Trends in Psychiatry and Psychotherapy, Volume: 37, Issue: 1, Published: 2015
  • Variation of plasma cortisol levels in patients with depression after treatment with bilateral electroconvulsive therapy Original Articles

    Burgese, Daniel Fortunato; Bassitt, Débora Pastore

    Abstract in Portuguese:

    Introdução: Mais de 60 anos após a introdução da moderna psicofarmacologia, a eletroconvulsoterapia (ECT) continua essencial para o tratamento de distúrbios mentais, mas seu mecanismo de ação ainda não é totalmente conhecido. Certos hormônios têm um papel fundamental no desenvolvimento e expressão de uma série de alterações comportamentais. Um aspecto da influência dos hormônios nos comportamentos é sua contribuição potencial para a patofisiologia dos distúrbios psiquiátricos e o mecanismo de ação de psicotrópicos e da ECT. Objetivo: Os níveis do hormônio cortisol no sangue foram medidos em pacientes com depressão unipolar classificados de acordo com a 4ª edição do Manual Estatístico e Diagnóstico de Transtornos Mentais (DSM-IV), e os resultados foram comparados com os níveis encontrados em adultos saudáveis. Métodos: Os níveis de cortisol no sangue foram medidos antes do início do tratamento com ECT, na sétima e na última sessão, após a conclusão do tratamento. Os sintomas de depressão foram avaliados usando o Inventário de Depressão de Beck (BDI). Resultados: Os níveis de cortisol permaneceram estáveis tanto nos pacientes masculinos quanto femininos entre a sétima e a última sessão de ECT; os valores variaram 0,686±9,6330 g/ dL entre as pacientes femininas, e houve uma diminuição de 5,825±6,0780 g/dL (p = 0,024). O número médio de sessões de ECT foi 12. Após a sétima e a última sessão de ECT, os níveis de cortisol nos pacientes com depressão e nos indivíduos no grupo controle foram semelhantes, enquanto os resultados da escala BDI permaneceram diferentes. Conclusão: Os níveis de cortisol diminuíram durante o tratamento com ECT. A ECT parece atuar como reguladora do eixo hipotalâmico-hipofisário-adrenal.

    Abstract in English:

    Introduction: More than 60 years after the introduction of modern psychopharmacology, electroconvulsive therapy (ECT) continues to be an essential therapeutic modality in the treatment of mental disorders, but its mechanism of action remains unclear. Hormones play an essential role in the development and expression of a series of behavioral changes. One aspect of the influence of hormones on behavior is their potential contribution to the pathophysiology of psychiatric disorders and the mechanism of action of psychotropic drugs and ECT. Objective: We measured blood levels of the hormone cortisol in patients with unipolar depression according to the Diagnostic and Statistical Manual of Mental Disorders, 4th edition (DSM-IV) and compared results with levels found in healthy adults. Method: Blood cortisol levels were measured before the beginning of treatment with ECT, at the seventh session, and at the last session, at treatment completion. Depression symptoms were assessed using the Beck Depression Inventory (BDI). Results: Cortisol levels remained stable in both men and women between the seventh and the last sessions of ECT; values ranged from 0.686±9.6330 g/dL for women, and there was a mean decrease of 5.825±6.0780 g/dL (p = 0.024). Mean number of ECT sessions was 12. After the seventh and the last ECT sessions, patients with depression and individuals in the control group had similar cortisol levels, whereas BDI scores remained different. Conclusion: Cortisol levels decreased during ECT treatment. ECT seems to act as a regulator of the hypothalamic-pituitaryadrenal axis.
  • Cross-cultural adaptation of the Spence Children's Anxiety Scale in Malaysia Original Articles

    Ahmadi, Atefeh; Mustaffa, Mohamed Sharif; Haghdoost, AliAkbar; Khan, Aqeel; Latif, Adibah Abdul

    Abstract in Portuguese:

