Instrumentos de avaliação de estruturação de redes de cuidados primários: uma revisão integrativa

Maria Alice Dias da Silva Lima Giselda Quintana Marques Adalvane Nobres Damaceno Mariana Timmers dos Santos Regina Rigatto Witt Aline Marques Acosta Sobre os autores

RESUMO

O estudo teve como objetivo identificar instrumentos disponíveis na literatura para avaliar a estruturação de rede de cuidados primários em sistemas de saúde. Foi realizada revisão integrativa da literatura nas bases de dados das ciências da saúde, educação e gestão, a saber: Medical Literature Analysis and Retrieval System Online (Medline) incluindo a biblioteca virtual da Cochrane, Embase, PsycINFO, Cumulative Index to Nursing and Allied Health Literature (CINAHL), ABI Inform, Literatura Latino-Americana e do Caribe em Ciências da Saúde (Lilacs) e Business Source Complete. Foram incluídas publicações em inglês e português no período de 1995 a 2019. A amostra final foi composta de nove artigos. Foram identificados oito instrumentos, os quais apresentavam como características similares a abordagem na longitudinalidade, comunicação interprofissional, coordenação do cuidado, acesso aos serviços de saúde e qualidade do cuidado. Destaca-se um instrumento desenvolvido no contexto do sistema de saúde brasileiro como ferramenta útil para apoiar trabalhadores e gestores de saúde no diagnóstico situacional das potencialidades e fragilidades da Atenção Primária à Saúde e na coordenação das Redes de Atenção à Saúde.

PALAVRAS-CHAVE
Avaliação em saúde; Inquéritos e questionários; Atenção Primária à Saúde

ABSTRACT

The study aimed to identify available instruments in the literature to evaluate the structure of primary health network in health systems. An integrated review of literature was carried out in health sciences, education, and management Databases, as follows: Medical Literature Analysis and Retrieval System Online (Medline), including the Cochrane Library, Embase, PsycINFO, Cumulative Index to Nursing and Allied Health Literature (CINAHL), ABI Inform, Latin American and Caribbean on Health Sciences Literature (Lilacs), and the Business Source Complete (Ebsco). Manuscripts published in English and Portuguese from 1995 to 2019 were included. The final sample contained nine articles, in which eight instruments were identified. They had as a common feature the approach on longitudinality, interprofessional communication, care coordination, access to health services, and quality of care. An emphasis was noted on an instrument developed in the Brazilian health system context as a useful tool to support health care workers and managers in the situational diagnosis of potentialities and fragilities of Primary Health Care and Health Care Networks.

KEYWORDS
Health evaluation; Surveys and questionnaires; Primary Health Care

Introdução

A integração de sistemas de saúde tem sido considerada um componente essencial para transformação das práticas e da qualificação do cuidado, sendo obtida com a atenção primária bem estruturada e com redes integradas de prestação de serviços11 Suter E, Oelke ND, Lima MADS, et al. Indicators and Measurement Tools for Health Systems Integration: A Knowledge Synthesis. Int J Integr Care. 2017; 17(6):4,1-17.. A existência de uma rede de cuidados primários estruturados, assumindo responsabilidade por uma população adscrita, tem sido considerada um indicador do princípio de integração de sistemas de saúde referente à cobertura geográfica, o qual tem a finalidade de maximizar acessibilidade dos pacientes e minimizar a duplicação de utilização de serviços22 Oelke ND, Suter E, Lima MADS, et al. Indicators and measurement tools for health system integration: a knowledge synthesis protocol. Syst Ver [internet]. 2015. [acesso em 2019 nov 12]; 4(99):1-8. Disponível em: https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC4518647/pdf/13643_2015_Article_90.pdf.
https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/article...
.

A proposta de sistemas integrados apresenta-se como uma alternativa aos modelos hegemônicos, pois busca superar a fragmentação assistencial, atuando de forma articulada na resposta às necessidades da população, por meio da coordenação dos cuidados. Sua modelagem em redes de atenção regionalizadas, com população e território definidos, visa garantir uma oferta integral em saúde, com ampliação do acesso e maior eficiência e qualidade nos cuidados, por meio de relações e fluxos estabelecidos entre os serviços de saúde nos diferentes níveis do sistema. O fortalecimento da Atenção Primária à Saúde (APS) vem sendo apontado como importante medida para a coordenação de cuidados e organização dos sistemas de saúde, estabelecendo-a na posição de coordenadora do cuidado e ordenadora da rede assistencial33 Almeida PF, Medina MG, Fausto MCR, et al. Coordenação do cuidado e Atenção Primária à Saúde no Sistema Único de Saúde. Saúde debate [internet]. 2018 [acesso em 2019 nov 12]; 42(esp1):244-260. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/sdeb/v42nspe1/0103-1104-sdeb-42-spe01-0244.pdf.
http://www.scielo.br/pdf/sdeb/v42nspe1/0...
.

Muitos sistemas de saúde têm estabelecido metas com foco no cuidado integral à saúde; e, apesar do amplo suporte para a integração, há pouca informação sobre como atingir uma integração bem-sucedida em diferentes contextos e como avaliar o desempenho em direção a um sistema integrado44 Mounier-Jack S, Mayhew SH, Mays N. Integrated care: learning between high-income, and low- and middle-income country health systems. Health Policy Plan [internet]. 2017 [acesso em 2019 nov 12]; 32(supl4):iv6-iv12. Disponível em: https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC5886259/pdf/czx039.pdf.
https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/article...
. Contudo, avaliar o atendimento integrado é um desafio devido à pouca disponibilidade de ferramentas para medir os diferentes aspectos da integração e às dificuldades inerentes ao rastreamento de ferramentas existentes na literatura11 Suter E, Oelke ND, Lima MADS, et al. Indicators and Measurement Tools for Health Systems Integration: A Knowledge Synthesis. Int J Integr Care. 2017; 17(6):4,1-17.. Em oposição às áreas de pesquisa que possuem métodos claros de investigação, analisar um sistema dinâmico e multifacetado pode ser complexo. No entanto, métodos de medição sistemáticos são essenciais para o conhecimento do cuidado integrado continuado. A capacidade de medir e de avaliar a consistência dos resultados obtidos nas estratégias bem-sucedidas de integração é fundamental para efetivar o avanço no desenho e na implementação de um sistema de saúde integrado55 Bautista MC, Nurjono M, Lim, YW, et al. Instruments measuring integrated care: A systematic review of measurement properties. Milbank Quarterly. 2016; 94(4):862-917..

Nos últimos anos, a utilização de instrumentos para avaliação de desempenho de redes de atenção à saúde tem despertado crescente interesse de pesquisadores e gestores no cenário nacional e internacional devido à preocupação com a melhoria da qualidade da atenção à saúde e com a produção de conhecimento. Os resultados obtidos pela aplicação de instrumentos possibilitam aproximações às percepções dos participantes dos estudos, aos modelos de atenção, às práticas de cuidado e de gestão implementadas na área da saúde66 Fracolli LA, Gomes MFP, Nabão FRZ, et al. Instrumentos de avaliação da Atenção Primária à saúde: revisão de literatura e metassíntese. Ciênc. Saúde Colet. [internet]. 2014 [acesso em 2019 nov 12]; 19(12):4851-4860. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/csc/v19n12/pt_1413-8123-csc-19-12-04851.pdf.
http://www.scielo.br/pdf/csc/v19n12/pt_1...
.

Considerando-se o papel estratégico da APS no contexto da saúde nacional e internacional, enquanto ordenadora da rede assistencial e coordenadora do cuidado, torna-se relevante avaliar sua estruturação e desempenho por meio de ferramentas avaliativas. Nesse contexto, o presente artigo tem como objetivo identificar instrumentos disponíveis na literatura para avaliar a estruturação de rede de cuidados primários em sistemas de saúde.

