Accessibility / Report Error

Fungos e nematóides fitopatogênicos associados ao cultivo de flores tropicais em São Luís - MA

Fungi and phytopathogenic nematodes associated with tropical flower cultivation in São Luís – Maranhão State, Brazil

Resumos

Considerando a importância do cultivo de flores tropicais no contexto nacional e internacional, buscou-se realizar um levantamento da ocorrência de fungos e nematóides associados às mesmas, em áreas de cultivos de flores tropicais em São Luís - MA. Foram realizadas visitas periódicas, em intervalos bimestrais, nos locais onde a principal atividade era o cultivo de flores tropicais, para o monitoramento e coleta de plantas ou partes de plantas das espécies: Heliconia spp., Alpinia purpurata e Etlingera elatior com sintomatologia típica de doenças. Realizou-se, ainda, o teste de patogenicidade dos principais fungos detectados como agentes causais das manchas foliares. Os resultados obtidos confirmaram a existência de fungos associados aos cultivos de flores tropicais em São Luís, com destaque para Curvularia eragrostides (78 %), Pestalotiopsis sp. (68 %) e Colletotrichum gloeosporioides (47 %) como agentes causais de manchas foliares em espécies da família Heliconiaceae, e Curvularia eragrostides (75 %), Pestalotiopsis sp. (37 %) em espécies da família Zingiberaceae. Foram registrados oito gêneros de nematóides, tanto na família Heliconiaceae, quanto na Zingiberaceae, destacando-se o gênero Meloidogyne.

Heliconiaceae; Zingiberaceae; Doenças de flores


Considering the importance of cultivating tropical flowers in the national and international context, a survey of the occurrence of fungi and nematodes associated with tropical flowers was conducted in crop areas in São Luís - Maranhão State, Brazil. Periodic visits were made, at bimonthly intervals, to places where the main activity was tropical flower cultivation, for the monitoring and collection of plant parts or plants of the species: Heliconia spp., Alpinia purpurata and Etlingera elatior with symptoms typical of diseases. Pathogen city test was also conducted for the main pathogenic fungi detected as causal agents of leaf spots. Results confirmed the existence of fungi associated with tropical flower cultivation in São Luís, especially Curvularia eragrostidis (78%), Pestalotiopsis sp. (68%) and Colletotrichum gloeosporioides (47%) as causal agents of leaf spots in species of the family Heliconiaceae, and Curvularia eragrostidis (75%) and Pestalotiopsis sp. (37%) in species of the family Zingiberaceae. Eight nematode genera were recorded, both in the family Heliconiaceae and in the family Zingiberaceae, especially the genus Meloidogyne.

Heliconiaceae; Zingiberaceae; Flower diseases


NOTAS CIENTÍFICAS

Fungos e nematóides fitopatogênicos associados ao cultivo de flores tropicais em São Luís - MA

Fungi and phytopathogenic nematodes associated with tropical flower cultivation in São Luís – Maranhão State, Brazil

Diogo Herison Silva SardinhaI, II, * * Autor para correspondência: Diogo Herison Silva Sardinha ( diogosardinha@ifma.edu.bra). ; Antonia Alice Costa RodriguesII; Nathália Bandeira DinizII; Raimunda Nonata Santos de LemosII; Gilson Soares da SilvaII

IMestrado em Agroecologia, Universidade Estadual do Maranhão, Cidade Universitária Paulo VI, S/N, Caixa Postal 09, São Luís-MA

IIUniversidade Estadual do Maranhão, Cidade Universitária Paulo VI, S/N, Caixa Postal 09, São Luís-MA

RESUMO

Considerando a importância do cultivo de flores tropicais no contexto nacional e internacional, buscou-se realizar um levantamento da ocorrência de fungos e nematóides associados às mesmas, em áreas de cultivos de flores tropicais em São Luís - MA. Foram realizadas visitas periódicas, em intervalos bimestrais, nos locais onde a principal atividade era o cultivo de flores tropicais, para o monitoramento e coleta de plantas ou partes de plantas das espécies: Heliconia spp., Alpinia purpurata e Etlingera elatior com sintomatologia típica de doenças. Realizou-se, ainda, o teste de patogenicidade dos principais fungos detectados como agentes causais das manchas foliares. Os resultados obtidos confirmaram a existência de fungos associados aos cultivos de flores tropicais em São Luís, com destaque para Curvularia eragrostides (78 %), Pestalotiopsis sp. (68 %) e Colletotrichum gloeosporioides (47 %) como agentes causais de manchas foliares em espécies da família Heliconiaceae, e Curvularia eragrostides (75 %), Pestalotiopsis sp. (37 %) em espécies da família Zingiberaceae. Foram registrados oito gêneros de nematóides, tanto na família Heliconiaceae, quanto na Zingiberaceae, destacando-se o gênero Meloidogyne.

