Scielo RSS <![CDATA[Mana]]> http://www.scielo.br/rss.php?pid=0104-931320070001&lang=pt vol. 13 num. 1 lang. pt <![CDATA[SciELO Logo]]> http://www.scielo.br/img/en/fbpelogp.gif http://www.scielo.br <![CDATA[<B>Os deuses vendem quando dão</B>: <B>os sentidos do dinheiro nas relações de troca no candomblé</B>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0104-93132007000100001&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt O artigo investiga o sentido das relações de troca que envolvem o uso de dinheiro entre os adeptos do candomblé. Essas relações, que ocorrem no âmbito de uma "família de santo", acionam aspectos simbólicos advindos de uma conexão com as coisas sagradas. Estudo aqui a linha tênue em que uma economia do dom ou da graça se confunde constantemente com o mundo dos interesses, assim como estes últimos podem às vezes mobilizar aspectos ligados à graça divina. Tento perceber nessas relações mediadas por dinheiro não apenas os limites imprecisos entre dom e interesse, mas o vasto campo no qual se processam as trocas entre os agentes sociais. Numa percepção mais ampla das questões aqui sugeridas, este trabalho tem como objetivo compreender o sentido social do dinheiro nas relações que constituem a experiência e a prática religiosas.<hr/>The article investigates the meaning of exchange relations involving the use of money among followers of candomblé. These relations, which unfold within the space of a ‘saint family,’ activate symbolic dimensions that derive from a connection with the sacred. Here I study the border zone where an economy of the gift or grace continually merges with the world of interests, just as the latter sometimes mobilizes aspects linked to divine grace. Examining these relations mediated by money, I try to expose not only the imprecise limits between gift and interest, but the vast field in which the exchanges between social agents are processed. Adopting a wider perspective on the questions raised here, the text aims to comprehend the social meaning of money in the relations that constitute religious experience and practice. <![CDATA[<B>Os mestiços mais puros</B>: <B>Representações chiriguano e chané da mestiçagem</B>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0104-93132007000100002&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt O ponto de partida deste artigo é a tese desenvolvida em 1991 por Isabelle Combès e Thierry Saignes sobre o nascimento da etnia e da identidade chiriguano, mestiças "em essência". A relação que os Chiriguano e os Chané mantêm com a mestiçagem parece, no entanto, paradoxal. Embora sejam considerados exemplos paradigmáticos de mestiçagem ameríndia, algumas visões contemporâneas sentenciam a dissolução da etnia devido precisamente à mestiçagem com os brancos. Ao mesmo tempo, os próprios Chiriguano rejeitam atualmente qualquer idéia de mistura, proclamando-se apenas "guarani". A partir de um duplo estudo de caso no Isoso boliviano e no noroeste argentino, relativiza-se o postulado da completa absorção dos Chané pelo conjunto Chiriguano; depois são analisados os diferentes tipos de mestiçagem existentes e sua relação com um esquema assimétrico que cria uma verdadeira escala de valores entre diferentes etnias. Finalmente, sugere-se que a ambivalência ideológica que envolve a mestiçagem se deve ao fato de que ela é precisamente uma construção híbrida, produto da fusão entre as ideologias chané e guarani.<hr/>The starting point of this article is the thesis developed in 1991 by Isabelle Combès and Thierry Saignes on the birth of Chiriguano ethnicity and identity, both mixed ‘in essence.’ The Chiriguano and the Chané appear to maintain a somewhat paradoxical relationship with miscegenation, however. Although considered paradigmatic examples of Amerindian miscegenation, some contemporary views anticipate the dissolution of the ethnic group precisely because of its mixture with whites. At the same time, the Chiriguano themselves reject any idea of mixture, proclaiming themselves to be simply ‘Guarani.’ Based on a double case study of the Bolivian Isoso and the Argentinean Northwest, the article casts doubt on the idea of the complete absorption of the Chané by the Chiriguano complex; it then analyzes the different types of miscegenation in existence and their relation to an asymmetrical schema that creates a scale of values between different ethnic groups. Finally, the authors suggest that the ideological ambivalence surrounding miscegenation is precisely due to the fact that it is a hybrid construct, the product of the fusion between Chané and Guarani ideologies. <![CDATA[<B>A reinvenção do eu através do discurso</B>: <B>narrativa, estigma e anonimato nas Famílias Anônimas</B>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0104-93132007000100003&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt Tendo como objeto empírico a associação Famílias Anônimas, neste ensaio procuro analisar três aspectos distintos relacionados entre si pela abordagem terapêutica preconizada por estes grupos: a) o uso da narrativa oral e a troca de experiências comuns como forma de aquisição de novos significados e novas formas de atuação em relação ao problema que leva os membros a procurarem tal associação; b) o conflito entre o discurso e a prática, considerando sobretudo a dicotomia "Eu, membro de Famílias Anônimas" e "Eu, pai/ mãe de um toxicodependente"; e c) o recurso ao anonimato como elemento que permite a gestão do estigma e da informação pessoal que cada membro dá de si próprio.