Métodos

O estudo foi delineado como uma revisão integrativa da literatura, originado a partir de uma ampla síntese do conhecimento22 Oelke ND, Suter E, Lima MADS, et al. Indicators and measurement tools for health system integration: a knowledge synthesis protocol. Syst Ver [internet]. 2015. [acesso em 2019 nov 12]; 4(99):1-8. Disponível em: https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC4518647/pdf/13643_2015_Article_90.pdf.
https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/article...
. A revisão integrativa permite a análise de estudos oriundos de diferentes delineamentos de pesquisa e gera síntese de evidências disponíveis sobre determinado tema, utilizando uma análise narrativa77 Whittemore R, Chao A, Jang M, et al. Methods for knowledge synthesis: an overview. Heart Lung. 2014; 43(5):453-61..

A revisão foi estruturada conforme as seguintes etapas: identificação do problema, busca na literatura, avaliação dos dados, análise dos dados e apresentação da síntese do conhecimento88 Whittemore R, Knafl K. The integrative review: updated methodology. J Adv Nurs. 2005; 52(5):546-53..

A questão norteadora foi: quais os instrumentos disponíveis na literatura para avaliar a estruturação de redes de cuidados primários em sistemas de saúde?

A coleta de dados ocorreu em abril de 2019. Para identificação dos estudos, foi realizada busca em bases de dados das ciências da saúde, educação e gestão, a saber: Medical Literature Analysis and Retrieval System Online (Medline) incluindo a biblioteca virtual da Cochrane, Embase, PsycINFO, Cumulative Index to Nursing and Allied Health Literature (CINAHL), ABI Inform, Literatura Latino-Americana e do Caribe em Ciências da Saúde (Lilacs) e Business Source Complete. Como estratégia de busca, adotou-se a combinação dos seguintes descritores: (Community health OR Community care OR Primary care OR Primary health OR Integrated care OR Integrated health) AND (network OR coalition OR partnership).

A elegibilidade dos estudos ocorreu pela inclusão de publicações em inglês e em português, no período compreendido entre 1995 e 2019 e que estivessem disponíveis na íntegra para acesso on-line. Os estudos deveriam conter instrumentos para avaliação da estruturação de rede de cuidados primários, em diferentes cenários e desenhos metodológicos de pesquisa (qualitativos, quantitativos e métodos mistos), validados ou não. Foram excluídos os estudos que continham instrumentos, mas que não se referiam à avaliação da estruturação da rede de cuidados primários, artigos de revisão, relatos de experiência, teses, dissertações e monografias, resumos, documentos e anais de eventos.

A busca resultou em 267 registros. As referências identificadas foram enviadas para o software gerenciador de bibliografias EndNote®. Foram excluídos os estudos duplicados (n = 59), restando 208 artigos. Para a seleção, dois revisores independentes analisaram os títulos e os resumos dos estudos. Quando houve dúvida ou discordância, os estudos foram avaliados em grupo por quatro pesquisadores. Conforme os critérios de elegibilidade, foram selecionados 33 artigos para análise na íntegra. Destes, nove estudos foram incluídos na amostra, conforme ilustrado na Figura 1.

Figura 1
Fluxograma da coleta de dados e seleção dos estudos que compuseram a amostra

Para a extração dos dados, foi utilizado um instrumento, contendo os seguintes tópicos de interesse: autores, ano de publicação, idioma, objetivo, delineamento, cenário e nome dos instrumentos identificados.

Resultados

Nos nove estudos selecionados99 Flocke SA. Measuring attributes of primary care: Development of a new instrument. Journal of Family Practice. 1997; 45(1):64-74.

10 Cassady CE, Starfield B, Hurtado MP, et al. Measuring consumer experiences with primary care. Pediatrics. 2000; 105(4):998-1003.

11 Cooley WC, McAllister JW, Sherrieb K, et al. The medical home index: Development and validation of a new practice-level measure of implementation of the medical home model. Ambul Pediatr [internet]. 2003 [acesso em 2019 nov 20]; 3(4):173-180. Disponível em: https://doi.org/10.1367/1539-4409(2003)003<0173:TMHIDA>2.0.CO;2.
https://doi.org/10.1367/1539-4409(2003)0...

12 Nikbakht-Van M, Pruyn JFA, Van der Rijt CCD. Function of local networks in palliative care: A Dutch view. J Palliat Med. 2005; 8(4):808-816.

13 Friedberg MW, Safran DG, Coltin KL, et al. Readiness for the patient centered medical home: Structural capabilities of Massachusetts Primary Care Practices. J Gen Intern Med. 2008; 24(2):162-9.

14 Rittenhouse DR, Casalino LP, Gillies RR, et al. Measuring the medical home infrastructure in large medical groups Health Aff (Millwood). 2008; 27(5):1246-1258.

15 Birnberg JM, Drum ML, Huang ES, et al. Development of a Safety Net Medical Home Scale for Clinics. Journal of General Internal Medicine [internet]. 2011 [acesso em 2019 nov 20]; 26(12):1418-1425. DOI: https://doi.org/10.1007/s11606-011-1767-9
https://doi.org/10.1007/s11606-011-1767-...

16 Rodrigues LBB, Leite AC, Yamamura M, et al. Coordenação das redes de atenção à saúde pela atenção primária: validação semântica de um instrumento adaptado. [Coordination of primary healthcare networks: Semantic validation of an adapted instrument]. Cad. Saúde Pública. 2014; 30(7):1384-1390.
-1717 Rodrigues LBB, Santos CB, Goyata LT, et al. Assessment of the coordination of integrated health service delivery networks by the primary health care: COPAS questionnaire validation in the Brazilian context. BMC Family Practice. 2015; 16(87):1-9., cujas características estão apresentadas no quadro 1, foram identificados oito instrumentos para avaliação da estruturação da rede de cuidados primários em sistemas de saúde.

Quadro 1
Características dos estudos: autores, ano de publicação, idioma, objetivo, delineamento, cenário e nome do instrumento identificado. Porto Alegre, 2019

Constata-se que seis estudos99 Flocke SA. Measuring attributes of primary care: Development of a new instrument. Journal of Family Practice. 1997; 45(1):64-74.

10 Cassady CE, Starfield B, Hurtado MP, et al. Measuring consumer experiences with primary care. Pediatrics. 2000; 105(4):998-1003.
-1111 Cooley WC, McAllister JW, Sherrieb K, et al. The medical home index: Development and validation of a new practice-level measure of implementation of the medical home model. Ambul Pediatr [internet]. 2003 [acesso em 2019 nov 20]; 3(4):173-180. Disponível em: https://doi.org/10.1367/1539-4409(2003)003<0173:TMHIDA>2.0.CO;2.
https://doi.org/10.1367/1539-4409(2003)0...
,1313 Friedberg MW, Safran DG, Coltin KL, et al. Readiness for the patient centered medical home: Structural capabilities of Massachusetts Primary Care Practices. J Gen Intern Med. 2008; 24(2):162-9.

14 Rittenhouse DR, Casalino LP, Gillies RR, et al. Measuring the medical home infrastructure in large medical groups Health Aff (Millwood). 2008; 27(5):1246-1258.
-1515 Birnberg JM, Drum ML, Huang ES, et al. Development of a Safety Net Medical Home Scale for Clinics. Journal of General Internal Medicine [internet]. 2011 [acesso em 2019 nov 20]; 26(12):1418-1425. DOI: https://doi.org/10.1007/s11606-011-1767-9
https://doi.org/10.1007/s11606-011-1767-...
foram realizados nos Estados Unidos da América (EUA); dois estudos1616 Rodrigues LBB, Leite AC, Yamamura M, et al. Coordenação das redes de atenção à saúde pela atenção primária: validação semântica de um instrumento adaptado. [Coordination of primary healthcare networks: Semantic validation of an adapted instrument]. Cad. Saúde Pública. 2014; 30(7):1384-1390.-1717 Rodrigues LBB, Santos CB, Goyata LT, et al. Assessment of the coordination of integrated health service delivery networks by the primary health care: COPAS questionnaire validation in the Brazilian context. BMC Family Practice. 2015; 16(87):1-9., que correspondem ao mesmo instrumento, foram desenvolvidos no Brasil; e um estudo1212 Nikbakht-Van M, Pruyn JFA, Van der Rijt CCD. Function of local networks in palliative care: A Dutch view. J Palliat Med. 2005; 8(4):808-816., na Holanda. Quanto ao idioma, oito são em inglês99 Flocke SA. Measuring attributes of primary care: Development of a new instrument. Journal of Family Practice. 1997; 45(1):64-74.