Palavras-chave adicionais: Heliconiaceae; Zingiberaceae; Doenças de flores.

ABSTRACT

Considering the importance of cultivating tropical flowers in the national and international context, a survey of the occurrence of fungi and nematodes associated with tropical flowers was conducted in crop areas in São Luís - Maranhão State, Brazil. Periodic visits were made, at bimonthly intervals, to places where the main activity was tropical flower cultivation, for the monitoring and collection of plant parts or plants of the species: Heliconia spp., Alpinia purpurata and Etlingera elatior with symptoms typical of diseases. Pathogen city test was also conducted for the main pathogenic fungi detected as causal agents of leaf spots. Results confirmed the existence of fungi associated with tropical flower cultivation in São Luís, especially Curvularia eragrostidis (78%), Pestalotiopsis sp. (68%) and Colletotrichum gloeosporioides (47%) as causal agents of leaf spots in species of the family Heliconiaceae, and Curvularia eragrostidis (75%) and Pestalotiopsis sp. (37%) in species of the family Zingiberaceae. Eight nematode genera were recorded, both in the family Heliconiaceae and in the family Zingiberaceae, especially the genus Meloidogyne.

Additional keywords: Heliconiaceae; Zingiberaceae; Flower diseases

Nos últimos cinco anos a média das exportações brasileiras no setor de flores e plantas ornamentais foi de US$ 32,6 milhões, segundo o Ministério do Desenvolvimento Indústria e Comércio Exterior. No entanto, o Brasil atinge menos de 0,5 % do comércio mundial de flores (4). O cultivo de flores tropicais é realizado, principalmente, nos estados de Pernambuco, Alagoas, Ceará, Bahia, Sergipe, Pará, Amazonas, Rio de Janeiro, São Paulo e no Distrito Federal (7). No estado do Maranhão, a produção de flores é recente, com maior destaque para a Ilha de São Luís, que já possui alguns produtores organizados e que comercializam sua produção na capital do Estado. Segundo o SEBRAE (10) a cadeia produtiva de flores e plantas ornamentais no Maranhão é formada por 41 produtores, sendo 14 em Paço do Lumiar, 14 em São José de Ribamar e 12 em São Luís, ocupando, ao todo, aproximadamente 35 ha. Apesar do cultivo de flores tropicais constituir uma atividade recente, o Estado possui as condições necessárias ao cultivo das flores tropicais, com uma precipitação média anual de 2.200 mm, temperatura em torno de 28 °C e extensa bacia hidrográfica, aliada às condições edafoclimáticas, oferta abundante de mão-de-obra, além do complexo portuário essencial ao escoamento da produção. Entretanto, as características edafoclimáticas que favorecem o cultivo também beneficiam o surgimento de pragas e doenças, que podem ocasionar prejuízos e reduzir a produção e a qualidade das flores.

Considerando o exposto, foram realizadas visitas periódicas, em intervalos bimestrais, nos povoados de Vassoural, Santana, Maioba, Miritiua e Anajatiua, nos quais a principal atividade é o cultivo de flores tropicais, visando a monitorar e coletar plantas ou partes de plantas das espécies: Heliconia spp, Alpinia purpurata (Vieill.) K. Schum e Etlingera elatior (Jack) R. M. Smith com sintomatologia típica de doenças e, em seguida, identificar os agentes causais dessas doenças. Esses materiais foram devidamente acondicionados em sacos de papel, identificados por local de coleta e espécie coletada e encaminhados para análise no Laboratório de Fitopatologia do Núcleo de Biotecnologia Agronômica da Universidade Estadual do Maranhão, para o diagnóstico das doenças. Para os materiais que apresentavam sintomas típicos de doenças fúngicas, após as etapas de assepsia usual (álcool 50 %, hipoclorito 3:1 e água destilada), foram retirados fragmentos do tecido lesionado e transferidos para placas de Petri contento meio de cultura Batata-Dextrose-Ágar (BDA), que foram mantidas em incubadora BOD, com temperatura de 25 °C + 2 °C e fotoperíodo de 12 horas. As identificações dos isolados foram feitas de acordo com aspectos morfológicos e com auxílio de microculturas (9). Plantas apresentando sintomatologia típica de doenças causadas por nematóides foram submetidas às análises específicas a partir da extração de nematóides de raízes e de solo da rizosfera pelos métodos de Jenkins (6) e Coolen & D'Herde (5). Os resultados de frequências foram obtidos a partir do número de amostras coletadas nas áreas de cultivo.