<hr/>Taking the Families Anonymous association as its empirical object, this essay analyzes three distinct aspects inter-related by the therapeutic approach adopted by these groups: a) the use of oral narrative and the exchange of shared experiences as a form of acquiring new meanings and new forms of responding to the problem that first led the family members to contact the association; b) the conflict between discourse and practice, focusing above all on the dichotomy between ‘I, member of Families Anonymous’ and ‘I, father/mother of a drug addict,’ and c) the recourse to anonymity as an element that allows control of the stigma and personal information that each member gives about him or herself. <![CDATA[<B>A recepção da obra de Gilberto Freyre no Rio Grande do Sul</B>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0104-93132007000100004&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt É no contexto do pós-Estado Novo, quando o revisionismo toma conta da produção historiográfica sul-rio-grandense, que os escritos de Gilberto Freyre obtêm maior repercussão entre a intelectualidade sulina. O artigo detém-se sobre as motivações desse alinhamento tardio com as opções analíticas do autor recifense. Em um momento marcado pela ascensão das ciências sociais e pela perda de autoridade das narrativas históricas até então centradas no papel integrador dos heróis militares, historiadores e críticos locais atuam conjuntamente em favor da reversão dos motivos que apartavam a produção textual da "província" dos temas em voga no centro do país. Nesse passo, fez-se mister a aproximação da História com o Folclore, este apreendido não mais como um ramo da filologia ou do regionalismo literário, mas sob um viés "sociológico".<hr/>The period in the wake of the Novo Estado (New State), when revisionism took hold of historiographic production in Rio Grande do Sul, provided the context for the writings of Gilberto Freyre to acquire a greater influence among the southern intelligentsia. The article investigates the reasons for this delayed alignment with the analytic model of the Recife author. At a time marked by the rise of the social sciences and the loss in authority of historical narratives centred on the integrating role of military heroes, local historians and critics combined forces to reverse the motivating factors that had previously separated the textual production of the ‘province’ from the themes in fashion in the intellectual ‘centre’ of Brazil (Rio de Janeiro and São Paulo). This step required closing the gap between History and Folklore, meaning the latter was no longer apprehended as a branch of philology or literary regionalism, but as an area of study to be approached from a ‘sociological’ angle. <![CDATA[<B>As moedas doentes, os números públicos e a antropologia do dinheiro</B>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0104-93132007000100005&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt Situado na fronteira entre a antropologia da ciência (econômica) e a antropologia das culturas monetárias, este artigo propõe uma compreensão dos sentidos sociais e culturais do dinheiro centrada na análise das articulações entre as idéias e as práticas monetárias eruditas e as ordinárias. O texto critica a matriz analítica normativa que predomina em boa parte da literatura sociológica, tributária da própria ciência econômica, e que está preocupada em diagnosticar a "natureza" dos "problemas monetários", distinguindo moedas "normais" de "doentes". Critica também a matriz que predomina em boa parte da literatura antropológica que observa a moeda através da lente da grande divisão entre as moedas "modernas" e as "outras". Ao ter como principal referência empírica as inflações brasileira e argentina da segunda metade do século XX, sugere uma agenda de pesquisas que considera: 1. a presença dos modelos e dos dispositivos monetários criados pelos especialistas nos sentidos e nas práticas ordinárias associadas com o dinheiro; 2. a presença das idéias e das práticas monetárias ordinárias nas formas através das quais os especialistas percebem e agem sobre a moeda; 3. o fato de que os universos de produção de idéias e de dispositivos monetários eruditos, isto é, aqueles que estão referidos às teorias e às políticas monetárias, são suscetíveis de serem analisados com os mesmos instrumentos utilizados para estudar qualquer outro universo nativo; e 4. que esse universo de idéias e de práticas, como não poderia ser de outro modo, está situado no tempo e exige uma análise histórica.