10 Cassady CE, Starfield B, Hurtado MP, et al. Measuring consumer experiences with primary care. Pediatrics. 2000; 105(4):998-1003.

11 Cooley WC, McAllister JW, Sherrieb K, et al. The medical home index: Development and validation of a new practice-level measure of implementation of the medical home model. Ambul Pediatr [internet]. 2003 [acesso em 2019 nov 20]; 3(4):173-180. Disponível em: https://doi.org/10.1367/1539-4409(2003)003<0173:TMHIDA>2.0.CO;2.
https://doi.org/10.1367/1539-4409(2003)0...

12 Nikbakht-Van M, Pruyn JFA, Van der Rijt CCD. Function of local networks in palliative care: A Dutch view. J Palliat Med. 2005; 8(4):808-816.

13 Friedberg MW, Safran DG, Coltin KL, et al. Readiness for the patient centered medical home: Structural capabilities of Massachusetts Primary Care Practices. J Gen Intern Med. 2008; 24(2):162-9.

14 Rittenhouse DR, Casalino LP, Gillies RR, et al. Measuring the medical home infrastructure in large medical groups Health Aff (Millwood). 2008; 27(5):1246-1258.
-1515 Birnberg JM, Drum ML, Huang ES, et al. Development of a Safety Net Medical Home Scale for Clinics. Journal of General Internal Medicine [internet]. 2011 [acesso em 2019 nov 20]; 26(12):1418-1425. DOI: https://doi.org/10.1007/s11606-011-1767-9
https://doi.org/10.1007/s11606-011-1767-...
,1717 Rodrigues LBB, Santos CB, Goyata LT, et al. Assessment of the coordination of integrated health service delivery networks by the primary health care: COPAS questionnaire validation in the Brazilian context. BMC Family Practice. 2015; 16(87):1-9., e um é em português1616 Rodrigues LBB, Leite AC, Yamamura M, et al. Coordenação das redes de atenção à saúde pela atenção primária: validação semântica de um instrumento adaptado. [Coordination of primary healthcare networks: Semantic validation of an adapted instrument]. Cad. Saúde Pública. 2014; 30(7):1384-1390..

As características dos instrumentos, tais como nome, amostra utilizada, cenário de estudo, dimensões, tipo de validação, propriedades de medida e valores psicométricos, são apresentadas no quadro 2.

Quadro 2
Características dos instrumentos: autores, nome do instrumento, respondentes do instrumento, cenário de estudo, dimensões e propriedades psicométricas avaliadas. Porto Alegre, 2019

Os oito instrumentos que avaliam a estruturação de redes de cuidados primários em sistemas de saúde são: Components of Primary Care Index (CPCI)99 Flocke SA. Measuring attributes of primary care: Development of a new instrument. Journal of Family Practice. 1997; 45(1):64-74., Primary Care Assessment Tool-Child Edition (PCAT-CE)1010 Cassady CE, Starfield B, Hurtado MP, et al. Measuring consumer experiences with primary care. Pediatrics. 2000; 105(4):998-1003., Medical Home Index (MHI) – long version1111 Cooley WC, McAllister JW, Sherrieb K, et al. The medical home index: Development and validation of a new practice-level measure of implementation of the medical home model. Ambul Pediatr [internet]. 2003 [acesso em 2019 nov 20]; 3(4):173-180. Disponível em: https://doi.org/10.1367/1539-4409(2003)003<0173:TMHIDA>2.0.CO;2.
https://doi.org/10.1367/1539-4409(2003)0...
, Safety Net Medical Home Scale (SNMHS)1515 Birnberg JM, Drum ML, Huang ES, et al. Development of a Safety Net Medical Home Scale for Clinics. Journal of General Internal Medicine [internet]. 2011 [acesso em 2019 nov 20]; 26(12):1418-1425. DOI: https://doi.org/10.1007/s11606-011-1767-9
https://doi.org/10.1007/s11606-011-1767-...
, Instrumento de Avaliação da Coordenação das Redes de Atenção à Saúde pela APS (Copas)1616 Rodrigues LBB, Leite AC, Yamamura M, et al. Coordenação das redes de atenção à saúde pela atenção primária: validação semântica de um instrumento adaptado. [Coordination of primary healthcare networks: Semantic validation of an adapted instrument]. Cad. Saúde Pública. 2014; 30(7):1384-1390.-1717 Rodrigues LBB, Santos CB, Goyata LT, et al. Assessment of the coordination of integrated health service delivery networks by the primary health care: COPAS questionnaire validation in the Brazilian context. BMC Family Practice. 2015; 16(87):1-9., três instrumentos tipo questionários, sem nomes especificados1212 Nikbakht-Van M, Pruyn JFA, Van der Rijt CCD. Function of local networks in palliative care: A Dutch view. J Palliat Med. 2005; 8(4):808-816.

13 Friedberg MW, Safran DG, Coltin KL, et al. Readiness for the patient centered medical home: Structural capabilities of Massachusetts Primary Care Practices. J Gen Intern Med. 2008; 24(2):162-9.
-1414 Rittenhouse DR, Casalino LP, Gillies RR, et al. Measuring the medical home infrastructure in large medical groups Health Aff (Millwood). 2008; 27(5):1246-1258.. Dentre as questões abordadas, destaca-se que a maioria dos instrumentos incluiu avaliação sobre longitudinalidade, comunicação interprofissional, coordenação do cuidado, acesso aos serviços de saúde e qualidade do cuidado.

Identifica-se que seis instrumentos foram respondidos por profissionais, gerentes ou funcionários de serviços de saúde1111 Cooley WC, McAllister JW, Sherrieb K, et al. The medical home index: Development and validation of a new practice-level measure of implementation of the medical home model. Ambul Pediatr [internet]. 2003 [acesso em 2019 nov 20]; 3(4):173-180. Disponível em: https://doi.org/10.1367/1539-4409(2003)003<0173:TMHIDA>2.0.CO;2.
https://doi.org/10.1367/1539-4409(2003)0...

12 Nikbakht-Van M, Pruyn JFA, Van der Rijt CCD. Function of local networks in palliative care: A Dutch view. J Palliat Med. 2005; 8(4):808-816.

13 Friedberg MW, Safran DG, Coltin KL, et al. Readiness for the patient centered medical home: Structural capabilities of Massachusetts Primary Care Practices. J Gen Intern Med. 2008; 24(2):162-9.

14 Rittenhouse DR, Casalino LP, Gillies RR, et al. Measuring the medical home infrastructure in large medical groups Health Aff (Millwood). 2008; 27(5):1246-1258.

15 Birnberg JM, Drum ML, Huang ES, et al. Development of a Safety Net Medical Home Scale for Clinics. Journal of General Internal Medicine [internet]. 2011 [acesso em 2019 nov 20]; 26(12):1418-1425. DOI: https://doi.org/10.1007/s11606-011-1767-9
https://doi.org/10.1007/s11606-011-1767-...

16 Rodrigues LBB, Leite AC, Yamamura M, et al. Coordenação das redes de atenção à saúde pela atenção primária: validação semântica de um instrumento adaptado. [Coordination of primary healthcare networks: Semantic validation of an adapted instrument]. Cad. Saúde Pública. 2014; 30(7):1384-1390.
-1717 Rodrigues LBB, Santos CB, Goyata LT, et al. Assessment of the coordination of integrated health service delivery networks by the primary health care: COPAS questionnaire validation in the Brazilian context. BMC Family Practice. 2015; 16(87):1-9.; e dois, por usuários dos serviços99 Flocke SA. Measuring attributes of primary care: Development of a new instrument. Journal of Family Practice. 1997; 45(1):64-74.-1010 Cassady CE, Starfield B, Hurtado MP, et al. Measuring consumer experiences with primary care. Pediatrics. 2000; 105(4):998-1003.. Três instrumentos foram aplicados presencialmente nos locais de estudo99 Flocke SA. Measuring attributes of primary care: Development of a new instrument. Journal of Family Practice. 1997; 45(1):64-74.

