Funcionalidade nos estágios inicial e final da esquizofrenia

Leonardo Gazzi Costa Raffael Massuda Mariana Pedrini Ives Cavalcante Passos Leticia Sanguinetti Czepielewski Elisa Brietzke Clarissa S. Gama Sobre os autores

INTRODUÇÃO:

A esquizofrenia está frequentemente associada a um curso debilitante e a um importante comprometimento no funcionamento social e ocupacional. Embora os critérios para classificação em diferentes estágios ainda não tenham sido definidos, a duração da doença e a funcionalidade têm sido apontadas como bons candidatos.

OBJETIVO:

Comparar a funcionalidade de indivíduos com esquizofrenia no estágio inicial e final com controles saudáveis correspondentes em idade e sexo.

MÉTODOS:

Neste estudo caso-controle, duplo-cego, foram incluídos 79 pacientes: 23 com diagnóstico de esquizofrenia feito até 5 anos atrás (estágio inicial); 19 diagnosticados há pelo menos 20 anos (estágio final); e controles saudáveis pareados. O diagnóstico foi estabelecido pela Entrevista Clínica Estruturada para Transtornos do Eixo I do Manual Diagnóstico e Estatístico de Transtornos Mentais, 4ª edição (DSM-IV). A funcionalidade foi avaliada através da escala Teste Breve de Avaliação Funcional (FAST).

RESULTADOS:

Os pacientes em estágio inicial tiveram escores significativamente maiores do que controles saudáveis na escala FAST (escore total e domínios autonomia, funcionamento ocupacional, funcionamento cognitivo e relações interpessoais). Os indivíduos em estágio final apresentaram funcionalidade pior que os controles em todos os domínios. A comparação entre os dois grupos não mostrou diferenças, exceto no funcionamento ocupacional, em que os pacientes em estágio final apresentaram um desempenho pior.

CONCLUSÃO:

O prejuízo da funcionalidade na esquizofrenia tende a permanecer estável ao longo da doença. Portanto, a funcionalidade deve ser avaliada nos estágios iniciais da doença, já que a duração da doença por si só pode não ser o critério mais confiável para definir o estágio de pacientes com esquizofrenia.

Cognição; funcionalidade; psicose; esquizofrenia; estadiamento


Associação de Psiquiatria do Rio Grande do Sul Av. Ipiranga, 5311/202, 90610-001 Porto Alegre RS/ Brasil, Tel./Fax: (55 51) 3024 4846 - Porto Alegre - RS - Brazil
E-mail: trends@aprs.org.br