<hr/>Situated on the border between the anthropology of science (economics) and the anthropology of monetary cultures, this article investigates the social and cultural meanings of money through an analysis of the inter-connections between academic and everyday monetary ideas and practices. The text critiques the normative analytic matrix predominant in much of the sociological literature, a product of economic science itself, concerned with diagnosing the ‘nature’ of ‘monetary problems’ and distinguishing ‘normal’ currencies from ‘sick’ ones. it also critiques the matrix predominant in much of the anthropological literature, which observes currencies through the lens of the great divide between ‘modern’ currencies and all the ‘others.’ Focusing primarily on the empirical cases of brazilian and Argentinean inflation in the second half of the 20th century, it suggests a research agenda that takes into consideration: 1. the presence of monetary models and instruments created by specialists in the everyday meanings and practices associated with money; 2. the presence of everyday monetary ideas and practices in the forms through which specialists perceive and intervene in currencies; 3. the fact that the universes in which these academic ideas and monetary instruments are produced - that is, the universes relating to monetary theories and policies - can be analyzed with the same tools used to study any other native universe; and 4. that this universe of ideas and practices is, of course, situated in time and demands an historical analysis. <![CDATA[<B>Identidade nacional como estratégia política</B>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0104-93132007000100006&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt O ensaio toma a autobiografia de Emiliano di cavalcanti como fonte e, a partir dela, reflete sobre a construção de sua identidade social e de uma brasilidade específica. Procura-se pensar o processo específico no qual a identidade nacional é instrumentalizada como estratégia de um ator social para inserir-se em um grupo de pertencimento, considerando as relações de poder diferenciadas que se estabelecem no interior do grupo. o porta-voz do discurso biográfico, o contexto e os leitores a quem ele se dirige são levados em conta para se compreenderem as condições sociais de produção do discurso. cavalcanti manipula uma identidade social através do recurso a símbolos que, apesar de não mais prestigiosos no período, contribuíram para situá-lo em oposição ao conceito de arte pela arte, subentendido na disputa interna ao campo na época em questão.<hr/>Taking the autobiography of Emiliano di cavalcanti as its source, the article examines the construction of his social identity and a particular kind of Brazilian- ness. It reflects on the specific process in which national identity is used by a social actor as a strategy for joining a group, taking into account the distinct power relations established within the latter. the voice of biographical discourse, the context and the readers being addressed provide the means for us to comprehend the social conditions in which the discourse is produced. cavalcanti manipulates a social identity through the recourse to symbols that, despite no longer being prestigious, helped situate him in opposition to the concept of art for art’s sake implicit to disputes within the field at the time. <![CDATA[<B>A medida da gordura</B>: <B>O interno e o íntimo na academia de ginástica</B>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0104-93132007000100007&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt A partir de pesquisa etnográfica e bibliográfica, o presente artigo trata da gordura nas academias de ginástica, enfocando questões relativas ao corpo e à pessoa. A análise da avaliação corporal evidencia os termos de uma produção científica que elabora o corpo como um metabolismo caracterizado pelo risco e pela maleabilidade. São os conteúdos corporais que estão em jogo, de modo que o ideal estético não é a magreza, mas a "definição" do corpo, fruto da sobreposição da gordura pelo músculo. A busca da saúde caracteriza-se pela gerência constante do risco inerente ao balanço destes componentes. Beleza e saúde são formas de cuidar de si - imperativo caro ao individualismo contemporâneo - através do manejo dos conteúdos corporais. Assim, a avaliação corporal delineia os elementos internos e os aspectos da intimidade, e dota as práticas corporais da capacidade de empreender um engajamento entre eles.