10 Cassady CE, Starfield B, Hurtado MP, et al. Measuring consumer experiences with primary care. Pediatrics. 2000; 105(4):998-1003.
-1111 Cooley WC, McAllister JW, Sherrieb K, et al. The medical home index: Development and validation of a new practice-level measure of implementation of the medical home model. Ambul Pediatr [internet]. 2003 [acesso em 2019 nov 20]; 3(4):173-180. Disponível em: https://doi.org/10.1367/1539-4409(2003)003<0173:TMHIDA>2.0.CO;2.
https://doi.org/10.1367/1539-4409(2003)0...
,1616 Rodrigues LBB, Leite AC, Yamamura M, et al. Coordenação das redes de atenção à saúde pela atenção primária: validação semântica de um instrumento adaptado. [Coordination of primary healthcare networks: Semantic validation of an adapted instrument]. Cad. Saúde Pública. 2014; 30(7):1384-1390.-1717 Rodrigues LBB, Santos CB, Goyata LT, et al. Assessment of the coordination of integrated health service delivery networks by the primary health care: COPAS questionnaire validation in the Brazilian context. BMC Family Practice. 2015; 16(87):1-9., três foram enviados por e-mail1212 Nikbakht-Van M, Pruyn JFA, Van der Rijt CCD. Function of local networks in palliative care: A Dutch view. J Palliat Med. 2005; 8(4):808-816.-1313 Friedberg MW, Safran DG, Coltin KL, et al. Readiness for the patient centered medical home: Structural capabilities of Massachusetts Primary Care Practices. J Gen Intern Med. 2008; 24(2):162-9.,1515 Birnberg JM, Drum ML, Huang ES, et al. Development of a Safety Net Medical Home Scale for Clinics. Journal of General Internal Medicine [internet]. 2011 [acesso em 2019 nov 20]; 26(12):1418-1425. DOI: https://doi.org/10.1007/s11606-011-1767-9
https://doi.org/10.1007/s11606-011-1767-...
e dois foram respondidos por telefone1010 Cassady CE, Starfield B, Hurtado MP, et al. Measuring consumer experiences with primary care. Pediatrics. 2000; 105(4):998-1003.,1414 Rittenhouse DR, Casalino LP, Gillies RR, et al. Measuring the medical home infrastructure in large medical groups Health Aff (Millwood). 2008; 27(5):1246-1258.. Cinco instrumentos passaram por avaliação das propriedades psicométricas99 Flocke SA. Measuring attributes of primary care: Development of a new instrument. Journal of Family Practice. 1997; 45(1):64-74.

10 Cassady CE, Starfield B, Hurtado MP, et al. Measuring consumer experiences with primary care. Pediatrics. 2000; 105(4):998-1003.
-1111 Cooley WC, McAllister JW, Sherrieb K, et al. The medical home index: Development and validation of a new practice-level measure of implementation of the medical home model. Ambul Pediatr [internet]. 2003 [acesso em 2019 nov 20]; 3(4):173-180. Disponível em: https://doi.org/10.1367/1539-4409(2003)003<0173:TMHIDA>2.0.CO;2.
https://doi.org/10.1367/1539-4409(2003)0...
,1515 Birnberg JM, Drum ML, Huang ES, et al. Development of a Safety Net Medical Home Scale for Clinics. Journal of General Internal Medicine [internet]. 2011 [acesso em 2019 nov 20]; 26(12):1418-1425. DOI: https://doi.org/10.1007/s11606-011-1767-9
https://doi.org/10.1007/s11606-011-1767-...

16 Rodrigues LBB, Leite AC, Yamamura M, et al. Coordenação das redes de atenção à saúde pela atenção primária: validação semântica de um instrumento adaptado. [Coordination of primary healthcare networks: Semantic validation of an adapted instrument]. Cad. Saúde Pública. 2014; 30(7):1384-1390.
-1717 Rodrigues LBB, Santos CB, Goyata LT, et al. Assessment of the coordination of integrated health service delivery networks by the primary health care: COPAS questionnaire validation in the Brazilian context. BMC Family Practice. 2015; 16(87):1-9., sendo que, em um deles, houve somente a validação semântica e teste-piloto1616 Rodrigues LBB, Leite AC, Yamamura M, et al. Coordenação das redes de atenção à saúde pela atenção primária: validação semântica de um instrumento adaptado. [Coordination of primary healthcare networks: Semantic validation of an adapted instrument]. Cad. Saúde Pública. 2014; 30(7):1384-1390.-1717 Rodrigues LBB, Santos CB, Goyata LT, et al. Assessment of the coordination of integrated health service delivery networks by the primary health care: COPAS questionnaire validation in the Brazilian context. BMC Family Practice. 2015; 16(87):1-9.. Um dos estudos propôs escala de avaliação de redes de segurança em cuidados paliativos1212 Nikbakht-Van M, Pruyn JFA, Van der Rijt CCD. Function of local networks in palliative care: A Dutch view. J Palliat Med. 2005; 8(4):808-816., sem validá-la, e três estudos aplicaram instrumentos em formato de questionário para obtenção dos dados1212 Nikbakht-Van M, Pruyn JFA, Van der Rijt CCD. Function of local networks in palliative care: A Dutch view. J Palliat Med. 2005; 8(4):808-816.

13 Friedberg MW, Safran DG, Coltin KL, et al. Readiness for the patient centered medical home: Structural capabilities of Massachusetts Primary Care Practices. J Gen Intern Med. 2008; 24(2):162-9.
-1414 Rittenhouse DR, Casalino LP, Gillies RR, et al. Measuring the medical home infrastructure in large medical groups Health Aff (Millwood). 2008; 27(5):1246-1258..

Discussão

Identificou-se que os estudos se concentraram nos EUA99 Flocke SA. Measuring attributes of primary care: Development of a new instrument. Journal of Family Practice. 1997; 45(1):64-74.

10 Cassady CE, Starfield B, Hurtado MP, et al. Measuring consumer experiences with primary care. Pediatrics. 2000; 105(4):998-1003.
-1111 Cooley WC, McAllister JW, Sherrieb K, et al. The medical home index: Development and validation of a new practice-level measure of implementation of the medical home model. Ambul Pediatr [internet]. 2003 [acesso em 2019 nov 20]; 3(4):173-180. Disponível em: https://doi.org/10.1367/1539-4409(2003)003<0173:TMHIDA>2.0.CO;2.
https://doi.org/10.1367/1539-4409(2003)0...
,1313 Friedberg MW, Safran DG, Coltin KL, et al. Readiness for the patient centered medical home: Structural capabilities of Massachusetts Primary Care Practices. J Gen Intern Med. 2008; 24(2):162-9.

14 Rittenhouse DR, Casalino LP, Gillies RR, et al. Measuring the medical home infrastructure in large medical groups Health Aff (Millwood). 2008; 27(5):1246-1258.
-1515 Birnberg JM, Drum ML, Huang ES, et al. Development of a Safety Net Medical Home Scale for Clinics. Journal of General Internal Medicine [internet]. 2011 [acesso em 2019 nov 20]; 26(12):1418-1425. DOI: https://doi.org/10.1007/s11606-011-1767-9
https://doi.org/10.1007/s11606-011-1767-...
, sendo que um é holandês1212 Nikbakht-Van M, Pruyn JFA, Van der Rijt CCD. Function of local networks in palliative care: A Dutch view. J Palliat Med. 2005; 8(4):808-816., e dois são brasileiros e tratam do mesmo instrumento1616 Rodrigues LBB, Leite AC, Yamamura M, et al. Coordenação das redes de atenção à saúde pela atenção primária: validação semântica de um instrumento adaptado. [Coordination of primary healthcare networks: Semantic validation of an adapted instrument]. Cad. Saúde Pública. 2014; 30(7):1384-1390.-1717 Rodrigues LBB, Santos CB, Goyata LT, et al. Assessment of the coordination of integrated health service delivery networks by the primary health care: COPAS questionnaire validation in the Brazilian context. BMC Family Practice. 2015; 16(87):1-9.. O intervalo de tempo entre as publicações foi de aproximadamente três anos, sendo que, a partir de 2015, não foram encontrados estudos no tema. Supõe-se que não haja a cultura sistemática da avaliação, por meio de instrumentos, nos serviços de saúde, ou, caso exista, os resultados não foram divulgados no meio científico.