No levantamento da ocorrência de doenças em flores tropicais na Ilha de São Luís foi registrada a presença de 16 agentes causais de doenças, destacando-se as doenças fúngicas (Tabela 1) e as fitonematoses (Tabela 2). Os agentes causais de doenças fúngicas com maior frequência em espécies da família Heliconiaceae foram Curvularia eragrostides (Henn.) J.A. Mey. (78 %) (Figura 1. B e 1. E), Pestalotiopsis sp. (68 %) (Figura 1. B), Colletotrichum gloeosporioides (Penz) (47 %) (Figura 1. F) e Curvularia lunata (Wakker) Boedijn (38 %) (Figura 1. C). Os fungos encontrados são agentes causais de manchas foliares, responsáveis pela redução da área fotossintética e, consequentemente, redução da produtividade. Em casos mais severos de infestação, o fitopatógeno pode atacar a parte comercial da cultura e inviabilizar sua comercialização. Os sintomas observados para os fungos acima citados foram à presença de manchas com halo amarelo e formato variando em redondas, ovais e elípticas, que podiam coalescer ou não, formando grandes áreas necrosadas. A patogenicidade dos isolados foi confirmada em testes realizado em casa de vegetação com mudas de H. psitacorum cv. Golden Torch e H. bihai, as plantas inoculadas apresentarão sintomas semelhantes às condições de campo. Lins & Coelho (8) descreveram, também, o gênero Curvularia, como agente causal de manhas foliares em Heliconia chartacea, Heliconia rostrata, H. psitacorum cv. Golden Torch e Heliconia bihai. A mancha de Pestalotiopsis em Heliconia foi relatada por Serra & Coelho (11) como uma doença nova no Brasil, causada por Pestalotiopsis pauciseta. Detectou-se, ainda Fusarium oxysporum Schltdl (Figura 1. G e 1. H) e Rhizoctonia solani Kühn, associados à podridão radicular em espécies da família Heliconiaceae. As plantas possuíam como característica principal, lesões internas escurecidas na região do colo e escurecimento dos vasos, além de murcha parcial nas horas mais quentes do dia. As podridões em espécies da família Heliconiaceae já foram descritas por Lins & Coelho (8) que associaram as podridões radiculares aos fitopatógenos Fusarium oxysporum, Rhizoctonia solani e Ralstonia solanacearum (Smith) Yabuuchi et al. Em relação às espécies da família Zingiberaceae os agentes causais de doenças fúngicas mais frequentes foram C. eragrostides (75 %) (Figura 1. A) e Pestalotiopsis sp. (37 %) (Figura 1. D). A sintomatologia de Pestalotiopsis em bastão do imperador foi caracterizada por lesões na borda das folhas e frequente presença de halo amarelo. Para C. eragrostides, assim com em plantas da família Heliconiaceae, as lesões não tiveram um padrão único, apresentando-se redondas, elípticas ou sem forma definida.