    Introdução: A ansiedade infantil tem crescido em anos recentes. Questionários culturalmente adaptados e desenvolvidos para medir o nível de ansiedade são os melhores instrumentos de triagem para a população em geral. Este estudo descreve a tradução e adaptação científica da Escala de Ansiedade Infantil de Spence para a língua malásia. Método: O processo de tradução científica deste instrumento de autorrelato seguiu as orientações da Força-Tarefa para a Tradução e Adaptação Cultural da International Society for Pharmacoeconomics and Outcomes Research (ISPOR). Resultados: A versão malásia e sua adaptação para um novo contexto cultural são descritas. Conclusão: A versão malásia atingiu os objetivos da versão original e sua equivalência conceitual e operacional. Poderá ser usada como o primeiro instrumento malásio para medir ansiedade entre crianças em contextos de pesquisa, clínicos ou comunitários.

    Abstract in English:

    Introduction: Anxiety among children has increased in recent years. Culturally adapted questionnaires developed to measure the level of anxiety are the best screening instruments for the general population. This study describes the scientific translation and adaptation of the Spence Children's Anxiety Scale (SCAS) into the Malay language. Method: The process of scientific translation of this selfreport instrument followed the guidelines of the Task Force for Translation and Cultural Adaptation of the International Society for Pharmacoeconomics and Outcomes Research (ISPOR). Results: The Malay version and its adaptation for a new cultural context are described. Conclusion: The Malay version achieved the aims of the original version and its conceptual and operational equivalence. It may be used as the first Malay instrument to measure anxiety among children in research and in clinical and community settings.
  • Translation and cross-cultural adaptation of the Brazilian Portuguese version of the Driving Anger Scale (DAS): long form and short form Original Articles

    Cantini, Jessye Almeida; Santos, George Oliveira; Machado, Eduardo de Carvalho; Nardi, Antonio Egídio; Silva, Adriana Cardoso

    Abstract in Portuguese:

    Introdução: A raiva na direção de veículos tem atraído a atenção de pesquisadores nos últimos anos, pois pode induzir as pessoas a dirigirem agressivamente ou a adotarem comportamentos de risco. A Driving Anger Scale (DAS) foi criada a fim de avaliar a propensão de motoristas a se tornarem agressivos ou raivosos enquanto dirigem. Este estudo descreve a adaptação transcultural de uma versão brasileira da forma longa e da forma curta da DAS. Método: O processo consistiu em quatro passos: duas traduções e duas retrotraduções elaboradas por avaliadores independentes; elaboração de uma versão sintética por quatro especialistas em saúde mental e comportamentos na direção bilíngues; posterior aplicação experimental; e, finalmente, investigação da equivalência operacional. Resultados: Foram definidas e são apresentadas as versões finais da forma longa e da forma curta da DAS em português brasileiro. Conclusões: Este importante instrumento, que mensura a raiva na direção e comportamentos agressivos, está agora disponível para avaliar os comportamentos na direção da população brasileira, facilitando a pesquisa nesse campo de estudo.

    Abstract in English:

    Introduction: Driving anger has attracted the attention of researchers in recent years because it may induce individuals to drive aggressively or adopt risk behaviors. The Driving Anger Scale (DAS) was designed to evaluate the propensity of drivers to become angry or aggressive while driving. This study describes the cross-cultural adaptation of a Brazilian version of the short form and the long form of the DAS. Methods: Translation and adaptation were made in four steps: two translations and two back-translations carried out by independent evaluators; the development of a brief version by four bilingual experts in mental health and driving behaviors; a subsequent experimental application; and, finally, an investigation of operational equivalence. Results: Final Brazilian versions of the short form and of the long form of the DAS were made and are presented. Conclusions: This important instrument, which assesses driving anger and aggressive behaviors, is now available to evaluate the driving behaviors of the Brazilian population, which facilitates research in this field.
Associação de Psiquiatria do Rio Grande do Sul Av. Ipiranga, 5311/202, 90610-001 Porto Alegre RS/ Brasil, Tel./Fax: (55 51) 3024 4846 - Porto Alegre - RS - Brazil
E-mail: trends@aprs.org.br