No período estudado, foram encontrados oito instrumentos para mensurar os componentes da estruturação de redes de cuidados primários99 Flocke SA. Measuring attributes of primary care: Development of a new instrument. Journal of Family Practice. 1997; 45(1):64-74.

10 Cassady CE, Starfield B, Hurtado MP, et al. Measuring consumer experiences with primary care. Pediatrics. 2000; 105(4):998-1003.

11 Cooley WC, McAllister JW, Sherrieb K, et al. The medical home index: Development and validation of a new practice-level measure of implementation of the medical home model. Ambul Pediatr [internet]. 2003 [acesso em 2019 nov 20]; 3(4):173-180. Disponível em: https://doi.org/10.1367/1539-4409(2003)003<0173:TMHIDA>2.0.CO;2.
https://doi.org/10.1367/1539-4409(2003)0...

12 Nikbakht-Van M, Pruyn JFA, Van der Rijt CCD. Function of local networks in palliative care: A Dutch view. J Palliat Med. 2005; 8(4):808-816.

13 Friedberg MW, Safran DG, Coltin KL, et al. Readiness for the patient centered medical home: Structural capabilities of Massachusetts Primary Care Practices. J Gen Intern Med. 2008; 24(2):162-9.

14 Rittenhouse DR, Casalino LP, Gillies RR, et al. Measuring the medical home infrastructure in large medical groups Health Aff (Millwood). 2008; 27(5):1246-1258.

15 Birnberg JM, Drum ML, Huang ES, et al. Development of a Safety Net Medical Home Scale for Clinics. Journal of General Internal Medicine [internet]. 2011 [acesso em 2019 nov 20]; 26(12):1418-1425. DOI: https://doi.org/10.1007/s11606-011-1767-9
https://doi.org/10.1007/s11606-011-1767-...

16 Rodrigues LBB, Leite AC, Yamamura M, et al. Coordenação das redes de atenção à saúde pela atenção primária: validação semântica de um instrumento adaptado. [Coordination of primary healthcare networks: Semantic validation of an adapted instrument]. Cad. Saúde Pública. 2014; 30(7):1384-1390.
-1717 Rodrigues LBB, Santos CB, Goyata LT, et al. Assessment of the coordination of integrated health service delivery networks by the primary health care: COPAS questionnaire validation in the Brazilian context. BMC Family Practice. 2015; 16(87):1-9., sendo que, destes, cinco passaram por algum tipo de teste de validação99 Flocke SA. Measuring attributes of primary care: Development of a new instrument. Journal of Family Practice. 1997; 45(1):64-74.

10 Cassady CE, Starfield B, Hurtado MP, et al. Measuring consumer experiences with primary care. Pediatrics. 2000; 105(4):998-1003.
-1111 Cooley WC, McAllister JW, Sherrieb K, et al. The medical home index: Development and validation of a new practice-level measure of implementation of the medical home model. Ambul Pediatr [internet]. 2003 [acesso em 2019 nov 20]; 3(4):173-180. Disponível em: https://doi.org/10.1367/1539-4409(2003)003<0173:TMHIDA>2.0.CO;2.
https://doi.org/10.1367/1539-4409(2003)0...
,1515 Birnberg JM, Drum ML, Huang ES, et al. Development of a Safety Net Medical Home Scale for Clinics. Journal of General Internal Medicine [internet]. 2011 [acesso em 2019 nov 20]; 26(12):1418-1425. DOI: https://doi.org/10.1007/s11606-011-1767-9
https://doi.org/10.1007/s11606-011-1767-...

16 Rodrigues LBB, Leite AC, Yamamura M, et al. Coordenação das redes de atenção à saúde pela atenção primária: validação semântica de um instrumento adaptado. [Coordination of primary healthcare networks: Semantic validation of an adapted instrument]. Cad. Saúde Pública. 2014; 30(7):1384-1390.
-1717 Rodrigues LBB, Santos CB, Goyata LT, et al. Assessment of the coordination of integrated health service delivery networks by the primary health care: COPAS questionnaire validation in the Brazilian context. BMC Family Practice. 2015; 16(87):1-9.. Instrumentos validados são recursos úteis, tendo em vista que seus itens foram testados quanto às qualidades psicométricas. Sua utilização pode economizar tempo e trabalho dos pesquisadores1818 Keszei A, Novak M, Streiner DL. Introduction to health measurement scales. J Psychosom Res. 2010; 68(4);319-323., além de subsidiar gestores, profissionais da saúde e pesquisadores na escolha de instrumentos adequados à sua finalidade.

A força dos resultados obtidos em um estudo depende do instrumento escolhido. Portanto, instrumentos validados quanto às propriedades psicométricas podem trazer maior robustez aos resultados da pesquisa1919 Olivo SA, Macedo LG, Gadotti IC, et al. Scales to assess the quality of randomized controlled trials: a systematic review. Phys Ther. 2008; 88(2):156-175.. O desempenho dos resultados é dado pela validade e pela confiabilidade do instrumento. A validade está relacionada com a exatidão em medir o que o instrumento se propõe a medir; a confiabilidade avalia se as medidas do instrumento são as mais precisas possíveis. A validade é dada pela determinação da representatividade de itens que expressam um conteúdo. Isso significa que esse tipo de validação determina se o conteúdo de um instrumento de medida explora, de maneira efetiva, os quesitos para mensuração de um determinado fenômeno investigado. Por sua vez, a confiabilidade é medida quanto à consistência interna dos itens e quanto à estabilidade no tempo e no espaço, indicando aspectos sobre coerência, precisão, estabilidade, equivalência e homogeneidade2020 Souza AC, Alexandre NMC, Guirardello EB. Propriedades psicométricas na avaliação de instrumentos: avaliação da confiabilidade e da validade. Epidemiol Serv Saude. 2017; 26(3):649-659..

Os instrumentos identificados tiveram diferentes cenários de estudo envolvendo o cuidado na atenção primária e exploram aspectos por meio de dimensões como comunicação e informação, conhecimento do paciente, coordenação do cuidado, sistemas de gestão, entre outros.

O instrumento CPCI99 Flocke SA. Measuring attributes of primary care: Development of a new instrument. Journal of Family Practice. 1997; 45(1):64-74. foi desenvolvido para mensurar diversos componentes da atenção primária na perspectiva dos pacientes. Foi realizada a validação de conteúdo por um comitê de especialistas e um teste-piloto com pacientes que visitaram o médico de família. A análise fatorial de seus itens resultou em quatro dimensões estáveis e internamente consistentes, que são: comunicação interpessoal, conhecimento do médico em relação ao paciente, coordenação de cuidados e vínculo. Cada uma das pontuações da escala CPCI foi significativamente associada à satisfação do paciente com as consultas ao médico de família. As dimensões estão associadas à satisfação do paciente. Contudo, os itens relacionados com o tempo e com a frequência da consulta médica não obtiveram uma forte associação com a medida de satisfação dos pacientes. A consistência interna dos escores da escala é boa, e a aplicabilidade do instrumento é alta, dado o pequeno número de itens.

O PCAT-CE1010 Cassady CE, Starfield B, Hurtado MP, et al. Measuring consumer experiences with primary care. Pediatrics. 2000; 105(4):998-1003. é composto de 26 itens, subdivididos em cinco domínios. Mostrou-se promissor para avaliação da APS por cuidadores ou responsáveis por crianças. O PCAT-CE tem sido utilizado em países como EUA, Espanha e Coréia do Sul para avaliar atributos essenciais e derivados da APS1010 Cassady CE, Starfield B, Hurtado MP, et al. Measuring consumer experiences with primary care. Pediatrics. 2000; 105(4):998-1003..

