Accessibility / Report Error

LETRAMENTO ACADÊMICO INDÍGENA E QUILOMBOLA: UMA POLÍTICA LINGUÍSTICA AFIRMATIVA VOLTADA À INTERCULTURALIDADE CRÍTICA

INDIGENOUS AND QUILOMBOLA ACADEMIC LITERACY: AN AFFIRMATIVE LANGUAGE POLICY TOWARD CRITICAL INTERCULTURALITY

RESUMO

Este artigo busca refletir sobre um acompanhamento pedagógico intercultural crítico para o acolhimento, a integração e a permanência dos estudantes indígenas e quilombolas no ensino superior brasileiro. Mais especificamente, pretende-se construir o argumento de que as experiências universitárias desses povos tradicionais nos cursos de graduação e pós-graduação só se podem concluir satisfatoriamente se baseadas em políticas institucionais que incluam uma política linguística para falantes de línguas não-hegemônicas, no que se refere ao domínio da textualidade acadêmica em língua portuguesa. Recorre-se aos conceitos de “letramentos de re-existência”, “interculturalidade crítica” e “pedagogia decolonial” em busca de propor uma política linguística que contemple os letramentos decorrentes do contato entre línguas e culturas presentes na comunidade acadêmica - especialmente as indígenas - a partir das demandas e agenciamentos de seus próprios falantes.

Palavras-chave:
política linguística; letramento; interculturalidade; decolonialidade

UNICAMP. Programa de Pós-Graduação em Linguística Aplicada do Instituto de Estudos da Linguagem (IEL) Unicamp/IEL/Setor de Publicações, Caixa Postal 6045, 13083-970 Campinas SP Brasil, Tel./Fax: (55 19) 3521-1527 - Campinas - SP - Brazil
E-mail: spublic@iel.unicamp.br