Estudo clínico Escitalopram versus Eletroterapia no Tratamento da Depressão (ELECT-TDCS): racional e desenho de estudo de um ensaio de não inferioridade, de três braços, placebo-controlado

André Russowsky Brunoni Bernardo Sampaio-Junior Adriano Henrique Moffa Lucas Borrione Barbara Schwair Nogueira Luana Vanessa Marotti Aparício Beatriz Veronezi Marina Moreno Raquel Albano Fernandes Diego Tavares Priscila Vilela Silveira Bueno Ole Seibt Marom Bikson Renerio Fraguas Isabela Martins Benseñor Sobre os autores

CONTEXTO E OBJETIVO:

O transtorno depressivo maior (TDM) é uma condição psiquiátrica comum, tratada com medicamentos antidepressivos, os quais são limitados devido à refratariedade e efeitos adversos. Descrevemos o racional e o desenho do Estudo Clínico Escitalopram versus Eletroterapia no Tratamento da Depressão (ELECT-TDCS), que investiga um tratamento não farmacológico, conhecido como estimulação transcraniana por corrente contínua (ETCC).

DESENHO E LOCAL:

Ensaio de fase III, randomizado, de não inferioridade, de três braços, placebo-controlado, em execução em São Paulo, Brasil.

MÉTODOS:

O estudo compara a eficácia da ETCC ativa/pílula placebo, ETCC simulada/escitalopram 20 mg/dia e ETCC simulada/pílula placebo durante 10 semanas, randomizando 240 pacientes em uma proporção 3:3:2, respectivamente. O objetivo principal é demostrar que a ETCC não é inferior ao escitalopram com uma margem de não inferioridade de pelo menos 50% do efeito de escitalopram em relação ao placebo. Como objetivos secundários, investigamos biomarcadores como polimorfismos genéticos, marcadores séricos, excitabilidade cortical motora, variabilidade da frequência cardíaca e neuroimagem.

RESULTADOS:

Provar que ETCC é igualmente eficaz a antidepressivos teria um tremendo impacto na psiquiatria clínica, uma vez que a ETCC é praticamente isenta de efeitos adversos. Sua facilidade de uso, portabilidade e preço baixo são outras características atraentes para uso na atenção primária e secundária de saúde. A investigação multimodal de biomarcadores também contribuirá para a compreensão dos mecanismos de ação antidepressivos da ETCC.

CONCLUSÃO:

Os nossos resultados podem introduzir uma nova técnica no arsenal terapêutico do tratamento da depressão.

Transtorno depressivo maior; Terapia por estimulação elétrica; Citalopram; Ensaio clínico controlado aleatório; Marcadores biológicos


Associação Paulista de Medicina - APM APM / Publicações Científicas, Av. Brigadeiro Luís Antonio, 278 - 7º and., 01318-901 São Paulo SP - Brazil, Tel.: +55 11 3188-4310 / 3188-4311, Fax: +55 11 3188-4255 - São Paulo - SP - Brazil
E-mail: revistas@apm.org.br