O MHI – long version1111 Cooley WC, McAllister JW, Sherrieb K, et al. The medical home index: Development and validation of a new practice-level measure of implementation of the medical home model. Ambul Pediatr [internet]. 2003 [acesso em 2019 nov 20]; 3(4):173-180. Disponível em: https://doi.org/10.1367/1539-4409(2003)003<0173:TMHIDA>2.0.CO;2.
https://doi.org/10.1367/1539-4409(2003)0...
é constituído de 25 itens e considera os cuidados domiciliares como uma prática clínica que estabelece novos padrões para a APS direcionada à saúde da criança. O estudo descreve o desenvolvimento e a validação de ferramenta para avaliar consultórios médicos com base na capacidade organizacional, gestão das condições crônicas, coordenação do cuidado, comunicação, gestão de informações e melhoria da qualidade. Na amostra das práticas investigadas, o MHI foi considerado um instrumento consistente, com confiabilidade e validade aceitáveis para as práticas de APS da criança. Contudo, os autores1111 Cooley WC, McAllister JW, Sherrieb K, et al. The medical home index: Development and validation of a new practice-level measure of implementation of the medical home model. Ambul Pediatr [internet]. 2003 [acesso em 2019 nov 20]; 3(4):173-180. Disponível em: https://doi.org/10.1367/1539-4409(2003)003<0173:TMHIDA>2.0.CO;2.
https://doi.org/10.1367/1539-4409(2003)0...
recomendam que, para avaliar a implementação do MHI, é necessário estudar sua correlação com variáveis que envolvem processos e resultados de cuidados em amplas redes de assistência.

Um instrumento do tipo questionário foi utilizado para avaliar atributos do modelo Patient-Centered Medical Home (PCMH)1313 Friedberg MW, Safran DG, Coltin KL, et al. Readiness for the patient centered medical home: Structural capabilities of Massachusetts Primary Care Practices. J Gen Intern Med. 2008; 24(2):162-9.. O instrumento tinha o objetivo de avaliar a prevalência das capacidades estruturais recomendadas entre as práticas de atenção primária e determinar se a prevalência variava entre práticas de diferentes dimensões de quantidade e qualidade e redes de atenção, relacionando marcação de consultas, prontuário de pacientes e lembretes de consultas. É direcionado aos pacientes que utilizam tecnologias de cuidado específicas. O questionário pode ser aplicado para medir a eficácia e a estrutura da oferta de serviços em grandes grupos no âmbito dos cuidados integrados. As capacidades investigadas não contemplam todos os atributos potenciais do Modelo PCMH. Os autores não reportaram avaliação psicométrica dos itens do instrumento.

O instrumento que investigou apenas os componentes de infraestrutura do modelo PCMH é um questionário desenvolvido a partir de dados de amplo estudo norte-americano sobre organizações médicas (National Study of Physician Organizations 2006-2007) para avaliar a extensão da implementação de componentes do cuidado no domicílio, aliado ao atendimento primário e sua associação com a oferta e a adequação do dimensionamento de médicos1414 Rittenhouse DR, Casalino LP, Gillies RR, et al. Measuring the medical home infrastructure in large medical groups Health Aff (Millwood). 2008; 27(5):1246-1258.. O estudo não referiu avaliação psicométrica do questionário.

O SNMHS1515 Birnberg JM, Drum ML, Huang ES, et al. Development of a Safety Net Medical Home Scale for Clinics. Journal of General Internal Medicine [internet]. 2011 [acesso em 2019 nov 20]; 26(12):1418-1425. DOI: https://doi.org/10.1007/s11606-011-1767-9
https://doi.org/10.1007/s11606-011-1767-...
foi composto por 52 itens, 16 núcleos e organizado em 6 domínios. O instrumento demonstrou confiabilidade e validade convergente para avaliar a adoção dos cuidados médicos domiciliares. Tem a finalidade de fornecer informações úteis para orientar os sistemas de saúde e estabelecer incentivos, visando alocar recursos na organização e no atendimento das demandas de populações, especialmente, as de baixa renda. Os resultados obtidos com a aplicação do instrumento SNMHS podem fornecer descrição detalhada relacionada com a segurança dos cuidados domiciliares. Contudo, a validação inicial do SNMHS não permite generalizações1515 Birnberg JM, Drum ML, Huang ES, et al. Development of a Safety Net Medical Home Scale for Clinics. Journal of General Internal Medicine [internet]. 2011 [acesso em 2019 nov 20]; 26(12):1418-1425. DOI: https://doi.org/10.1007/s11606-011-1767-9
https://doi.org/10.1007/s11606-011-1767-...
.

O Copas1616 Rodrigues LBB, Leite AC, Yamamura M, et al. Coordenação das redes de atenção à saúde pela atenção primária: validação semântica de um instrumento adaptado. [Coordination of primary healthcare networks: Semantic validation of an adapted instrument]. Cad. Saúde Pública. 2014; 30(7):1384-1390.-1717 Rodrigues LBB, Santos CB, Goyata LT, et al. Assessment of the coordination of integrated health service delivery networks by the primary health care: COPAS questionnaire validation in the Brazilian context. BMC Family Practice. 2015; 16(87):1-9. foi o único instrumento brasileiro encontrado nesta revisão. Avalia a coordenação das Redes de Atenção à Saúde (RAS) pela APS. Embora tenha sido construído e validado com base em check list de avaliação do grau de integração das RAS, o Copas possibilita avaliar a capacidade da APS de coordenar as redes ao colocá-la na centralidade de um processo de integração dos diversos pontos de atenção1616 Rodrigues LBB, Leite AC, Yamamura M, et al. Coordenação das redes de atenção à saúde pela atenção primária: validação semântica de um instrumento adaptado. [Coordination of primary healthcare networks: Semantic validation of an adapted instrument]. Cad. Saúde Pública. 2014; 30(7):1384-1390.. O instrumento possui 78 itens em 5 dimensões. Seu processo de elaboração e validação envolveu duas etapas: validação semântica e teste-piloto. O instrumento mostrou-se abrangente, contendo as dimensões de coordenação de gerenciamento de cuidados de saúde (população, cuidados primários de saúde, sistemas de suporte, sistemas logísticos e sistemas de gestão). O Copas é um instrumento válido e confiável e pode ser utilizado por pesquisadores, gestores e profissionais de saúde para auditar e melhorar a coordenação de serviços de saúde. Entretanto, necessita-se de novas aplicações, em amostra maior, com o intuito de atestar sua validade1717 Rodrigues LBB, Santos CB, Goyata LT, et al. Assessment of the coordination of integrated health service delivery networks by the primary health care: COPAS questionnaire validation in the Brazilian context. BMC Family Practice. 2015; 16(87):1-9..

Um instrumento não nominado1212 Nikbakht-Van M, Pruyn JFA, Van der Rijt CCD. Function of local networks in palliative care: A Dutch view. J Palliat Med. 2005; 8(4):808-816. considerou a escassez de evidências científicas relacionadas com a estruturação de redes de cuidados paliativos na atenção primária na Holanda. Assim, o Ministério da Saúde holandês iniciou um programa de cinco anos para cuidados paliativos, com base na fundação e financiamento de centros para o desenvolvimento de cuidados paliativos (Centres for the Development of Palliative Care). Esses centros foram estruturados em torno de serviços importantes, como hospitais universitários e centros de tratamento de câncer. A construção do instrumento fez parte de um programa para desenvolvimento de uma rede regional com a finalidade de integrar os serviços de cuidados paliativos no sistema de saúde. Não foram referidos testes psicométricos do instrumento.

Embora os instrumentos identificados diferenciem-se no que se refere à população e ao cenário estudado, verificam-se características que são comuns. A literatura indica uma série de princípios, tais como oferta adequada de serviços, cobertura geográfica, foco no paciente, cultura organizacional, avaliação de desempenho, equipes multiprofissionais, gestão financeira, governança, empoderamento e construção de práticas para organização de sistemas integrados22 Oelke ND, Suter E, Lima MADS, et al. Indicators and measurement tools for health system integration: a knowledge synthesis protocol. Syst Ver [internet]. 2015. [acesso em 2019 nov 12]; 4(99):1-8. Disponível em: https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC4518647/pdf/13643_2015_Article_90.pdf.
https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/article...
,2121 Goodwin N. Understanding Integrated Care. Int J Integr Care. 2016; 16(4):6., os quais se aliam às características apresentadas nos instrumentos identificados neste estudo.

