Accessibility / Report Error

Agricultura familiar e as teses de doutorado no Brasil

Doctoral thesis on familiar agriculture in Brazil

Resumos

O artigo apresenta o mapeamento da produção científica em teses de doutorado sobre agricultura familiar produzidas no período de 2000 a 2009 nos programas de pós-graduação no Brasil. No Banco de Teses e Dissertações da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior, foram encontradas 153 teses que possuíam como foco principal de abordagem a agricultura familiar. Os resultados das análises realizadas mostram que: a) o desenvolvimento de teses na temática teve crescimento gradual a partir de 2000, atingindo, no ano de 2009, 33 defesas; b) destacam-se como produtoras dessas teses as instituições localizadas nas Regiões Sul e Sudeste do Brasil; c) nessas 153 teses, foram identificadas 122 teses que tratavam de temas relacionados mais diretamente ao desenvolvimento rural e 21 à produção rural propriamente dita; e 10 teses, por serem abordagens únicas, foram agrupadas em uma categoria denominada outros; d) sobressaíram as abordagens a respeito das ações, das políticas e dos atores voltadas para o desenvolvimento rural, abrangendo 73 teses, nas quais estão incluídos trabalhos que trataram de ações educativas (16 teses); políticas públicas (13 teses), gestão (10 teses), assentamentos (7 teses), associativismo (7 teses), enfoques direcionados a atores específicos (6 teses), trabalho (6 teses), pluriatividade (5 teses) e legislação (3 teses). Conclui-se que o mapeamento realizado possibilitou inventariar a produção realizada no período analisado e mostrar indícios de que as abordagens são influenciadas pelo meio e pelo contexto, visto que os estados com maior número de produção em teses sobre a temática agricultura familiar são os que apresentam a atividade desse segmento da economia mais estruturada e desenvolvida.

Agricultura familiar; Comunicação científica; Teses


This article presents collected data from doctoral thesis about familiar agriculture defended at Brazilian graduate programs recognized from 2000 to 2009. The bank of thesis and dissertations of the Coordination for the Improvement of Higher Education Personnel was used to collect data. The corpus was composed of 153 doctoral theses whose main focus was on familiar agriculture. The results indicated that: a) the number of doctoral dissertations about familiar agriculture increased after 2000, totaling 33 doctoral theses in 2009; b) the universities where the doctoral defenses occurred were mainly located in the Southern and Southeast regions of Brazil; c) 122 theses discussed rural development, 21 discussed rural production and the remaining ones discussed other specific topics; d) among the 73 dissertations that discussed rural development, 16 were related to education, 13 to public policies, 10 to management, 7 to settlement, 7 to rural associativism, 6 were devoted to specific interested parties, 6 discussed work, 5 pluriactivity, and 3 legislation. It may be concluded that the mapping enabled the collection of studies within the period analyzed and it showed evidence that these approaches are influenced by environment and context, since the states with a greater number of theses on familiar agriculture are those that have more economically structured and developed agricultural activities.

