Vibrant: Virtual Brazilian Anthropology, Volume: 15, Issue: 3, Published: 2018
  • Ruth Landes and the remaking of the anthropological canon Article

    Oliveira Filho, José Hildo de

    Abstract in Portuguese:

    Resumo O presente artigo utiliza uma série de insights feministas, queer e pós-coloniais para analisar as contribuições de Ruth Landes à antropologia social. Por todo o texto, a trajetória acadêmica e a biografia de Landes são amplamente utilizadas para que se entenda o seu jeito único de escrever etnografias. Como tento mostrar, Cidade das Mulheres (originalmente publicado em 1947) não segue tropos antropológicos clássicos presentes nas etnografias dos anos 1930 e 1940. E a rejeição de modos canônicos de escrita etnográfica não é somente uma escolha estética, mas o resultado da trajetória social de Ruth Landes. Neste sentido, Cidade das Mulheres é um importante trabalho para entendermos os desafios presentes na escrita de textos etnográficos.

    Abstract in English:

    Abstract This article analyses Ruth Landes’ contributions to social anthropology based on a series of feminist, queer and postcolonial insights. Landes’ academic trajectory and her biography are used to understand her unique form of writing ethnographies. I try to show that “The City of Women” (originally published in 1947) does not follow classic anthropological tropes present in ethnographies in the 1930s and 1940s. Her rejection of canonical ways of writing is not only a stylistic choice but a result of Landes’ social trajectory. For this reason, “The City of Women” is an essential work in the effort to understand the ever-present challenges posed by writing ethnographic texts.
  • Presentación Dossier “gramáticas De La (¿post?) Violencia: Identidades, Guerras, Cuerpos Y Fronteras”

    Villalón, Adriana M.; Cabanillas, Natalia
  • Del ahogado el sombrero, a manera de manifiesto: esbozos para una crítica al discurso transicional Dossier “gramáticas De La (¿post?) Violencia: Identidades, Guerras, Cuerpos Y Fronteras”

    Castillejo Cuéllar, Alejandro

    Abstract in Portuguese:

    Resumo Este texto-manifesto é o produto de meu trabalho de pesquisa e de meu vínculo de muitos anos com organizações de vítimas de violência em diversos lugares no mundo. Reivindica a necessidade de ler os “cenários de transição”, seus discursos, pressupostos subjacentes e práticas concretas como parte de modelos globais de administração dos efeitos da violência em contextos concretos: uma interseção entre o domínio do global (os direitos humanos ou os padrões internacionais de justiça, verdade e reparação) e suas metamorfoses com teorias locais do dano. Este texto é assim um destilado histórico, teórico e etnográfico sobre a noção de “transição” e sobre a experiência de sociedades que aplicam práticas que buscam fazer um trânsito entre a violência (entendida de muitas maneiras) à chamada pós-violência.

    Abstract in Spanish:

    Resumen Este texto-manifiesto es producto de mi trabajo de investigación y mi vinculación de largo aliento con organizaciones de víctimas de violencia en diversos lugares en el mundo. Plantea la necesidad de leer los “escenarios transicionales”, sus discursos, presupuestos subyacentes y prácticas concretas, como parte de modelos globales de administración de los efectos de la violencia en contextos concretos: una intersección entre el dominio de lo global (los derechos humanos o los estándares internacionales de justicia, verdad y reparación) y su metamorfosis con teorías locales del daño. Este texto es entonces un destilado histórico, teórico y etnográfico sobre la noción de “transición”, y sobre la experiencia de sociedades que aplican prácticas que buscan hacer un tránsito de la violencia (entendida de muchas maneras) a la llamada post-violencia.
  • “The sound of silenced voices”: mobilizations, connections and demands in the investigation of slavery in Brazil Dossier “gramáticas De La (¿post?) Violencia: Identidades, Guerras, Cuerpos Y Fronteras”

    Pinheiro, Márcia Leitão

    Abstract in Portuguese:

    Resumo A Comissão da Verdade (CV), dispositivo de gestão de transição política, tem sido apropriada por advogadas/os e organizações do Movimento Negro no Brasil. Com isso, eles formam um cenário voltado a criticar a escravidão e a interrogar a sociedade brasileira acerca de seus efeitos e do racismo entre a população afro-brasileira. Ao focalizar documentos e vídeos relacionados a esse cenário, assim como material proveniente de entrevistas e observação direta das atividades pesquisadas, busco ressaltar como especialistas negros articulam conhecimentos e experiências pessoais e coletivas com o propósito de reelaborar a escravidão, redefinida como crime, e que aparece como força comprometedora do presente e do futuro da sociedade brasileira. Esses especialistas inscrevem uma concepção de tempo que tem a ver com a tensão estabelecida com a historiografia da escravidão e as situações relacionadas com o desaparecimento de pessoas de modo a construir uma memória da escravidão e reivindicar reparação histórica.