A integração do cuidado pressupõe contatos prolongados entre os profissionais e a população de referência, por diversas formas de vínculo e acompanhamento, diversificando formas de abordagens. Nesse contexto, identifica-se a longitudinalidade do cuidado, que decorre da coordenação de diversas práticas e tecnologias ofertadas, em espaços diferentes, de forma a compor uma ação coerente e efetiva, sem perder de foco a condição do usuário em cada momento2222 World Health Organization. WHO global strategy on people-centred and integrated health services: interim report [internet]. Geneva: World Health Organization, 2015 [acesso em 2019 nov 11]. Disponível em: http://www.who.int/iris/handle/10665/155002.
http://www.who.int/iris/handle/10665/155...
.

A mensuração da integração também prevê a definição mais precisa do papel e do escopo de responsabilidade de profissionais e unidades de saúde, proporcionando qualidade no atendimento de acordo com as especificidades de cada usuário. Os formatos de integração do cuidado se orientam pela obtenção de padrões de eficácia cada vez mais elevados no ambiente da APS, serviços domiciliares, saúde da criança e cuidados paliativos. O foco no paciente e em planos terapêuticos, alinhados às necessidades de cada população, permite o acompanhamento do impacto do tratamento continuado e a avaliação de desempenho dos envolvidos no processo de integração do cuidado2323 Aleluia IRS, Medina MG, Almeida PF, et al. Coordenação do cuidado na atenção primária à saúde: estudo avaliativo em município sede de macrorregião do nordeste brasileiro. Ciênc. Saúde Colet. [internet]. 2017 [acesso em 2019 nov 20]; 22(6):1845-56. Disponível em: https://www.scielosp.org/article/ssm/content/raw/?resource_ssm_path=/media/assets/csc/v22n6/1413-8123-csc-22-06-1845.pdf.
https://www.scielosp.org/article/ssm/con...
.

Ainda, entre as similaridades dos instrumentos identificados, destaca-se o atributo coordenação, caracterizado como a articulação entre serviços e ações de atenção à saúde, voltados a um objetivo comum. Dessa forma, realizar a avaliação da coordenação do cuidado permite mensurar a qualidade de uma rede integrada, desde a APS até os demais níveis de atenção, de modo que diferentes práticas sejam percebidas e experienciadas pelo paciente de forma continuada, adequada às suas necessidades de atenção em saúde e compatível com as suas expectativas pessoais entre os serviços33 Almeida PF, Medina MG, Fausto MCR, et al. Coordenação do cuidado e Atenção Primária à Saúde no Sistema Único de Saúde. Saúde debate [internet]. 2018 [acesso em 2019 nov 12]; 42(esp1):244-260. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/sdeb/v42nspe1/0103-1104-sdeb-42-spe01-0244.pdf.
http://www.scielo.br/pdf/sdeb/v42nspe1/0...
,2424 Vargas I, Mogollón-Pérez AS, De Paepe P, et al. Barriers to healthcare coordination in market-based and decentralized public health systems: a qualitative study in healthcare networks of Colombia and Brazil. Health Policy Plan [internet]. 2016 [acesso em 2019 nov 12]; 31(6):736-748. Disponível em: https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/pmid/26874327/.
https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/article...
.

Considerando que o objetivo dos processos de estruturação e gestão dos sistemas de saúde alicerça-se no conhecimento do perfil da população, revela-se fundamental o domínio dos sistemas de informações sobre o paciente e sua família, o que também foi identificado nos instrumentos1313 Friedberg MW, Safran DG, Coltin KL, et al. Readiness for the patient centered medical home: Structural capabilities of Massachusetts Primary Care Practices. J Gen Intern Med. 2008; 24(2):162-9.,1616 Rodrigues LBB, Leite AC, Yamamura M, et al. Coordenação das redes de atenção à saúde pela atenção primária: validação semântica de um instrumento adaptado. [Coordination of primary healthcare networks: Semantic validation of an adapted instrument]. Cad. Saúde Pública. 2014; 30(7):1384-1390., seja por meio de prontuário eletrônico, seja mediante cartão de identificação. Essas estratégias ampliam a capacidade de planejamento de ações efetivas por parte do sistema de saúde e produzem impactos efetivos sobre a saúde dos pacientes.

A análise da interação entre diferentes profissionais é identificada nos instrumentos1111 Cooley WC, McAllister JW, Sherrieb K, et al. The medical home index: Development and validation of a new practice-level measure of implementation of the medical home model. Ambul Pediatr [internet]. 2003 [acesso em 2019 nov 20]; 3(4):173-180. Disponível em: https://doi.org/10.1367/1539-4409(2003)003<0173:TMHIDA>2.0.CO;2.
https://doi.org/10.1367/1539-4409(2003)0...
,1212 Nikbakht-Van M, Pruyn JFA, Van der Rijt CCD. Function of local networks in palliative care: A Dutch view. J Palliat Med. 2005; 8(4):808-816.,1414 Rittenhouse DR, Casalino LP, Gillies RR, et al. Measuring the medical home infrastructure in large medical groups Health Aff (Millwood). 2008; 27(5):1246-1258. e tem como objetivo comum mensurar a responsabilização clínica de seus membros e sua inserção na estrutura e na participação nos sistemas integrados. O conceito de corresponsabilização clínica, na integração de serviços de saúde, baseia-se na articulação das práticas dos gestores e dos profissionais direcionadas às demandas da população, sendo o cuidado integrado a estratégia que supre essas necessidades.

Por fim, um instrumento adequado para avaliar redes de cuidados primários em sistemas de saúde é aquele que atende aos objetivos propostos em um cenário compatível com a realidade pesquisada, de forma a desenvolver um conhecimento que oriente a tomada de decisão e que possa ser reconhecido cientificamente.

No contexto brasileiro, destacamos o Copas1616 Rodrigues LBB, Leite AC, Yamamura M, et al. Coordenação das redes de atenção à saúde pela atenção primária: validação semântica de um instrumento adaptado. [Coordination of primary healthcare networks: Semantic validation of an adapted instrument]. Cad. Saúde Pública. 2014; 30(7):1384-1390.,1717 Rodrigues LBB, Santos CB, Goyata LT, et al. Assessment of the coordination of integrated health service delivery networks by the primary health care: COPAS questionnaire validation in the Brazilian context. BMC Family Practice. 2015; 16(87):1-9., visto que é um instrumento completo, desenvolvido no Brasil, com base nas diretrizes do Sistema Único de Saúde (SUS) e originalmente construído na língua portuguesa. Sendo assim, pode ser ferramenta útil para apoiar trabalhadores e gestores de saúde no diagnóstico situacional das potencialidades e fragilidades da APS e na coordenação das redes de atenção.

Considerações finais

Os resultados deste estudo permitiram identificar oito instrumentos disponíveis na literatura que podem subsidiar pesquisadores, gestores, profissionais da saúde e usuários interessados em utilizar ferramentas para avaliar a estruturação de rede de cuidados primários em sistemas de saúde. Os instrumentos abordaram, de forma geral, aspectos relacionados com a longitudinalidade, com a comunicação interprofissional, com a coordenação do cuidado, com o acesso aos serviços de saúde e com a qualidade do cuidado.

As limitações do estudo são relacionadas com a delimitação dos idiomas português e inglês nos critérios de elegibilidade, o que pode ter excluído estudos considerados importantes. Entretanto, esta revisão apresenta importantes achados que podem auxiliar a alcançar integração dos serviços de saúde. Escalas de avaliação são importantes ferramentas para a prática clínica e para a pesquisa em diferentes áreas do conhecimento. A seleção de instrumentos que forneçam medidas válidas e confiáveis aumenta a força dos resultados e reforça a tomada de decisão.

O progresso contínuo em direção a um sistema de cuidados integrado depende da capacidade de contrastar e de comparar o sucesso de estratégias utilizadas em diferentes níveis e em distintos contextos de saúde. Esse êxito pode ser alcançado por meio de abordagens de medição consolidadas. Avaliar o sucesso das estratégias de integração de forma consistente oportuniza melhor concepção do sistema de saúde com melhores resultados de saúde para os pacientes.