Familiar agriculture; Scientific communication; Doctoral theses


  • BARDIN, L. Análise do conteúdo Lisboa: Edições 79, 1994.
  • BOURDIEU, P. Os usos sociais da ciência: por uma sociologia clínica do campo científico. São Paulo: Unesp, 2004.
  • BRASIL. Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação. O encontro da agricultura familiar com a alimentação escolar: cartilha. Brasília: FNDE, 2009.
  • BRASIL. Ministério do Desenvolvimento Agrário. Programa nacional de fortalecimento da agricultura Brasília: MDA, 2012. Disponível em: <http://portal.mda.gov.br/portal/saf/programas/pronaf>. Acesso em: 12 maio 2012.
  • BUFREM, L.S. et al Produção científica em ciência da informação: análise temática em artigos de revistas brasileira. Perspectivas em Ciência da Informação, v.12, n.1, p.38-49, 2007.
  • CAMPELLO, B.S. Teses e dissertações. In: CAMPELLO, B.S.; CENDÓN, B.V.; KREMER, J.M. (Org.). Fontes de informação para pesquisadores e profissionais Belo Horizonte: UFMG, 2000. p.121-128.
  • COORDENAÇÃO DE APERFEIÇOAMENTO DE PESSOAL DE NÍVEL SUPERIOR. Cursos recomendados e reconhecidos Brasília: Capes, 2011. Disponível em: <www.capes.gov.br/avaliacao/cursos-recomendados-e-reconhecidos>. Acesso em: 11 nov. 2011.
  • COUZINET, V.; SILVA, E.L.; MENEZES, E.M. A ciência da informação na França e no Brasil. Datagramazero: Revista de Ciência da Informação, v.8, n.6, 2007. Disponível em: <www.dgz.org.br>
  • DANTAS, F. Responsabilidade social e pós-graduação no Brasil: idéias para (avali)ação. Revista Brasileira de Pós-Graduação, v.1, n.2, p.160-172, 2004.
  • GARVEY, W.D. Communication: the essence of science. Oxford: Pergamon, 1979.
  • GIL, A.C. Como elaborar projetos de pesquisa 3.ed. São Paulo: Atlas, 1991.
  • GOMES, S.L.R.; MENDONÇA, M.A.R.; SOUZA, C.M. Literatura cinzenta. In: CAMPELLO, B.S.; CENDÓN, B.V.; KREMER, J.M. (Org.). Fontes de informação para pesquisadores e profissionais Belo Horizonte: UFMG, 2000. p.97-110.
  • GONZÁLEZ DE GÓMEZ, M.N. Metodologia de pesquisa no campo da ciência da informação. Datagramazero: Revista de Ciência da Informação, v.1, n.6, 2000. Disponível em: <www.dgz.org.br>
  • GUANZIROLI, C. et al. Agricultura familiar e reforma agrária no século XXI Rio de Janeiro: Garamond, 2001.
  • INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA. Agricultura familiar Rio de Janeiro: IBGE, 2006. Disponível em: <http://www.ibge.gov.br/home/presidencia/noticias/noticia_visualiza.php?id_noticia=1466&id_pagina=1>. Acesso em: 5 jul. 2011.
  • KOBASHI, N.Y. Estudos de institucionalização social e cognitiva da pesquisa científica no Brasil: reflexões sobre um programa de pesquisa. In: LARA, M.L.G.; FUJINO, A.; NORONHA, D.P. (Org.). Informação e contemporaneidade: perspectivas. Recife: Néctar, 2007. p.185-197.
  • KOBASHI, N.Y.; SANTOS, R.N.M. Arqueologia do trabalho imaterial: uma aplicação bibliométrica à análise de dissertações e teses. In: ENCONTRO NACIONAL DE PESQUISA CIÊNCIA DA INFORMAÇÃO, 7., 2006, Marília. Anais.. Marília: Unesp, 2006. p.1-15.
  • KÖCHE, J.C. Fundamentos de metodologia científica: teoria da ciência e iniciação à pesquisa. Petrópolis: Vozes, 1997.
  • LIMA, M.F.B.F. Produção científica: revisão parcial da literatura brasileira com ênfase na área da agricultura. Ciência da Informação, v.22, n.3, p.233-236, 1993.
  • MEADOWS, A.J. A comunicação científica Brasília: Briquet de Lemos, 1999.
  • MIKHAILOV, A.I.; CHERNYI, A.I.; GILIAREVSKII, R.S. Scientific communications and informatics Arlington: Information Resources, 1984.
  • MIRANDA, A. A ciência da informação e a teoria do conhecimento objetivo: um relacionamento necessário. In: AQUINO, M.A. O campo da ciência da informação: gênese, conexões e especificidade. João Pessoa: UFPB, 2002. p.9-24.
  • MUELLER, S.P.M. A ciência, o sistema de comunicação científica e a literatura científica. In: CAMPELLO, B.S.; CENDÓN, B.V.; KREMER, J.M. (Org.). Fontes de informação para pesquisadores e profissionais Belo Horizonte: UFMG, 2000. p.21-34.
  • PINHEIRO, L.V.R. Gênese da ciência da informação ou sinais anunciadores da nova área. In: AQUINO, M.A. O campo da ciência da informação: gênese, conexões e especificidades. João Pessoa: UFPB, 2002. p.61-86.
  • RODRIGUES, C.M. Gênese e evolução da pesquisa agropecuária no Brasil: da instalação da corte portuguesa ao início da república. Caderno de Difusão de Tecnologia, v.4, n.1, p.21-38, 1987.
  • SARACEVIC, T. Ciência da informação: origem, evolução e relações. Perspectivas em Ciência da Informação, v.1, n.1, p.41-62, 1996.
  • SCHNEIDER, S.; CAZZELA, A.A.; MATTEI, L. Histórico, caracterização e dinâmica recente do PRONAF - Programa de Fortalecimento da Agricultura Familiar. In: SCHNEIDER, S.; SILVA, M.K.; MARQUES, P.E.M. (Org.). Políticas públicas e participação social no Brasil rural Porto Alegre: UFRGS, 2004. p.21-49.
  • SILVA, E.L.; TAVARES, A.L.L.; PEREIRA, J.P.S. O estado da arte da pesquisa sobre comunicação científica (1996-2006) realizada no Brasil no âmbito da ciência da informação. Transinformação, v.22, n.3, p.207-223, 2010.
  • STUMPF, I.R. A comunicação da ciência na universidade: o caso da UFRGS. In: MUELLER, S.; PASSOS, E. (Org.). Comunicação científica Brasília: UnB, 2000. p.107-121.
  • TARGINO, M.G. Comunicação científica: uma revisão de seus elementos básicos. Informação & Sociedade, v.10, n.2, p.67-85, 2000.
  • VELHO, L. O papel da formação de pesquisadores no sistema inovação. Ciência e Cultura, v.59, n.4, p.23-28, 2007.
  • ZIMAN, J. Conhecimento público São Paulo: USP, 1984.

Datas de Publicação

  • Publicação nesta coleção
    31 Jul 2013
  • Data do Fascículo
    Ago 2013

Histórico

  • Recebido
    13 Set 2012
  • Aceito
    18 Abr 2013
Pontifícia Universidade Católica de Campinas Núcleo de Editoração SBI - Campus II - Av. John Boyd Dunlop, s/n. - Prédio de Odontologia, Jd. Ipaussurama - 13059-900 - Campinas - SP, Tel.: +55 19 3343-6875 - Campinas - SP - Brazil
E-mail: transinfo@puc-campinas.edu.br