    Abstract in English:

    Abstract The Truth Commission (CV), a mechanism created to help manage the political transition from dictatorship to democracy in Brazil, has been appropriated by lawyers and Black movement organizations in Brazil. This appropriation has allowed them to criticize slavery and question Brazilian society about the long-term effects of forced labor and about the persistence of racism towards Afro-Brazilians. In the present article, I seek to highlight how Black scholars connect personal knowledge and experience to theory for the purpose of reshaping the concept of slavery. I focus on documents and videos related to this scenario, as well as data taken from interviews and the direct observation of the activities I have researched. Slavery is defined as a crime. It thus emerges as a power that is capable of endangering the present and future of Brazilian society. The specialists I analyze here ascribe to a conception of time related to the tension established with the historiography of slavery, as well as situations related to the disappearance of individuals. In this way, they seek to construct a memory of slavery and demand historical reparations.
  • Akroá-Gamella: territorial struggles and narratives of violence in the Baixada Maranhense Dossier “gramáticas De La (¿post?) Violencia: Identidades, Guerras, Cuerpos Y Fronteras”

    Leal, Caroline

    Abstract in Portuguese:

    Resumo O povo Akroá-Gamella vive no estado do Maranhão, nordeste do Brasil, e passa a ter ampla visibilidade no cenário nacional e internacional como vítimas de um ação genocida planejada por setores do agronegócio durante evento denominado “Movimento pela Paz”, em abril de 2017. Este artigo propõe uma etnografia dos padrões de violência que operam para a manutenção da desigualdade no poder dos indígenas em relação às organizações políticas que controlam o trabalho e a propriedade privada na Baixada Maranhense. O texto inicia com um breve histórico do processo de territorialização desencadeado pelos Akroá-Gamella na última década, seguido de uma descrição analítica da cartografia dos conflitos decorrentes da insurgência política deste povo. Focaliza ainda os conteúdos implícitos e de ordem objetiva nas práticas que sustentam as violências físicas e simbólicas a partir da perspectiva indígena, dando ênfase às lutas empreendidas na defesa do território e do direito a existir.

    Abstract in English:

    Abstract The Akroá-Gamella people reside in the State of Maranhão, in the northeast region of Brazil. They began to experience broad visibility, on national and international levels, as victims of a genocidal action contrived by agribusiness sectors, following an event named “Movement for Peace” in April 2017. This article sets forth an ethnography of patterns of violence that serve to maintain power inequalities between indigenous peoples and political organisations that control work and private property in the Baixada Maranhense. The text begins with a brief historical overview of the territorialisation process set in motion by the Akroá-Gamella in the last decade, followed by an analytical description of the cartography of conflicts derived from this people’s political insurgence. The text also focuses on implicit and objective contents in practices that sustain symbolic and physical violence from the Indians’ perspective, emphasising struggles undertaken in defence of territory and the right to existence.
  • Tragic Metamorphosis in the Colombian Amazon: The Body in the Games of War and Peace Dossier “gramáticas De La (¿post?) Violencia: Identidades, Guerras, Cuerpos Y Fronteras”

    Tobón, Marco

    Abstract in Portuguese:

    Resumo Em novembro de 2016, depois de mais de 53 anos de confronto armado, a guerrilha das FARC e o Estado colombiano pactuaram o fim de uma das guerras mais dolorosas da América Latina. Entre os corpos que combateram na guerra se encontravam corpos indígenas, entre eles, indígenas da Amazônia colombiana, alguns pertencentes aos povos murui-muina, nonuya, muinane e andoke. Desde a perspectiva destes povos, fazer a guerra implica admitir a transformação do corpo, tornar-se outro, deixar de ser, perder-se ou metamorfosear-se. Seres submetidos às tiranias da predação. Retomando esta perspectiva, este artigo responderá, invocando os métodos etnográficos, duas perguntas: qual é o tratamento social dado a alguns jovens indígenas que, por alguma ração, ingressaram em algum grupo armado, guerrilha ou exército? E, depois do acordo de paz, como são recebidos de volta aos territórios indígenas os jovens guerreiros que se desarmaram?