  • Suporte financeiro: Canadian Institutes of Health Research (CIHR), projeto KRS 138203

Agradecimentos

Agradecemos à Professora Nelly Donszelmann Oelke, da University of British Columbia (UBC), Okanagan campus, Canadá, e à Professora Esther Suter, da University of Calgary, Canadá, pelo apoio para realização deste estudo. Agradecemos ao Canadian Institutes of Health Research (CIHR) pelo auxílio financeiro referente ao projeto 'Indicators and measurement instruments for health systems integration: a knowledge synthesis' (KRS 138203).

Referências

  • 1
    Suter E, Oelke ND, Lima MADS, et al. Indicators and Measurement Tools for Health Systems Integration: A Knowledge Synthesis. Int J Integr Care. 2017; 17(6):4,1-17.
  • 2
    Oelke ND, Suter E, Lima MADS, et al. Indicators and measurement tools for health system integration: a knowledge synthesis protocol. Syst Ver [internet]. 2015. [acesso em 2019 nov 12]; 4(99):1-8. Disponível em: https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC4518647/pdf/13643_2015_Article_90.pdf
    » https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC4518647/pdf/13643_2015_Article_90.pdf
  • 3
    Almeida PF, Medina MG, Fausto MCR, et al. Coordenação do cuidado e Atenção Primária à Saúde no Sistema Único de Saúde. Saúde debate [internet]. 2018 [acesso em 2019 nov 12]; 42(esp1):244-260. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/sdeb/v42nspe1/0103-1104-sdeb-42-spe01-0244.pdf
    » http://www.scielo.br/pdf/sdeb/v42nspe1/0103-1104-sdeb-42-spe01-0244.pdf
  • 4
    Mounier-Jack S, Mayhew SH, Mays N. Integrated care: learning between high-income, and low- and middle-income country health systems. Health Policy Plan [internet]. 2017 [acesso em 2019 nov 12]; 32(supl4):iv6-iv12. Disponível em: https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC5886259/pdf/czx039.pdf
    » https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC5886259/pdf/czx039.pdf
  • 5
    Bautista MC, Nurjono M, Lim, YW, et al. Instruments measuring integrated care: A systematic review of measurement properties. Milbank Quarterly. 2016; 94(4):862-917.
  • 6
    Fracolli LA, Gomes MFP, Nabão FRZ, et al. Instrumentos de avaliação da Atenção Primária à saúde: revisão de literatura e metassíntese. Ciênc. Saúde Colet. [internet]. 2014 [acesso em 2019 nov 12]; 19(12):4851-4860. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/csc/v19n12/pt_1413-8123-csc-19-12-04851.pdf
    » http://www.scielo.br/pdf/csc/v19n12/pt_1413-8123-csc-19-12-04851.pdf
  • 7
    Whittemore R, Chao A, Jang M, et al. Methods for knowledge synthesis: an overview. Heart Lung. 2014; 43(5):453-61.
  • 8
    Whittemore R, Knafl K. The integrative review: updated methodology. J Adv Nurs. 2005; 52(5):546-53.
  • 9
    Flocke SA. Measuring attributes of primary care: Development of a new instrument. Journal of Family Practice. 1997; 45(1):64-74.
  • 10
    Cassady CE, Starfield B, Hurtado MP, et al. Measuring consumer experiences with primary care. Pediatrics. 2000; 105(4):998-1003.
  • 11
    Cooley WC, McAllister JW, Sherrieb K, et al. The medical home index: Development and validation of a new practice-level measure of implementation of the medical home model. Ambul Pediatr [internet]. 2003 [acesso em 2019 nov 20]; 3(4):173-180. Disponível em: https://doi.org/10.1367/1539-4409(2003)003<0173:TMHIDA>2.0.CO;2
    » https://doi.org/10.1367/1539-4409(2003)003<0173:TMHIDA>2.0.CO;2
  • 12
    Nikbakht-Van M, Pruyn JFA, Van der Rijt CCD. Function of local networks in palliative care: A Dutch view. J Palliat Med. 2005; 8(4):808-816.
  • 13
    Friedberg MW, Safran DG, Coltin KL, et al. Readiness for the patient centered medical home: Structural capabilities of Massachusetts Primary Care Practices. J Gen Intern Med. 2008; 24(2):162-9.
  • 14
    Rittenhouse DR, Casalino LP, Gillies RR, et al. Measuring the medical home infrastructure in large medical groups Health Aff (Millwood). 2008; 27(5):1246-1258.
  • 15
    Birnberg JM, Drum ML, Huang ES, et al. Development of a Safety Net Medical Home Scale for Clinics. Journal of General Internal Medicine [internet]. 2011 [acesso em 2019 nov 20]; 26(12):1418-1425. DOI: https://doi.org/10.1007/s11606-011-1767-9
    » https://doi.org/10.1007/s11606-011-1767-9
  • 16
    Rodrigues LBB, Leite AC, Yamamura M, et al. Coordenação das redes de atenção à saúde pela atenção primária: validação semântica de um instrumento adaptado. [Coordination of primary healthcare networks: Semantic validation of an adapted instrument]. Cad. Saúde Pública. 2014; 30(7):1384-1390.
  • 17
    Rodrigues LBB, Santos CB, Goyata LT, et al. Assessment of the coordination of integrated health service delivery networks by the primary health care: COPAS questionnaire validation in the Brazilian context. BMC Family Practice. 2015; 16(87):1-9.
  • 18
    Keszei A, Novak M, Streiner DL. Introduction to health measurement scales. J Psychosom Res. 2010; 68(4);319-323.
  • 19
    Olivo SA, Macedo LG, Gadotti IC, et al. Scales to assess the quality of randomized controlled trials: a systematic review. Phys Ther. 2008; 88(2):156-175.
  • 20
    Souza AC, Alexandre NMC, Guirardello EB. Propriedades psicométricas na avaliação de instrumentos: avaliação da confiabilidade e da validade. Epidemiol Serv Saude. 2017; 26(3):649-659.
  • 21
    Goodwin N. Understanding Integrated Care. Int J Integr Care. 2016; 16(4):6.
  • 22
    World Health Organization. WHO global strategy on people-centred and integrated health services: interim report [internet]. Geneva: World Health Organization, 2015 [acesso em 2019 nov 11]. Disponível em: http://www.who.int/iris/handle/10665/155002
    » http://www.who.int/iris/handle/10665/155002
  • 23
    Aleluia IRS, Medina MG, Almeida PF, et al. Coordenação do cuidado na atenção primária à saúde: estudo avaliativo em município sede de macrorregião do nordeste brasileiro. Ciênc. Saúde Colet. [internet]. 2017 [acesso em 2019 nov 20]; 22(6):1845-56. Disponível em: https://www.scielosp.org/article/ssm/content/raw/?resource_ssm_path=/media/assets/csc/v22n6/1413-8123-csc-22-06-1845.pdf
    » https://www.scielosp.org/article/ssm/content/raw/?resource_ssm_path=/media/assets/csc/v22n6/1413-8123-csc-22-06-1845.pdf
  • 24
    Vargas I, Mogollón-Pérez AS, De Paepe P, et al. Barriers to healthcare coordination in market-based and decentralized public health systems: a qualitative study in healthcare networks of Colombia and Brazil. Health Policy Plan [internet]. 2016 [acesso em 2019 nov 12]; 31(6):736-748. Disponível em: https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/pmid/26874327/
    » https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/pmid/26874327/

Datas de Publicação

  • Publicação nesta coleção
    19 Jun 2020
  • Data do Fascículo
    Dez 2019

Histórico

  • Recebido
    12 Ago 2019
  • Aceito
    31 Out 2019
Centro Brasileiro de Estudos de Saúde Av. Brasil, 4036, sala 802, 21040-361 Rio de Janeiro - RJ Brasil, Tel. 55 21-3882-9140, Fax.55 21-2260-3782 - Rio de Janeiro - RJ - Brazil
E-mail: revista@saudeemdebate.org.br