Accessibility / Report Error

Conjugalidades múltiplas nas travestilidades e transexualidades: uma revisão a partir da abordagem sistêmica e da psicologia social

Transvestites and transsexual multiple conjugalities: a systemic and social psychology review

Resumos

O objetivo deste artigo é realizar uma revisão da literatura brasileira sobre as conjugalidades nas experiências de travestis e de homens e mulheres transexuais. Os resultados dos oito trabalhos encontrados indicam um número variado de nomenclaturas dessas parcerias, com uma aparente fusão emocional conjugal, que funciona como mantenedora das identidades de gênero das/os participantes. Entretanto, encontram-se respostas criativas, que permitem a quebra do efeito halo entre identidade de gênero e desejo sexual, conduzindo à autonomia identitária e ao prazer.

Pessoas transgênero; Identidade de gênero; Transexualidade; Travesti; Estado conjugal; Sexualidade


The goal of this article was to perform a Brazilian literature review in relation to the conjugalities in the experiences of transvestites and transsexual men and women. The results of the eight papers found show a variety of forms to denominate these partnerships, with an apparent conjugal emotional fusion that works as a maintainer the participants' gender identities. However, there are creative responses that allow an interruption in the halo effect between gender identity and sexual desire and lead to identity autonomy and to pleasure.

Transgender people; Gender identity; Transsexuality; Transvestite; Conjugal status; Relationship; Sexuality


  • ANTON, I. C. O casal diante do espelho Psicoterapia de casal, teoria e técnica. Porto Alegre: Casa do psicólogo, 2009.
  • ARAUJO, M. F. Amor, casamento e sexualidade: velhas e novas configurações. Psicologia Ciência e Profissão, Brasília, v. 22, n.2, p. 70-77, 2002
  • BARBOSA, B. C. Nomes e Diferenças: uma etnografia dos usos das categorias travesti e transexual 2010. Dissertação (Mestrado em Antropologia). – Universidade de São Paulo: São Paulo.
  • BOWEN, M. Family Therapy in Clinical Practice Washington: Rowman & Littlefield, 1992.
  • BRASIL. Relatório sobre Violência Homofóbica no Brasil: o ano de 2011. Disponível em <http://www.ajuris.org.br/tmp/impr/relatoriohomofobia.pdf>. Acesso em: 03 out. 2012.
  • BUTLER, J. Problemas de Gênero 4. ed. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2012.
  • CARDOZO, F. Performatividades de gênero, performatividades de parentesco: notas de um estudo com travestis e suas famílias na cidade de Florianópolis. In GROSSI, M; UZIEL, A. P.; MELLO, L. (org). Conjugalidades, Parentalidades e identidades lésbicas, gays e travestis Florianópolis: Garamond, 2007.
  • FÉRES-CARNEIRO, T. A escolha amorosa e interação conjugal na heterossexualidade e na homossexualidade. Psicologia Reflexão e Crítica, Porto Alegre, v. .10, n. 2, 1997, p. 351-386.
  • GALLI, R. A. Roteiros sexuais de transexuais e travestis e seus modos de envolvimento sexual-afetivo 2013, Dissertação (Mestrado em Psicologia). – Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras de Ribeirão preto. Ribeirão Preto.
  • KULICK, D. Travesti: prostituição, sexo, gênero e cultura no Brasil Rio de Janeiro: Editora Fiocruz, 2008.
  • LEITE JUNIOR, J. "Nossos Corpos Também Mudam": sexo, gênero e a invenção das categorias "travesti" e "transexual" no discurso médico científico. São Paulo: Anablume, 2011.
  • NERY, J. Viagem Solitária: memórias de um transexual trinta anos depois. São Paulo: Leya, 2011.
  • NICHOLS, M.; SCHARTZ, R. Terapia familiar: conceitos e métodos. 2. ed. Porto Alegre: Artmed, 2007.
  • ORNAT, M. J. Território da Prostituição e Instituição do ser Travesti em Ponta Grossa – PR. 2008. Dissertação (Mestrado em Gestão do Território). Universidade Estadual de Ponta Grossa. Rio de Janeiro.
  • PELÚCIO, L. Três casamentos e algumas reflexões: notas sobre conjugalidade envolvendo travestis que se prostituem. Estudos Feministas, Florianópolis, v.14, n.2, 2006, p. 522-534.
  • ______. Abjeção e desejo: uma etnografia travesti sobre o modelo preventivo de aids São Paulo: Annablume: Fapesp, 2009.
  • RICH, A. Heterossexualidade compulsória e existência lésbica. Bagoas, Natal, n. 5, 2010, p. 17-44.
  • RIOS, J. A. Los ciclos vitales de la familia y la pareja Madrid: Editorial CCS, 2005.
  • SEFFNER, F.; MÜLLER, M. Quem ama sofre, quem sofre luta, quem luta vence: da conjugalidade entre travestis e seus maridos. Sociedade e Cultura, Goiânia, v. 15, n. 2, 2012, p. 285-295.
  • THORNDIKE, E. Educational Psychology Westport, Conn.: Greenwood Press, 1970.
  • VASCONCELLOS, M. J. E. Pensamento Sistêmico. O novo paradigma da ciência 9.ed. Campinas: Papirus, 2002.
  • WAGNER, A. Como se perpetua a família?: a transmissão dos modelos familiares Porto Alegre: EDIPUCRS, 2005.

Datas de Publicação

  • Publicação nesta coleção
    31 Jan 2014
  • Data do Fascículo
    Set 2013

Histórico

  • Recebido
    Nov 2013
  • Aceito
    Dez 2013
Centro Brasileiro de Estudos de Saúde Av. Brasil, 4036, sala 802, 21040-361 Rio de Janeiro - RJ Brasil, Tel. 55 21-3882-9140, Fax.55 21-2260-3782 - Rio de Janeiro - RJ - Brazil
E-mail: revista@saudeemdebate.org.br