Ansiedade traço versus ansiedade estado em diferentes situações de ameaça

Pollyana Caldeira Leal Tiago Costa Goes Luiz Carlos Ferreira da Silva Flavia Teixeira-Silva Sobre os autores

Resumo

Objetivo

A ansiedade como um construto uni ou multidimensional tem estado em discussão. A abordagem unidimensional presume que há uma ansiedade-traço geral, a qual predispõe o indivíduo a aumentar a ansiedade-estado em situações de ameaça. Neste caso, deveria existir uma correlação entre estado e traço ansioso em diferentes situações ameaçadoras. Portanto, o objetivo deste estudo foi avaliar a correlação entre ansiedade-traço e ansiedade-estado em participantes que foram expostos a duas situações ansiogênicas diferentes: ameaça interpessoal (Teste de Stroop Monitorado por Vídeo – TSMV) e ameaça física (exodontia do terceiro molar – ETM).

Métodos

Participantes com vários níveis de ansiedade-traço (traço geral: Inventário de Ansiedade Traço-Estado – IDATE; Escala Hospitalar de Ansiedade e Depressão; traço específico: Inventário de Fobia Social, Escala de Ansiedade Dental de Corah) tiveram seus estados ansiosos avaliados (IDATE, escala analógica de tensão, frequência cardíaca, eletromiografia) antes, durante e depois do TSMV ou da ETM.

Resultados

No TSMV, a ansiedade-traço correlacionou-se com a ansiedade-estado (parâmetros psicológicos) em todas as fases do teste. Entretanto, na ETM, a única medida de traço que se correlacionou com a ansiedade-estado (parâmetros psicológicos) foi a Escala de Ansiedade Dental de Corah.

Conclusão

A ansiedade-traço correlaciona-se positivamente com a ansiedade-estado em situações de ameaça interpessoal, mas não de ameaça física.

Ansiedade; personalidade; escala de ansiedade frente a teste

Associação de Psiquiatria do Rio Grande do Sul Av. Ipiranga, 5311/202, 90610-001 Porto Alegre RS/ Brasil, Tel./Fax: (55 51) 3024 4846 - Porto Alegre - RS - Brazil
E-mail: trends@aprs.org.br