<hr/>Based on both ethnographic and bibliographic research, the present article examines the subject of fat in gymnastic academies, focusing on issues relating to the body and the person. An analysis of body evaluation evinces the terms of a scientific production that configures the body as a metabolism subject to risk and malleability. What is at stake are body contents, where the aesthetic ideal is not thinness, but the ‘toning’ of the body, the result of replacing fat with muscle mass. The search for beauty involves constant management of the risk inherent in balancing these components. Beauty and health are forms of self-care - an imperative central to contemporary individualism - through the management of body contents. Thus, body evaluation delineates internal elements and aspects of intimacy, and endows bodily practices with the capacity to stimulate an interaction between them. <![CDATA[<B>Neopentecostalismo e religiões afro-brasileiras</B>: <B>Significados do ataque aos símbolos da herança religiosa africana no Brasil contemporâneo</B>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0104-93132007000100008&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt Neste trabalho, pretendo analisar as relações de proximidade e antagonismo existentes entre o neopentecostalismo e as religiões afro-brasileiras, e suas conseqüências na transformação do imaginário social brasileiro construído a partir dos valores existentes nesses dois campos.<hr/>In this work, I analyze the relations of proximity and antagonism between Neo-Pentecostalism and Afro-Brazilian religions, and their consequences for the transformation of the Brazilian social imaginary constructed on the basis of values derived from these two fields. <![CDATA[<B>A nova edição de <I>Why Suyá Sing</I>, de Anthony Seeger, e alguns estudos recentes sobre música indígena nas terras baixas da América do Sul</B>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0104-93132007000100009&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt Lançado originalmente em 1987, Why Suya Sing? ganhou uma nova edição norte-americana em 2004. Apesar de constituir um marco teórico e etnográfico importante nos campos da etnologia indígena e da antropologia da música, o livro ainda não conta com uma tradução para o português. Neste ensaio, oferece-se uma leitura da obra, buscando resumir alguns de seus pontos principais, junto a uma contextualização geral sumária dos estudos sobre povos Gê, e uma nota breve sobre alguns desenvolvimentos recentes nas pesquisas sobre música indígena nas terras baixas da América do Sul.<hr/>Originally published in 1987, Why Suyá Sing? acquired a new US edition in 2004. Despite constituting a theoretical and ethnographic landmark in the fields of indigenous ethnology and anthropology of music, Seeger’s book has yet to be translated into Portuguese. This essay offers a reading of the work, looking to resume some of its key points, along with a brief overall contextualization of the studies on Gê peoples, and a short note on some of the recent developments in the research on indigenous music in the South American lowlands. <![CDATA[<B>A propósito de<I> Redes de relações nas Guianas</I></B>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0104-93132007000100010&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt Lançado originalmente em 1987, Why Suya Sing? ganhou uma nova edição norte-americana em 2004. Apesar de constituir um marco teórico e etnográfico importante nos campos da etnologia indígena e da antropologia da música, o livro ainda não conta com uma tradução para o português. Neste ensaio, oferece-se uma leitura da obra, buscando resumir alguns de seus pontos principais, junto a uma contextualização geral sumária dos estudos sobre povos Gê, e uma nota breve sobre alguns desenvolvimentos recentes nas pesquisas sobre música indígena nas terras baixas da América do Sul.<hr/>Originally published in 1987, Why Suyá Sing? acquired a new US edition in 2004. Despite constituting a theoretical and ethnographic landmark in the fields of indigenous ethnology and anthropology of music, Seeger’s book has yet to be translated into Portuguese. This essay offers a reading of the work, looking to resume some of its key points, along with a brief overall contextualization of the studies on Gê peoples, and a short note on some of the recent developments in the research on indigenous music in the South American lowlands. <![CDATA[<B><I>Ocupações de terra e transformações sociais</B></I>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0104-93132007000100011&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt Lançado originalmente em 1987, Why Suya Sing? ganhou uma nova edição norte-americana em 2004. Apesar de constituir um marco teórico e etnográfico importante nos campos da etnologia indígena e da antropologia da música, o livro ainda não conta com uma tradução para o português. Neste ensaio, oferece-se uma leitura da obra, buscando resumir alguns de seus pontos principais, junto a uma contextualização geral sumária dos estudos sobre povos Gê, e uma nota breve sobre alguns desenvolvimentos recentes nas pesquisas sobre música indígena nas terras baixas da América do Sul.