(Atualizado: 31/01/2022)

Sobre o periódico

 

Informações básicas

 

Fundados em 1996 por Scarlett Marton, os Cadernos Nietzsche são lançados desde então regularmente nos meses de maio e setembro. Publicação do GEN – Grupo de Estudos Nietzsche, os Cadernos contam difundir para um publico de filosofia ou das ciências humanas em geral trabalhos de especialistas estrangeiros e brasileiros, dos mais experientes a doutorandos ou mestrandos. Espaço aberto para o confronto de interpretações, os Cadernos Nietzsche pretendem veicular artigos que se dedicam a explorar as ideias do filósofo ou desvendar a trama dos seus conceitos, escritos que se consagram à influência por ele exercida ou à repercussão de sua obra, estudos que comparam o tratamento por ele dado a alguns temas com os de outros autores, textos que se detêm na análise de problemas específicos ou no exame de questões precisas, trabalhos que se empenham em avaliar enquanto um todo a atualidade do pensamento nietzschiano.

O título abreviado do periódico é Cad. nietzsche, que deve ser usado em bibliografias, notas de rodapé, referências e legendas bibliográficas.

A revista é avaliada com B1 pela nota Qualis emitida pela CAPES (Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nivel Superior, vinculada ao Ministério da Educação).

 

 

Fontes de indexação

 

Os artigos publicados nos Cadernos Nietzsche são indexados por:

  • Philosopher’s Index
  • Citas Latinoamericanas en Ciencias Sociales y Humanidades - CLASE
  • GeoDados
 

 

Propriedade intelectual

 

Todo o conteúdo do periódico, exceto onde está identificado, está licenciado sob uma Licença Creative Commons do tipo atribuição BY-NC.

 

 

Patrocinadores

 

A publicação recebe financiamento de:

  • Universidade Federal do Sul da Bahia (UFSB).
  • Programa de Pós-Graduação em Filosofia da Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP).
  • CAPES.

 

 

 


 

Corpo Editorial

 

Editores

   

Editor Adjunto

   

Editores associados

   

 

Comissão editorial

   

 

Produção editorial

 
  • Revisão
    • André Luís Mota Itaparica
    • Márcio José Silveira Lima
    • Saulo Krieger
    • Wilson Frezzatti Júnior
  • Composição
    Ronaldo Machado
  • Arte Final
    Ronaldo Machado
 

 


 

Instruções aos autores

 

Escopo e Política Editorial

 

Os Cadernos Nietzsche publicam exclusivamente artigos inéditos em língua portuguesa da área de Filosofia sobre o pensamento de Nietzsche. Objetivam apresentar trabalhos acadêmicos de procedência geográfica diversa, que contribuam para a pesquisa e a discussão de temas em torno ou a partir da filosofia nietzschiana e que sejam direcionados para um público de especialistas ou de interessados no pensamento nietzschiano.

O encaminhamento do artigo ou da resenha implica a exclusiva responsabilidade do autor pelas ideias, posições e interpretações neles apresentadas.

Os Cadernos Nietzsche detêm os direitos autorais dos textos que publicam. Os autores têm, no entanto, sem a necessidade de autorização expressa, permissão para republicar seus textos desde que sejam mencionados os dados da publicação nos Cadernos Nietzsche.

Todos os trabalhos encaminhados são submetidos à arbitragem cega (blind referee) de dois pareceristas, podendo ser reenviados para o autor com sugestões de mudanças. Contribuições recusadas não poderão ser reapresentadas.

Os autores devem estar, pelo menos, cursando doutorado.

Os autores devem declarar, no momento do envio de seus trabalhos, não possuírem conflito de interesse com nenhuma instância dos Cadernos Nietzsche.

A Revista adota o sistema Ithenticate para identificação de plagiarismo.

 

 

Ética e Práticas Editoriais

 

Os Cadernos Nietzsche apoiam as seguintes recomendações, em relação aos padrões éticos de publicação:


Os Cadernos Nietzsche adotam a definição de má-conduta da Office Research Integraty, que consiste em: fabricação, falsificação ou plágio na elaboração, execução ou revisão de pesquisas.
Má-conduta em pesquisa não inclui erros honestos ou diferenças de opinião.
Quaisquer casos de má-conduta serão tratados com as devidas sanções estabelecidas pelo Conselho Editorial e pelo Comitê Editorial.

