equipe de crise em domicílio cumpre seus objetivos de cuidar do indivíduo em sofrimento de modo holístico, diminuindo o contato com hospitais.

Palavras-chave:
Saúde Mental; Crise; Atendimento Domiciliar

Faculdade de Saúde Pública, Universidade de São Paulo. Associação Paulista de Saúde Pública. Av. dr. Arnaldo, 715, Prédio da Biblioteca, 2º andar sala 2, 01246-904 São Paulo - SP - Brasil, Tel./Fax: +55 11 3061-7880 - São Paulo - SP - Brazil
E-mail: saudesoc@usp.br
Accessibility / Report Error