Foram detectados oito gêneros de agentes causais de fitonematoses (Tabela 2) com destaque para o gênero Meloidogyne presente em 100 % das áreas analisadas. Os nematóides do gênero Meloidogyne são agentes causais de fitonematoses em diversas culturas, as fitonematoses causadas por espécies dos gêneros Meloidogyne, Radopholus, Helicotylenchus e Pratylenchus constituem um dos principais problemas fitossanitários em plantas ornamentais tropicais em Pernambuco (2). O gênero Helicotylenchus é citado como importante fitonematose na cultura da banana e que, mesmo em baixos índices de frequência, não deve ser desprezado (1). Foi observado, nas áreas de cultivo de flores tropicais na Ilha de São Luis, que os produtores transferem as mudas de um campo de produção para outro, sem os devidos cuidados com a limpeza, o que pode favorecer a disseminação e explicar a presença dos nematóides do gênero Meloidogyne em todas as áreas analisadas. Para Bala & Hosein (3), o plantio de algumas espécies em larga escala por meio de propagação vegetativa e o intercâmbio indiscriminado de germoplasma, muitas vezes sem a quarentena necessária, podem promover desequilíbrio no agroecossistema com ocorrência de doenças e pragas e disseminação dentro e entre os campos de plantio.

AGRADECIMENTOS

Ao Banco do Nordeste pelo apoio financeiro e a Universidade Estadual do Maranhão.

Data de chegada: 10/12/2011

Aceito para publicação em: 13/02/2012

  • 1. Andrade, F. W. R. de; Amorim, E. P. da R.; Eloy, A. P.;  Rufino, M. J. Ocorrência de Doenças em Bananeiras no Estado de Alagoas. Summa Phytopathologica, Botucatu, v.35, n.4, pp. 305-309, 2009.
  • 2. Assis, T.C. Fitonematóides associados a zingiberales ornamentais em Pernambuco: estimativa do número de amostras para monitoramento, efeito de indutores de resistência e avaliação de mecanismos envolvidos. 2006. 88f. Tese (Doutorado em Fitopatologia) - Universidade Federal Rural de Pernambuco, Recife.
  • 3. Bala, G.; Hosein, F. Plant-parasitic nematodes associated with anthuriums and other tropical ornamentals. Nematropica, Auburn, v. 26, p.9-14, 1996.
  • 4. Brasil. Alice Web - Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio. Exportações brasileiras no setor de flores Brasília, 2011. Disponivel em: <http://aliceweb.desenvolvimento.gov.br/> Acesso em: 9 set. 2011.
  • 5. Coolen, W.A.; D'Herde, C.J. A method for the quantitative extraction of nematodes from plant tissue Ghent: Ministry of Agriculture of Belgium, Agricultural Research Administration, 1972. 77p.
  • 6. Jenkins, W. R. A rapid centrifugal flotation technique for separating nematode from soil. Plant Disease Reporter, Beltsville, v. 48, p. 62, 1964.
  • 7. Junqueira, A. H. E.; Peetz, M. Da S. Os pólos de produção de flores e plantas ornamentais do Brasil: uma análise do potencial exportador. Revista Brasileira de Horticultura Ornamental, Campinas , v.8, n.1/2, p.25-48, 2002.
  • 8. Lins, S.R.O.; Coelho, R.S.B. Ocorrência de doenças de plantas ornamentais tropicais no Estado de Pernambuco. Fitopatologia Brasileira, Brasília, v.29, p.332, 2004.
  • 9. Menezes, M.; Assis, J.P. Guia prático de fungos fitopatogênicos Recife, UFRPE - Impressa Universitária, 2004. 106 p.
  • 10
    Sebrae. Cadeia produtiva da floricultura na grande São Luís São Luís, 2003. 61p. Disponível em: <http://www.sebrae.com.br/uf/maranhao/acesse/biblioteca-on-line>. Acesso em: 20 ago. 2011.
  • 11. Serra, I.M.R.S.; Coelho, R.S.B. Manchas de Pestalotiopsis em Helicônia: caracterização da doença e potenciais fontes de resistência. Fitopatologia Brasileira, Brasília, v.32, p. 44-49, 2007.
  • *
    Autor para correspondência: Diogo Herison Silva Sardinha (
  • Datas de Publicação

    • Publicação nesta coleção
      23 Jul 2012
    • Data do Fascículo
      Jun 2012

    Histórico

    • Recebido
      10 Dez 2011
    • Aceito
      13 Fev 2012
    Grupo Paulista de Fitopatologia FCA/UNESP - Depto. De Produção Vegetal, Caixa Postal 237, 18603-970 - Botucatu, SP Brasil, Tel.: (55 14) 3811 7262, Fax: (55 14) 3811 7206 - Botucatu - SP - Brazil
    E-mail: summa.phyto@gmail.com