  •  Fabricação: inventar dados ou resultados registrando ou relatando-os.
  • Falsificação: adulterar textos, manipular processos de pesquisa, alterar ou omitir dados ou resultados, de modo que a pesquisa não seja representada com precisão no registro da pesquisa.
  • Plágio: consiste na apropriação de ideias, processos, resultados ou palavras de outra pessoa sem dar crédito apropriado. Os Autores são responsáveis pelo conteúdo e informações contidas em seus manuscritos. Os Cadernos Nietzsche utilizam o software Turnitin que permite detectar similaridades nos materiais submetidos. 
  • Autoplágio: consiste na apresentação total ou parcial de textos já publicados pelo mesmo autor, sem as devidas referências aos trabalhos anteriores. Os manuscritos que tenham sido plagiados ou autoplagiados serão rejeitados e os Autores poderão incorrer em sanções determinadas pelo Conselho Editorial e pelo Comitê Editorial.

Nos casos de Publicação Duplicata e Redundante, Correção e Retratações, Os Cadernos Nietzsche adotam as seguintes recomendações:

  • Publicação Duplicata e Publicação Redundante: Os Cadernos Nietzsche se comprometem a publicar apenas material original, ou seja, material que não tenha sido publicado anteriormente ou que esteja sendo revisado em outros periódicos, inclusive em idiomas diferentes.  Os artigos submetidos aos Cadernos Nietzsche não devem ser submetidos a nenhum outro periódico enquanto estiver em processo de avaliação.  A publicação duplicata refere-se à prática de submeter o mesmo estudo em dois ou mais periódicos e a publicação redundante que consiste na divisão inadequada dos resultados do estudo em mais de um artigo (também conhecido como “salami publication”), que pode resultar na rejeição do artigo ou sua retratação, podendo os Autores incorrerem em sanções estabelecidas pelo Conselho Editorial e pelo Comitê Editorial dos Cadernos Nietzsche.
  • Correções e Retratações: em casos de erros ou falhas, independente da natureza ou da origem, que não configurem má-conduta, serão corrigidos por meio de errata. Artigos já publicados em que má-conduta for identificado, serão objeto de retratação com exposição do motivo devidamente referenciado. Todos os Autores serão solicitados a concordar com o conteúdo.

Em relação ao Conflito de Interesse, os Cadernos Nietzsche solicitam que os Autores, no momento de submissão, declarem quaisquer interesses pessoais ou comerciais que possam enviesar o manuscrito. Se não houver conflito, os Autores devem declarar não ter conflitos de interesse.

Sanções: práticas que ferem a integridade científica como PlágioPublicação em Duplicata e Publicação Redundante serão avaliadas pelo Conselho Editorial e pelo Comitê Editorial para decisão das correspondentes penalidades, tais como a suspensão de publicar no periódico por período determinado. Os Autores serão imediatamente comunicados de todas as etapas deste processo.

 

 

Forma e preparação de manuscritos

 

Informações gerais

1. Os artigos devem conter no máximo 55.000 caracteres (incluindo espaços), sendo digitados em fonte Times New Roman, com parágrafos justificados e espaçamento 1,5. Para o corpo do texto, deve-se utilizar tamanho 12. Para notas de rodapé, tamanho 10 e números arábicos.

2. Citações de até 5 linhas entram no corpo do texto. Para citações em destaque, deve-se utilizar tamanho 11 e recuo de 1,5cm à esquerda e 0,5cm à direita, precedidas e sucedidas por um espaço de linha e não devem estar entre aspas. Citações curtas devem aparecer entre aspas duplas.

3. Os termos de alfabetos não latinos devem ser transliterados. Todos os termos ou expressões em destaque deverão estar em itálico e não em negrito.