    Abstract in Spanish:

    Resumen En noviembre de 2016, después de más de 53 años de enfrentamiento armado, la guerrilla de las FARC (Fuerzas Armadas Revolucionarias de Colombia) y el Estado colombiano pactaron el fin de una de las guerras más dolorosas de América Latina. Entre los cuerpos que combatieron en la guerra se encontraban cuerpos indígenas, y entre estos, indígenas de la Amazonia colombiana, algunos pertenecientes a los pueblos murui-muina, nonuya, muinane y andoke. Desde la perspectiva de estos pueblos, hacer la guerra supone admitir la transformación del cuerpo, tornarse otro, dejar de ser, perderse o metamorfosearse. Siguiendo esta perspectiva, este artículo busca responder, invocando los métodos etnográficos, dos interrogantes: el primero, ¿cuál es el tratamiento social dado a algunos jóvenes indígenas que, por diferentes razones, ingresaron a los grupos armados, guerrilla o ejército? Y el segundo: luego del acuerdo de paz, ¿cómo son recibidos los jóvenes indígenas guerreros que vuelven al territorio sin armas?

    Abstract in English:

    Abstract In november 2016, after more than 53 years of armed confrontation, the FARC guerrillas and the Colombian State agreed on the end of one of the most painful wars in Latin America. Among the bodies that fought in the war were indigenous bodies, among them, indigenous people from the colombian Amazon, such as some belonging to the murui-muina, nonuya, muinane and andoke. From the perspective of them, making war supposes to admit the transformation of the body, to become another, to stop being, to lose or to metamorphose. They are submited to the tyranny of predation. Taking this perspective, this article will answer, by invoking ethnographic methods, two questions: what is the social treatment given to some young indians who, by some reason, joined an armed group, guerrilla or army? And, after the peace agreement, how these young indigenous are going to be receive at their territory when they return unarmed?
  • Land as Home: Women, Life and Violence in Land Conflicts Dossier “gramáticas De La (¿post?) Violencia: Identidades, Guerras, Cuerpos Y Fronteras”

    Ayoub, Dibe

    Abstract in Portuguese:

    Resumo Neste trabalho, busco compreender como mulheres problematizam experiências de violência vividas em conflitos por terra em Pinhão, Paraná, sul do Brasil. Conflitos por terra avançam sobre os solos de existência de famílias e comunidades inteiras, afetando diretamente as casas, lugares que dão materialidade à ocupação da terra e onde laços de pertencimento entre pessoas e territórios são construídos. A terra é lar, de modo que a violência nesses conflitos é também enfrentada por mulheres e envolve relações de gênero. Nas histórias delas, a violência é considerada a partir da ética da vida em família e comunidade e emerge como atos concretos: mortes, incêndios contra casas, ameaças, emboscadas, despejos. Tais atos adentram o convívio entre pessoas, permanecendo no cotidiano e nas relações que constituem comunidades rurais.

    Abstract in English:

    Abstract This work analyses how women question experiences of violence in land conflicts in Pinhão, Paraná, Southern Brazil. Land conflicts strike at the very foundation of the livelihood of families and communities, having a direct bearing on houses, which are places that objectify the occupation of the land and where ties of belonging between subjects and territories are woven. Land is home; land and violence are therefore also constituted as problems for women and as matters that encompass gender relations. In women’s narratives, violence is appraised through ethical ways of family and community living, and emerges in the following concrete acts: killings, house fires, threats, ambushes, and evictions. These acts intrude on the enduring conviviality of everyday life and the relations that compose communities.
  • Deserving victimhood: kinship, emotions and morality in contemporary politics Dossier “gramáticas De La (¿post?) Violencia: Identidades, Guerras, Cuerpos Y Fronteras”

    Vecchioli, Virginia

    Abstract in Portuguese:

    Resumo Este artigo trata sobre o lugar dos valores familiares, das relações de parentesco e dos sentimentos de compaixão para com as vítimas na política. Sob a base da descrição de vários affaires públicos relativos aos familiares de desaparecidos políticos na Argentina, apresento o lugar chave que ocupam os laços de sangue e os valores familiares na conformação de uma representação política legitima. Se a reivindicação dos laços de sangue com as vítimas constituiu uma forma legitima de representação política desde o início da democracia, a partir dos últimos quatorze anos os sentimentos para com as vítimas fizeram seu ingresso ao Estado, fazendo possível que ele seja imaginado também como uma vítima. Analiso o valor destas disposições afetivas, o lugar chave dado ao sofrimento das vítimas na criação de formas de governamentalidade e o papel significativo que tem o Estado na distribuição desigual destes sentimentos de compaixão.

