A inesperada descoberta de Otávio Ianni sobre preconceito contra descendentes de imigrantes poloneses em Curitiba* * Este ensaio tem inspiração no capítulo do mesmo autor publicado no livroKnowledge for whom? Public sociology in the making, organizado por Christian Fleck & Andreas Hess. Ver referências. Agradeço ao professor Renato Ortiz a sugestão e o incentivo para que publicasse o presente ensaio, tendo em vista o interesse para o público brasileiro.

Márcio de Oliveira Sobre o autor

Resumo

Após a pesquisa da Unesco sobre relações raciais no Brasil, Florestan Fernandes organizou e liderou uma jovem equipe para tratar do mesmo tema. A preferência recaiu então sobre os estados da Região Sul do Brasil, que não tinham feito parte da pesquisa original. Escolhidos por Florestan Fernandes, Fernando Henrique Cardoso, Roberto Jardim Moreira e Octávio Ianni fizeram parte dessa equipe. Na distribuição dos estados, coube a Ianni o Paraná e Santa Catarina, esse último conjuntamente com Fernando Henrique. Embora o objetivo da pesquisa fosse demonstrar a existência de preconceito nas relações raciais naqueles estados, Ianni ficou surpreso em descobrir também um novo preconceito, dessa feita contra imigrantes poloneses e seus descendentes, na cidade de Curitiba, capital do Paraná. Ianni investigou inicialmente a questão e publicou alguns artigos a respeito, nos quais tentou explicar o inesperado preconceito. No intuito de dar continuidade e investigar mais a fundo o fenômeno, elaborou e publicou um projeto de pesquisa sobre o tema que, contudo, nunca veio à luz.

Palavras-chave:
relações raciais; Unesco; preconceito; imigrantes poloneses; Curitiba

Departamento de Sociologia da Universidade de Brasília Instituto de Ciências Sociais - Campus Universitário Darcy Ribeiro, CEP 70910-900 - Brasília - DF - Brasil, Tel. (55 61) 3107 1537 - Brasília - DF - Brazil
E-mail: revistasol@unb.br