4. Não serão aceitos trabalhos com figuras, gravuras, ilustrações ou desenhos em geral.

5. Os trabalhos devem ser precedidos de resumo (no máximo, de cem palavras), seguido de palavras-chave (no máximo, seis). A versão em inglês do título, do resumo (abstract) e das palavras-chave (keywords) deve vir no final do artigo, antes das referências bibliográficas.

6. Os originais devem ser acompanhados do nome completo do autor, instituição a que pertence (por extenso e sigla) e correio eletrônico.

7. O autor deve enviar seu registro no ORCID, cujo cadastro pode ser feito gratuitamente no site: https://orcid.org/signin.

 

 

Preparação dos manuscritos

 

1. As referências bibliográficas devem ser incluídas no final do artigo, limitando-se aos títulos das obras nele citadas. Devem obedecer à ordem alfabética pelo sobrenome do autor (no caso do mesmo autor, as obras devem ser elencadas da mais antiga para a mais recente, não devendo repetir o nome do autor, mas indicar com seis traços conjugados).

Exemplos:

Livros:

MÜLLER-LAUTER, W. Nietzsche. Seine Philosophie der Gegensätze und die Gegensätze seiner Philosophie. Berlim/Nova York: Walter de Gruyter, 1971.

Capítulos de livros:

BORHEIM, G. A medida da liberdade. In: NOVAES, A.(org.). O avesso da liberdade. São Paulo: Cia das Letras, 2002, pp. 41-57.

Artigos:

MÜLLER-LAUTER, W. Décadence. Trad. Scarlett Marton. In: Cadernos Nietzsche, São Paulo, n.6, pp.11-30, 1999.
______. Le problème de l’opposition dans la philosophie de Nietzsche. Trad. Blaise Benoit. Revue philosophique, Paris, t.CXCVI, n.4, pp.455-478, out.-dez. 2006.

2. Nas referências de comentadores ou outros autores às citações ou menções feitas em rodapé, usar o formato “(Sobrenome do autor [Apenas iniciais maiúsculas], ano, pp. 12-13)” ou “(cf. Sobrenome do autor, ano, pp. 12-13)”. Usar cf. (do latim, confer: confira ou confronte) quando a citação for indireta ou paráfrase; nesse caso, a citação não deve vir entre parênteses.
Se o sobrenome do autor já estiver na frase, use o formato “(ano, pp. 12-13)”. Exemplo:

“Müller-Lauter  (1999, p. 12-13) considera o problema da decadência na obra de Wagner”.
No caso de citação de citação, usar o formato “(Sobrenome do autor 1, ano, Apud Sobrenome do autor  2, ano, pp. 12-13)”.

3. As referências às obras de Nietzsche deverão ser feitas no corpo do texto, como se segue:

sigla da obra [vírgula] nome da seção (se houver) [espaço] número do aforismo (ou do parágrafo ou do fragmento) [vírgula] a sigla da obra da edição crítica (KSA ou KSB ou KGW ou KGB) [espaço] número do volume da obra da edição crítica [ponto] número da página. As referências do volume e da página da KSA (ou KSB ou KGW ou KGB) são de responsabilidade do autor.

No tocante às edições e às siglas, ver abaixo a “Convenção para a citação das obras de Nietzsche”.

Para os textos publicados por Nietzsche, o algarismo arábico indicará a seção. No caso de GM/GM, o algarismo romano anterior ao arábico remeterá à parte do livro; no caso de Za/ZA, o algarismo romano remeterá à parte do livro e a ele se seguirá o título do discurso; no caso de GD/CI e de EH/EH, o algarismo arábico, que se seguirá ao título do capítulo, indicará a seção. Exemplos:

GC/FW 8, KSA 3.17
GM/GM I, 13, KSA 5.278
ZA/ZA I, Da mordida da víbora, KSA 4.88
GD/CI, Moral como contra-natureza 6, KSA 6.87
EH/EH, Por que sou tão esperto 10, KSA 6.297

Para os escritos inéditos inacabados, o algarismo arábico ou romano, conforme o caso, indicará a parte do texto. Exemplos:

PHG/FT 3, KSA 1.817
WL/VM I, KSA 1.543 

Para os fragmentos póstumos, os algarismos arábicos, que se seguem ao ano, indicarão o fragmento póstumo. Exemplo:

NF/FP 1881, 11[143], KSA 9.496

4. Quando for utilizada alguma edição das traduções em português das obras de Nietzsche, informar em nota de rodapé na primeira ocorrência, devendo as demais utilizar apenas siglas com as iniciais do tradutor.
Exemplo:

Primeira ocorrência:

A aparência, para mim, é ó próprio eficiente e vivente, que vai tão longe em sua zombaria de si mesmo, a ponto de me fazer sentir que aqui há aparência e fogo-fátuo e dança de espíritos e nada mais (FW/GC  54, KSA 3.590)1.
Nota de rodapé: 1. NIETZSCHE, F. Obras Incompletas. Col. “Os Pensadores”. Trad. de Rubens Rodrigues Torres Filho. São Paulo: Nova Cultural, 1996. A partir de agora indicado como RRTF.

Segunda ocorrência:

A aparência, para mim, é ó próprio eficiente e vivente, que vai tão longe em sua zombaria de si mesmo, a ponto de me fazer sentir que aqui há aparência e fogo-fátuo e dança de espíritos e nada mais (FW/GC  54, KSA 3.590, tradução de RRTF).

Quando a tradução do texto original em alemão for de responsabilidade do autor, usar apenas: (FW/GC 54, KSA 3.590).

 

 

Convenção para a citação das obras de Nietzsche

 

Os Cadernos Nietzsche adotam a convenção proposta pela edição Colli/ Montinari das Obras Completas de Nietzsche. Siglas em português acompanham, porém, as siglas em alemão, no intuito de facilitar o trabalho de leitores pouco familiarizados com os textos originais.

I. Siglas dos textos publicados por Nietzsche:

I. 1. Textos editados pelo próprio Nietzsche:
GT/NT - Die Geburt der Tragödie (O nascimento da tragédia)
DS/Co. Ext. I - Unzeitgemässe Betrachtungen. Erstes Stück: David Strauss: Der Bekenner und der Schriftsteller (Considerações extemporâneas I: David Strauss, o devoto e o escritor)
HL/Co. Ext. II Unzeitgemässe Betrachtungen. Zweites Stück: Vom Nutzen und Nachteil der Historie für das Leben (Considerações extemporâneas II: Da utilidade e desvantagem da história para a vida)
SE/Co. Ext. III - Unzeitgemässe Betrachtungen. Drittes Stück: Schopenhauer als Erzieher (Considerações extemporâneas III: Schopenhauer como educador)
WB/Co. Ext. IV - Unzeitgemässe Betrachtungen. Viertes Stück: Richard Wagner in Bayreuth (Considerações extemporâneas IV: Richard Wagner em Bayreuth)
MA I/HH I - Menschliches allzumenschliches (vol. 1) (Humano, demasiado humano (vol. 1))
MA II/HH II - Menschliches allzumenschliches (vol. 2) (Humano, demasiado humano (vol. 2))
VM/OS - Menschliches allzumenschliches (vol. 2): Vermischte Meinungen (Humano, demasiado humano (vol. 2): Miscelânea de opiniões e sentenças)
WS/AS - Menschliches Allzumenschliches (vol. 2): Der Wanderer und sein Schatten (Humano, demasiado humano (vol. 2): O andarilho e sua sombra)
M/A - Morgenröte (Aurora)
IM/IM - Idyllen aus Messina (Idílios de Messina)
FW/GC - Die fröhliche Wissenschaft (A gaia ciência)
Za/ZA - Also sprach Zarathustra (Assim falava Zaratustra)
JGB/BM - Jenseits von Gut und Böse (Para além de bem e mal)
GM/GM - Zur Genealogie der Moral (Genealogia da moral)
WA/CW - Der Fall Wagner (O caso Wagner)
GD/CI - Götzen-Dämmerung (Crepúsculo dos ídolos)
NW/NW – Nietzsche contra Wagner

I. 2. Textos preparados por Nietzsche para edição:
AC/AC - Der Antichrist (O anticristo)
EH/EH - Ecce homo
DD/DD - Dionysos-Dithyramben (Ditirambos de Dioniso)