    Abstract in Spanish:

    Resumen Este artículo trata sobre el valor de los valores familiares, las relaciones de parentesco y los sentimientos de compasión con las víctimas en la política contemporánea. Tomando como punto de partida el análisis de una serie de eventos públicos relacionados con los familiares de los desaparecidos en la Argentina, analizo el lugar central que ocupan los vínculos de sangre y los valores de la familia en la conformación de una representación política legítima. Mientras que la reivindicación de un vínculo de sangre con las víctimas se instituyó como una forma de representación política legítima desde el retorno a la democracia, a lo largo de la última década, los sentimientos de compasión hacia las víctimas hicieron su ingreso al Estado, haciendo posible que sea imaginado como una víctima. Analizo en este trabajo el valor de estas disposiciones afectivas, el lugar crítico que ocupa el sufrimiento de las víctimas en la creación de formas de governamentalidad y el papel significativo que tiene el Estado en la distribución desigual de sentimientos de compasión.

    Abstract in English:

    Abstract This paper is about the place of family values, kinship relations and feelings of compassion for victims in national public space. Setting out from a description of various public affairs concerning the relatives of disappeared in Argentina, I show the key role played by blood ties and family values in forming a legitimate political representation. While the claim of blood ties with victims had been instituted as a legitimate form of political representation ever since the return to democracy, over the last decade or so sentiments towards victims have become incorporated into the State, enabling the latter to be imagined as a victim too. Here I explore diverse assessments of these affective dispositions, the critical place attributed to suffering in forging forms of governmentality, and the significant role played by the State in the unequal distribution of feelings of compassion.
  • Our dead and disappeared: reflections on the construction of the notion of political disappearance in brazil Dossier “gramáticas De La (¿post?) Violencia: Identidades, Guerras, Cuerpos Y Fronteras”

    Azevedo, Desirée de Lemos

    Abstract in Portuguese:

    Resumo A partir de material etnográfico e documental, o presente artigo analisa a construção social do desaparecimento político no Brasil. Argumenta que menos do que um fenômeno a ser auferido da realidade, trata-se de uma categoria produzida em e produtora de um campo social, um ponto de convergência de debates e ações de atores e instituições. O objetivo é mostrar os discurso que funcionam como verdadeiros acerca do fenômeno no Brasil, bem como os métodos, procedimentos, instâncias e disputas por meio dos quais eles são sancionados enquanto tais. Aborda ainda a relação intrínseca desse processo com a produção de comunidades políticas, ao destacar a centralidade enunciadora do movimento de familiares de mortos e desaparecidos políticos. Na conclusão, aponta algumas implicações sociais resultantes da delimitação de uma violência politicamente relevante.

    Abstract in English:

    Abstract Based on ethnographic and documentary material, this article analyzes the social construction of political disappearance in Brazil. It argues that less than a phenomenon to be captured from reality, it is a category produced in and a producer of a social field, a point of convergence of debates and actions of actors and institutions. The objective is to show the discourses that function as truths about the phenomenon in Brazil, as well as the methods, procedures, forums and disputes by which they are sanctioned as such. It also addresses the intrinsic relation of this process with the production of political communities by focusing on the discourse of the movement of families of the killed and disappeared political actors. In conclusion, it points to some social implications that result from delimiting what is politically relevant violence.
  • Los pueblos del campo y los desafíos alrededor de la justicia transicional en Brasil Dossier “gramáticas De La (¿post?) Violencia: Identidades, Guerras, Cuerpos Y Fronteras”

    Novais, Adriana Rodrigues

    Abstract in Portuguese:

