Posições sociais de origem e recrutamento político: um estudo dos senadores brasileiros

Resumo

O artigo discute metodologias para a definição, classificação e mensuração de posições sociais de origem e sua influência para compreender processos de recrutamento da elite política. Apresentamos algumas estratégias teóricas e metodológicas para classificar a variável “ocupação prévia à carreira política” e sugerimos o uso de mais de um indicador para essa medida. Argumentamos que uma tipologia que leve em conta características tanto sociais como políticas é a melhor maneira de compreender as transformações nos padrões de recrutamento parlamentar ao longo do século XX. O primeiro modelo testado por nós classificou os senadores brasileiros eleitos entre 1918 e 2010 nas ocupações de origem convencionalmente utilizadas em estudos sobre elites políticas. O segundo modelo procurou mudar a codificação das ocupações. Concluímos com uma nova sugestão de classificação resultante de uma tipologia sensível à variação dos valores atribuídos às ocupações profissionais ao longo da história.

Recrutamento político; Classe política; Ocupações profissionais; Medição de posições sociais; Senadores brasileiros

Departamento de Sociologia da Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas da Universidade de São Paulo Av. Prof. Luciano Gualberto, 315, 05508-010, São Paulo - SP, Brasil - São Paulo - SP - Brazil
E-mail: temposoc@edu.usp.br