II. Siglas dos escritos inéditos inacabados:

GMD/DM - Das griechische Musikdrama (O drama musical grego)
ST/ST - Socrates und die Tragödie (Sócrates e a tragédia)
DW/VD - Die dionysische Weltanschauung (A visão dionisíaca do mundo)
GG/NP - Die Geburt des tragischen Gedankens (O nascimento do pensamento trágico)
BA/EE - Über die Zukunft unserer Bildungsanstalten (Sobre o futuro de nossos estabelecimentos de ensino)
CV/CP - Fünf Vorreden zu fünf ungeshriebenen Büchern (Cinco prefácios a cinco livros não escritos)
PHG/FT - Die Philosophie im tragischen Zeitalter der Griechen (A filosofia na época trágica dos gregos)
WL/VM - Über Wahrheit und Lüge im aussermoralischen Sinn (Sobre verdade e mentira no sentido extramoral)

III. Sigla dos fragmentos póstumos:

NF/FP

IV. Edições críticas:

KGB - Briefwechsel: Kritische Gesamtausgabe
KGW - Kritische Gesamtausgabe
KSA - Werke: Kritische Studienausgabe
KSB - Sämtliche Briefe: Kritische Studienausgabe

 

 

Critérios para Submissão de Resenhas

 
  1. Conter entre 2.000 (mínimo) e 4.000 (máximo) palavras.
  2.  Possuir título diferente do título da obra resenhada.
  3.  Sintetizar as ideias centrais da obra.
  4.  Apresentar os argumentos e preceitos teóricos que o Autor adota para desenvolver as ideias centrais do livro.
  5.  Situar a posição da obra no campo acadêmico em que se inscreve, mencionando, se possível, seus principais Autores e críticos.
  6.  Realizar um balanço crítico dos três pontos anteriores.
  7.  Apresentar bibliografia no fim do texto.
 

 

Processo de Peer Review

 

Os Cadernos Nietzsche adotam o processo de revisão por pares (double blind peer review), que é constituído por dois ou mais árbitros que são designados para realizar a revisão do manuscrito. As identidades dos Revisores e Autores são ocultadas uns dos outros durante o processo de avaliação.

Todas as contribuições científicas são revisadas pelos Editores, pelos membros da Comissão Editorial e/ou Revisores convidados, com os seguintes processos:

Revisão Inicial: nessa etapa, cada manuscrito é avaliado quanto ao cumprimento das normas estabelecidas nas Instruções aos Autores. Caso o manuscrito não atenda às normas estabelecidas, será devolvido para correção. Manuscritos que não passarem na revisão inicial serão devolvidos aos Autores.

Processo de Avaliação: os manuscritos que passam pela revisão inicial são atribuídos a dois revisores independentes de acordo com a temática.

Pareceres: os Revisores emitem seus pareceres diretamente no sistema OJS. A decisão pode ser "Aceitar Submissão", "Correções Obrigatórias", "Submeter novamente para avaliação" ou "Rejeitar Submissão". Se a decisão for "Submeter novamente para avaliação", o manuscrito deverá ser revisado e enviado para a segunda rodada de revisão por pares.

Aprovação ou Rejeição: Os Editores, juntamente com os Conselho e Comitê editoriais, decidirão, com base nos pareceres, sobre a aprovação ou rejeição do manuscrito. Em caso de aceite, o manuscrito entrará no processo de editoração para publicação.

 

 

Envio de Manuscritos

 

Os artigos devem ser enviados por via eletrônica em formato DOC conforme especificado nas “Instruções aos autores” para o sistema de periódicos da Unifesp, no seguinte endereço:

https://periodicos.unifesp.br/index.php/cniet

Não há taxas para submissão e avaliação de artigos.

 

 


 

Grupo de Estudos Nietzsche Rodovia Porto Seguro - Eunápolis/BA BR367 km10, 45810-000 Porto Seguro - Bahia - Brasil, Tel.: (55 73) 3616 - 3380 - São Paulo - SP - Brazil
E-mail: cadernosnietzsche@ufsb.edu.br