    Resumo Ao ser constituída pelo Governo Federal, em 2012, a Comissão Nacional da Verdade abriu um novo campo de disputas em torno da Memória, Verdade e Justiça, sobre o período da ditadura civil-militar (1964-1988), principalmente em função da entrada de novos sujeitos em cena, particularmente camponeses e indígenas que, ao longo do período de redemocratização, haviam consolidado sua organização político-institucional, reconhecimento público e conquista de alguns direitos e políticas sociais por meio de inúmeras lutas. A entrada desses novos sujeitos, porém, não ocorreu sem resistências - inclusive de outros sujeitos que protagonizaram o debate público sobre memória da ditadura até aquele momento, colocando em evidência os limites da Justiça de Transição, tanto do ponto de vista conceitual e jurídico, quanto do ponto de vista do imaginário social, das contradições de classe e de cultura, do corte rural e urbano, entre outras. Esse artigo tem como objetivo debater sobre o arcabouço conceitual e normativo que estabelece os critérios que qualifica as vítimas como “mortos e desaparecidos políticos”, ao mesmo tempo em que esse lugar não cabe a outras tantas vítimas. Essa reflexão tomará como base o relatório produzido pela Comissão Nacional da Verdade, comparado com o que foi produzido pela Comissão Camponesa da Verdade e com os relatórios produzidos pelos povos indígenas, especialmente o relatório sobre o povo Waimiri-Atroari. Esse processo de compreensão reflexivo-analítico se realiza para, então, pensar os sentidos desta luta por Memória, Verdade e Justiça nos dias atuais, no contexto de violência continuada, e os desdobramentos dessa luta para os povos do campo.

    Abstract in Spanish:

    Resumen La Comisión Nacional de la Verdad, constituida por el Gobierno Federal brasileño en 2012, abrió un nuevo campo de disputas en torno de la Memoria, Verdad y Justicia sobre el período de la dictadura cívico-militar (1964-1988). Esto se debió a la entrada en escena de nuevos sujetos, principalmente campesinos e indígenas, quienes, a lo largo del período de redemocratización, habían consolidado, por medio de diversas luchas, su organización político-institucional, un mayor reconocimiento público y la conquista de algunos derechos y políticas sociales. Sin embargo, el ingreso de estos nuevos actores generó resistencias, incluso de sujetos que habían protagonizado hasta ese momento el debate público sobre memoria acerca de la dictadura. Esto pone en evidencia los límites de la llamada Justicia Transicional, tanto desde el punto de vista conceptual y jurídico, como desde el enfoque del imaginario social, de las contradicciones de clase y cultura, de la división entre lo rural y lo urbano, entre otros factores. Este artículo tiene como objetivo debatir sobre la estructura conceptual y normativa que establece criterios para definir a las víctimas como “muertos y desaparecidos políticos”, que al mismo tiempo no aplican para otras víctimas. Esta reflexión se basa en el informe producido por la Comisión Nacional de la Verdad, que será comparado tanto con lo que fue producido por la Comisión Campesina de la Verdad, así como con los informes producidos por pueblos indígenas, especialmente, el informe sobre el pueblo Waimiri-Atrori. Por lo tanto, el proceso de comprensión, reflexivo-analítico, se propone pensar tanto los sentidos de la disputa por la Memoria, Verdad y Justicia en nuestros días, en un contexto de violencia continuada, como los desdoblamientos de dicha disputa para los pueblos del campo.
  • For Human Rights: Constructing the multinational Brčko District in Bosnia and Herzegovina Dossier “gramáticas De La (¿post?) Violencia: Identidades, Guerras, Cuerpos Y Fronteras”

    Peres, Andréa Carolina Schvartz

    Abstract in Portuguese:

    Resumo O Distrito de Brčko foi concebido como uma unidade político-administrativa multiétnica na Bósnia-Herzegóvina. Desde 2000, vários esforços foram feitos no sentido de consumá-la, como a construção de um espaço urbano com presença equitativa dos três grupos nacionais reconhecidos pela Constituição da Bósnia-Herzegóvina e a unificação do sistema escolar, com o objetivo de garantir direitos humanos, aqui traduzidos em direitos iguais e culturais. Esse artigo visa uma análise crítica desses esforços, com foco no sistema educacional e nas políticas de patrimônio, com o propósito de apontar como políticas de construção de um espaço multinacional contribuíram para a manutenção de uma cidade dividida, onde as linhas não precisam ser oficiais para existirem e lembrarem a todo o momento a qual grupo a pessoa pertence e o que isso significa.

