A inserção feminina no mercado de trabalho e suas implicações para os hábitos alimentares da mulher e de sua família

The women insertion in the labour market and its implications for the food habits of women and their families

Resumos

Este estudo analisou os hábitos alimentares de mulheres inseridas no mercado de trabalho formal e de suas famílias. A pesquisa foi realizada na cidade de Viçosa/MG. A amostra foi de 101 mulheres. Os dados foram obtidos através de uma entrevista fundamentada em um roteiro semiestruturado. O estudo permite concluir que qualquer mudança na família, tal como a atividade remunerada exercida pela mulher, produz um remanejamento de funções. Os hábitos alimentares, apesar de sofrerem influência da atividade remunerada exercida pela mulher, não são totalmente diferenciados dos hábitos das donas de casa quando se analisa a inserção feminina no mercado de trabalho.

Mulheres; Trabalho feminino; Hábitos alimentares


The study analyzed the eating habits of women included in the formal labor market and their families. The survey was conducted in Viçosa, Minas Gerais, using a sample of 101 women. Data were collected through a semi-structured interview. It was concluded that any change in the family, as for example the paid activity performed by the wife, produces a redistribution of the functions. Eating habits, despite being influenced by the paid activity performed by women, are not fully differentiated from the habits of housewives when it is regarded the inclusion of women in the labor market.

Women; Working women; Eating habits


  • AQUINO, R. C.; PHILIPP, S. T. Consumo infantil de alimentos industrializados e renda familiar na cidade de São Paulo. Revista de Saúde Pública, São Paulo, v.36, n.6, p. 655-660, 2002.
  • DAMIANO TEIXEIRA, K. M. A administração de recursos na família: Quem? Como? Por quê? Para quê? Viçosa: Editora UFV, 2005. 94p.
  • FONSECA, A.B. et al. Modernidade alimentar e consumo de alimentos: contribuições sócio-antropológicas para a pesquisa em nutrição. Ciência & Saúde Coletiva, Rio de Janeiro, v.16, n 9, p. 3853-3862, set. 2011.
  • GARCIA, R. W. D. Práticas e comportamento alimentar no meio urbano: um estudo no centro da cidade de São Paulo. Cadernos de Saúde Pública, Rio de Janeiro, v.13, n.3, p. 455-467, jul./set. 1997.
  • INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA (IBGE). Cidades@. Rio de Janeiro: IBGE, 2011. Disponível em: <http://www.ibge.gov.br/cidadesat/topwindow.htm?1>. Acesso em: 19 jul. 2011.
  • ______. Síntese de Indicadores Sociais: uma análise das condições de vida da população brasileira. Rio de Janeiro: IBGE, 2008. Disponível em: <http://www.ibge.gov.br/home/estatistica/populacao/condicaodevida/indicadoresminimos/sinteseindicsociais2008/indic_sociais2008.pdf>. Acesso em: 4 fev. 2012.
  • JOMORI, M. M.; PROENÇA, R. P. C.; CALVO, M. C. Escolha alimentar: a questão de gênero no contexto da alimentação fora de casa. Caderno Espaço Feminino, v.19, n.1, p. 369-384, jan./jul. 2008.
  • LAMBERT, J. L. et al As principais evoluções dos comportamentos alimentares: o caso da França. Revista de Nutrição, Campinas, v.18, n. 5, p. 577-591, out. 2005.
  • PINHEIRO, A. R. O. A alimentação saudável e a promoção da saúde no contexto da segurança alimentar e nutricional. Saúde em Debate, Rio de Janeiro, v. 29, n. 70, p. 125-139, 2005.
  • RIBEIRO, M. M. C. et al. Impacto do hábito de jantar sobre o perfil dietético de pacientes em hemodiálise. Jornal Brasileiro de Nefrologia, São Paulo, v.33, n.1, p. 69-77, 2011.
  • RODRIGUES, F. S.; SABES, J. J. S. A percepção do consumidor de alimentos "fora de casa": um estudo multicaso na cidade de Campo Grande/MS. Caderno de Administração, Bauru, v. 14, n.2, p. 37-45, 2006.
  • ROSSI, A.; MOREIRA, E. A.M.; RAUEN, M.S. Determinantes do comportamento alimentar: uma revisão com enfoque na família. Revista de Nutrição, Campinas, v.21, n.6, p. 739-748, nov./dez. 2008.
  • SCHLINDWEIN, M. M. Influência do custo de oportunidade do tempo da mulher sobre o padrão de consumo alimentar das famílias brasileiras 2006. 119 p. Tese (Doutorado em Ciências) - Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz, Universidade de São Paulo, Piracicaba, 2006.
  • SCHLINDWEIN, M. M.; KASSOUF, A. L. Influência do custo de oportunidade do tempo da Mulher sobre o padrão de consumo alimentar no Brasil. Pesquisa e Planejamento econômico, Rio de Janeiro, v.37, n.3, p. 489-520, dez. 2007.
  • SICHIERI, R.; CASTRO, J. F. G.; MOURA, A. S. Fatores associados ao padrão de consumo alimentar da população brasileira urbana. Cadernos de Saúde Pública, Rio de Janeiro, v. 19, sup. 1, p. 47-53, 2003.
  • SILIPRANDI, E. Políticas de segurança alimentar e relações de gênero. In: FARIA, N; NOBRE, M. (Orgs.). A produção do Viver São Paulo, 2004.

Datas de Publicação

  • Publicação nesta coleção
    02 Abr 2013
  • Data do Fascículo
    Dez 2012

Histórico

  • Recebido
    Mar 2012
  • Aceito
    Nov 2012
Centro Brasileiro de Estudos de Saúde Av. Brasil, 4036, sala 802, 21040-361 Rio de Janeiro - RJ Brasil, Tel. 55 21-3882-9140, Fax.55 21-2260-3782 - Rio de Janeiro - RJ - Brazil
E-mail: revista@saudeemdebate.org.br