Comparação dos Indicadores Emocionais do Teste de Pfister entre Meninos e Meninas Cearenses

Lucila Moraes Cardoso Luana Batista Bessa Rebeca de Moura Targino Sobre os autores

Resumo

A necessidade, cada vez mais emergente, de instrumentos psicológicos que se caracterizem pelo rigor científico, atestado por meio de suas qualidades psicométricas, impulsiona o desenvolvimento de estudos que busquem evidências de validade de testes psicológicos. Neste estudo objetivou-se buscar por evidências de validade para o Teste de Pfister por meio da comparação entre sexos. O presente estudo foi realizado com 197 crianças da capital cearense, sendo 46% do sexo masculino e 54% do sexo feminino, utilizando o Teste das Pirâmides Coloridas de Pfister, como instrumento principal, e o Teste das Matrizes Progressivas Coloridas de Raven, como instrumento de rastreio do desempenho intelectual dos participantes. Após análises estatísticas e interpretação dos dados, verificou-se uma predominância na escolha das cores azul, verde e preto por parte dos meninos, especialmente em tons mais escurecidos, o que pode indicar controle relacionado às emoções, enquanto as meninas fizeram uso mais frequente das cores violeta e vermelho, ambas no tom mais claro, o que se remete culturalmente à feminilidade e pode sugerir impulsividade. Conclui-se que há diferenças estatisticamente significativas nas escolhas das cores entre meninos e meninas, o que pode ser compreendido como uma contribuição aos estudos de evidências de validade do Teste de Pfister.

Palavras-chave:
Validade do teste; Teste das Pirâmides Coloridas; sexo

Sociedade Brasileira de Psicologia R. Florêncio de Abreu, 681/1005 - CEP 14015-060 / Ribeirão Preto - SP, Brasil - Ribeirão Preto - SP - Brazil
E-mail: comissaoeditorial@sbponline.org.br