    Abstract in English:

    Abstract The Brčko District was conceived to be a multiethnic political-administrative unit in post-war Bosnia and Herzegovina. Various efforts have been made to accomplish this since the year 2000, such as the construction of urban space with the equitable presence of the three national groups recognized by the Constitution of Bosnia and Herzegovina and the unification of the school system, both with the aim to guarantee human rights, understood as equal cultural rights. This article focuses on the educational system and the monuments policy to critically analyze these endeavors by revealing how policies for the construction of a multinational space have contributed to the maintenance of a divided city, where the borderlines do not need to be official to exist and constantly remind everyone to which group they belong to and what this means.
  • ‘Scientific torture’? Scientism and the marks of torture inside a police station in Belo Horizonte, Brazil Dossier “gramáticas De La (¿post?) Violencia: Identidades, Guerras, Cuerpos Y Fronteras”

    Maguire, Pedro Fermín; Costa, Denise Neves Batista

    Abstract in Portuguese:

    Resumo O objetivo deste artigo é examinar várias marcas de arquitetura registradas entre 2013-2015 na delegacia que um dia sediou o DOPS, o QG da polícia política na cidade de Belo Horizonte. Para compreender a importância destas marcas enquanto achados arqueológicos, propomos uma análise da ‘tortura científica’. Exploraremos a genealogia do termo e as práticas associadas a ele na segunda metade do século vinte. Embora posta em prática por várias instituições de diferentes países, foi a CIA que criou todo um programa de pesquisas para organizar corpos de conhecimento sobre práticas de tortura, produzindo documentos sobre ‘técnicas de interrogatório’ agora desclassificados. Primeiro, discutiremos algumas das práticas materializadas desenvolvidas em decorrência desses esforços. Depois discutiremos como elas ficam refletidas pelo manual de interrogatórios Kubark, editado pela CIA em 1963, em particular no referente às suas recomendações arquitetônicas. Finalmente, analisaremos o prédio que um dia sediou o DOPS, para mostrar as chamativas correspondências entre as suas recomendações arquitetônicas e as marcas registradas no prédio do DOPS.

    Abstract in English:

    Abstract The aim of this article is to examine several architectural marks registered during 2013-2015 at the police station that once housed the DOPS, the headquarters of Brazil’s dictatorial police in the city of Belo Horizonte. To understand their importance as archaeological findings, we propose an analysis of ‘scientific torture’. We will examine the phrase’s genealogy and the practices associated with it in the second half of the twentieth century. While practiced by a number of institutions from several countries, it was the CIA that created an entire research program to organize bodies of knowledge about torture practices, producing now declassified documents about ‘interrogation techniques’. First, we will discuss some of the materialized practices developed as a result of those efforts. Second, we will discuss how these practices are reflected in the Kubark interrogation manual, edited by the CIA in 1963, particularly in what pertains to its more architectural recommendations. Finally, we will analyze the building which once housed the DOPS, to expose the notable congruencies between its architectural recommendations and the marks recorded at the DOPS building.
  • The Guarani Farm: indigenous narratives about removal, reclusion and escapes during the military dictatorship in Brazil Dossier “gramáticas De La (¿post?) Violencia: Identidades, Guerras, Cuerpos Y Fronteras”

    Ciccarone, Celeste

    Abstract in Portuguese:

    Resumo O artigo apresenta resultados parciais de um exercício crítico sobre os múltiplos usos do passado, no âmbito das relações entre povos indígenas, estruturas de poder estatizadas e segmentos da sociedade regional. Desvenda como o complexo jogo entre a construção da mitografia regional e os “vazios demográficos” (Moreira, 2000) foi criado ao preço da remoção forçada e reclusão de grupos guarani e tupinikim e da expropriação de suas terras no Espírito Santo (Brasil). A pesquisa está direcionada para as versões indígenas de situações históricas, as múltiplas formas de relacionamento entre o Estado e os povos indígenas e as condições de produção dos dados etnográficos (Oliveira Filho, 1999: 9).

    Abstract in English:

    Abstract This article presents some of the results of a critical exercise concerning the multiple uses of the past, considering the relations between indigenous peoples, state power structures and sectors of regional society. It reveals how the complex interplay between the construction of a regional mythography and the notion of “demographic voids” (Moreira, 2000) was created at the expense of the forced removal and reclusion of Guarani and Tupinikim groups and the expropriation of their lands in Espírito Santo state, Brazil. The study focuses on the indigenous versions of historical situations, the multiple forms of relationship between the state and indigenous peoples and the conditions of production of ethnographic data (Oliveira Filho, 1999:9).
Associação Brasileira de Antropologia (ABA) Caixa Postal 04491, 70904-970 Brasília - DF / Brasil, Tel./ Fax 55 61 3307-3754 - Brasília - DF - Brazil
E-mail: vibrant.aba@gmail.com