Aspectos históricos do ensino superior de química

Historical aspects of higher learning in chemistry

O presente trabalho pretende, sem ser exaustivo, apresentar aspectos históricos essenciais relacionados com a formação do químico em nível superior, "os pequenos fatos significativos", como dizia Taine, e apresentar as características dos diferentes períodos da evolução da química como atividade acadêmica, ou como disciplina universitária, bem como os fatores decisivos para as mudanças estruturais e institucionais observadas. Não entraremos por ora no mérito de currículos, práticas, textos ou programas. Uma história que sem querer ser rankeana, do wie es wirklich gewesen ist, ("como realmente aconteceu") procura relacionar dados antes de discutir com maior profundidade os conteúdos, métodos e resultados do ensino superior de química em cada um dos períodos abordados, o que ficará para trabalhos posteriores, mas que procura inserir a química no contexto universitário como um todo. Cronologicamente, limitar-nos-emos ao período que vai da universidade medieval e da alquimia às primeiras décadas do século XIX, isto é, até a consolidação da química como disciplina universitária. Depois de uma discussão sobre a relação informal entre a alquimia e a universidade medieval, abordaremos a química (quimiatria) associada à medicina e à farmácia (séculos XVI e XVII), a química mais "aplicada" associada à metalurgia e à indústria (século XVIII), uma química independente alocada na faculdade não de medicina mas de filosofia (pela primeira vez em 1789). Na transição do século XVIII ao xix consolida-se a química como disciplina universitária.

História das instituições científicas; História da química; História do ensino superior de química; Química universitária; Química dos cursos técnicos; Química científica


Universidade de São Paulo, Departamento de Filosofia Rua Santa Rosa Júnior, 83/102, 05579-010 - São Paulo - SP Brasil, Tel./FAX: (11) 3726-4435 - São Paulo - SP - Brazil
E-mail: secretaria@scientiaestudia.org.br