Classificação histológica de 1.025 casos de linfoma de Hodgkin do Estado de São Paulo, Brasil

CONTEXTO E OBJETIVO: Tem-se afirmado correntemente que, em países industrializados, a esclerose nodular é o tipo mais freqüente de linfoma de Hodgkin, ao contrário de países em desenvolvimento, onde a celularidade mista e a depleção linfocitária são mais freqüentes. O objetivo do estudo é rever os dados histológicos de linfoma de Hodgkin das cidades de São Paulo e Campinas. TIPO DE ESTUDO E LOCAL: Transversal, por análise histopatológica, em quatro hospitais universitários e um centro oncológico de referência. MÉTODOS: 1.025 casos com o diagnóstico de linfoma de Hodgkin entre 1990 e 2000 foram coletados de cinco instituições. Em 631 (61,5%) casos fora feito estudo imunoistoquímico para os marcadores CD20, CD3, CD15 e CD30. As freqüências relativas dos tipos histológicos (informadas pelos autores que são hematopatologistas de suas respectivas instituições) foram determinadas nos diversos grupos etários e por gênero. RESULTADOS: Os tipos de linfoma de Hodgkin foram assim distribuídos: predominância linfocitária 4,8%, esclerose nodular 69,2%, celularidade mista 21,1% e depleção linfocitária 4,6%. CONCLUSÕES: Dados controversos sobre a freqüência dos tipos de linfoma de Hodgkin em nosso meio parecem ser devidos ao pequeno número de casos dos trabalhos anteriores. Nossos dados são comparáveis aos dos países industrializados.

Doença de Hodgkin; Patologia; Classificação; Linfoma maligno; Neoplasias


Associação Paulista de Medicina - APM APM / Publicações Científicas, Av. Brigadeiro Luís Antonio, 278 - 7º and., 01318-901 São Paulo SP - Brazil, Tel.: +55 11 3188-4310 / 3188-4311, Fax: +55 11 3188-4255 - São Paulo - SP - Brazil
E-mail: revistas@apm.org.br