<hr/>Originally published in 1987, Why Suyá Sing? acquired a new US edition in 2004. Despite constituting a theoretical and ethnographic landmark in the fields of indigenous ethnology and anthropology of music, Seeger’s book has yet to be translated into Portuguese. This essay offers a reading of the work, looking to resume some of its key points, along with a brief overall contextualization of the studies on Gê peoples, and a short note on some of the recent developments in the research on indigenous music in the South American lowlands. <![CDATA[<B><I>Sociologia do Islã</B></I>: <B><I> fenô­menos religiosos e lógicas sociais</B></I>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0104-93132007000100012&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt Lançado originalmente em 1987, Why Suya Sing? ganhou uma nova edição norte-americana em 2004. Apesar de constituir um marco teórico e etnográfico importante nos campos da etnologia indígena e da antropologia da música, o livro ainda não conta com uma tradução para o português. Neste ensaio, oferece-se uma leitura da obra, buscando resumir alguns de seus pontos principais, junto a uma contextualização geral sumária dos estudos sobre povos Gê, e uma nota breve sobre alguns desenvolvimentos recentes nas pesquisas sobre música indígena nas terras baixas da América do Sul.<hr/>Originally published in 1987, Why Suyá Sing? acquired a new US edition in 2004. Despite constituting a theoretical and ethnographic landmark in the fields of indigenous ethnology and anthropology of music, Seeger’s book has yet to be translated into Portuguese. This essay offers a reading of the work, looking to resume some of its key points, along with a brief overall contextualization of the studies on Gê peoples, and a short note on some of the recent developments in the research on indigenous music in the South American lowlands. <![CDATA[<B><I>El testimonio de una mujer shipibo</B></I>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0104-93132007000100013&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt Lançado originalmente em 1987, Why Suya Sing? ganhou uma nova edição norte-americana em 2004. Apesar de constituir um marco teórico e etnográfico importante nos campos da etnologia indígena e da antropologia da música, o livro ainda não conta com uma tradução para o português. Neste ensaio, oferece-se uma leitura da obra, buscando resumir alguns de seus pontos principais, junto a uma contextualização geral sumária dos estudos sobre povos Gê, e uma nota breve sobre alguns desenvolvimentos recentes nas pesquisas sobre música indígena nas terras baixas da América do Sul.<hr/>Originally published in 1987, Why Suyá Sing? acquired a new US edition in 2004. Despite constituting a theoretical and ethnographic landmark in the fields of indigenous ethnology and anthropology of music, Seeger’s book has yet to be translated into Portuguese. This essay offers a reading of the work, looking to resume some of its key points, along with a brief overall contextualization of the studies on Gê peoples, and a short note on some of the recent developments in the research on indigenous music in the South American lowlands. <![CDATA[<B><I>Quem somos nós</B></I>: <B><I> os Wari’ encontram os brancos</B></I>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0104-93132007000100014&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt Lançado originalmente em 1987, Why Suya Sing? ganhou uma nova edição norte-americana em 2004. Apesar de constituir um marco teórico e etnográfico importante nos campos da etnologia indígena e da antropologia da música, o livro ainda não conta com uma tradução para o português. Neste ensaio, oferece-se uma leitura da obra, buscando resumir alguns de seus pontos principais, junto a uma contextualização geral sumária dos estudos sobre povos Gê, e uma nota breve sobre alguns desenvolvimentos recentes nas pesquisas sobre música indígena nas terras baixas da América do Sul.<hr/>Originally published in 1987, Why Suyá Sing? acquired a new US edition in 2004. Despite constituting a theoretical and ethnographic landmark in the fields of indigenous ethnology and anthropology of music, Seeger’s book has yet to be translated into Portuguese. This essay offers a reading of the work, looking to resume some of its key points, along with a brief overall contextualization of the studies on Gê peoples, and a short note on some of the recent developments in the research on indigenous music in the South American lowlands.