Práticas e disputas em torno do patrimônio científico-cultural: Bertha Lutz no Conselho de Fiscalização das Expedições Artísticas e Científicas do Brasil

Practices and disputes about the scientific-cultural: heritage Bertha Lutz's and the Brazilian Inspection Council on Artistic and Scientific Expeditions

Este artigo é fruto de uma ampla pesquisa que analisou a participação feminina em atividades científicas no início do século XX, no Brasil, baseando-se principalmente na análise da atuação da naturalista Bertha Lutz (1894-1976) como representante do Museu Nacional do Rio de Janeiro no Conselho de Fiscalização das Expedições Artísticas e Científicas no Brasil, entre 1939 e 1951. Bertha envolveu-se em discussões importantes sobre o desenvolvimento das ciências e a preservação do meio ambiente brasileiro, e contribuiu com a definição de políticas científicas nacionais, consolidando uma participação importante em um grupo formado principalmente por cientistas e intelectuais que, entre as décadas de 1930 e 1940, mobilizavam- se contra a degradação do meio ambiente e a favor da viabilização de recursos para a realização de pesquisas científicas no país.

Bertha Lutz; patrimônio natural; política científica


Pós-Graduação em História, Faculdade de Filosofia e Ciências Humanas, Universidade Federal de Minas Gerais Av. Antônio Carlos, 6627 , Pampulha, Cidade Universitária, Caixa Postal 253 - CEP 31270-901, Tel./Fax: (55 31) 3409-5045, Belo Horizonte - MG, Brasil - Belo Horizonte - MG - Brazil
E-mail: variahis@gmail.com