Scielo RSS <![CDATA[Revista Brasileira de Educação]]> http://www.scielo.br/rss.php?pid=1413-247820030002&lang=pt vol. num. 23 lang. pt <![CDATA[SciELO Logo]]> http://www.scielo.br/img/en/fbpelogp.gif http://www.scielo.br <link>http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1413-24782003000200001&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt</link> <description/> </item> <item> <title><![CDATA[<B>Cultura, culturas e educação</B>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1413-24782003000200002&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt Assumindo uma perspectiva genealógica, este trabalho descreve a emergência do conceito de Cultura, na modernidade, como uma dupla marca de distinção social inventada por intelectuais germânicos do século XVIII e em contraste com o conceito de civilidade, que vinha se engendrando desde a Idade Média. A partir do texto kantiano Sobre a pedagogia, mostra-se como a articulação entre a Educação e aquele conceito funcionou no sentido de abstrair e idealizar os modos de vida, valores e produções culturais alemães da época como um grande modelo a ser imitado por toda e qualquer sociedade. Como um dos efeitos da vasta crise da modernidade, argumenta-se que a partir da virada lingüística não há mais como continuar assumindo aquele sentido universal para a cultura, de modo que a epistemologia monocultural moderna se estilhaça na forma de muitos multiculturalismos.<hr/>This paper discusses the emergence of the modern concept of Culture, as a double social distinction invented by German intellectuals of the XVIII century, and as a contrast with the medieval concept of civility, from a genealogical point of view. Using the Kantian text 'On Pedagogy', the paper reveals how the link between education and the concept of Culture served to disseminate and idealise the German ways of life, values and cultural productions, and to transform them into the model to be followed by any society. As an effect of the crisis of Modernity, it is argued that after the linguistic turnabout it is impossible to assume this universal meaning for culture, with the result that the modern monocultural epistemology splinters into many multiculturalisms. <![CDATA[<B>Intercultura e educação</B>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1413-24782003000200003&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt A intercultura refere-se a um complexo campo de debate entre as variadas concepções e propostas que enfrentam a questão da relação entre processos identitários socioculturais diferentes, focalizando especificamente a possibilidade de respeitar as diferenças e de integrá-las em uma unidade que não as anule. A intercultura vem se configurando como uma nova perspectiva epistemológica, ao mesmo tempo que um objeto de estudo interdisciplinar e transversal, no sentido de tematizar e teorizar a complexidade (para além da pluralidade ou da diversidade) e a ambivalência ou o hibridismo (para além da reciprocidade ou da evolução linear) dos processos de elaboração de significados nas relações intergrupais e intersubjetivas, constitutivos de campos identitários em termos de etnias, de gerações, de gênero, de ação social. A partir de diferentes percursos e concepções teórico-metodológicas desenvolvidos na América do Norte, na Europa, na América Latina, a problemática vem interpelando o campo da educação no Brasil, que vem respondendo com estudos e propostas no campo da educação indígena, das políticas afirmativas das minorias étnicas, dos processos de inclusão social de pessoas portadoras de necessidades especiais, dos movimentos de gênero, da valorização das culturas infantis, dos movimentos de pessoas de terceira idade. Os mais recentes trabalhos de pesquisa, apresentados em 2002, na 25ª Reunião Anual da ANPEd, descortinam novas perspectivas de compreensão das diferenças e das identidades culturais no campo das práticas educativas. Para além de uma compreensão rígida, hierarquizante, disciplinar, normalizadora da diversidade cultural, emerge o campo híbrido, fluido, polissêmico, ao mesmo tempo trágico e promissor da diferença, que se constitui nos entrelugares e nos entreolhares das enunciações de diferentes sujeitos e identidades socioculturais. Neste contexto, a educação passa a ser entendida como o processo construído pela relação tensa e intensa entre diferentes sujeitos, criando contextos interativos que, justamente por se conectar dinamicamente com os variados contextos culturais em relação aos quais os diferentes sujeitos desenvolvem suas respectivas identidades, torna-se um ambiente criativo e propriamente formativo.<hr/>Interculture refers to a complex field of debates around plural conceptions and proposals concerning the relationship between differing sociocultural identity processes. It particularly focuses on the possibility of respecting the differences and integrating them into a unity that does not dissolve them. Interculture has emerged both as a new epistemological perspective and an interdisciplinary and transversal object of study. It discusses and theorises about complexity (beyond issues of plurality or diversity), as well as ambivalence or hybridisation (beyond reciprocity or the linear evolution of ideas), with reference to the processes of creating meaning within intergroup and intersubjective relationships, which build identity fields in terms of ethnicity, generation, gender and social action. Building on different theoretical-methodological paths and concepts, this theme has been challenging the field of Education in Brazil, which has replied in the form of studies and proposals concerning issues such as Indian education, affirmative action towards ethnic minorities, processes of social inclusion of individuals with disabilities, gender movements, valuing of child cultures and movements concerned with the third age. The most recent research studies presented at 25th Annual Meeting of ANPEd seem to unfold new understandings for the analysis of cultural differences and identities in the field of educational practices. Moving beyond a fixed, hierarchised, discipline-bound and normalised view of cultural diversity, a hybrid, fluid and polysemic and, at the same time, tragic and promising area concerning 'difference' emerges. It is built within the chinks and glances of the enunciations of different subjects and sociocultural identities. It views education as a process built upon tense and intense relationships between subjects, generating interactive contexts that dynamically interrelate with the plural cultural contexts in which different individuals develop their identities, thus making them creative and formative environments "par excellence". <![CDATA[<B>Estudos culturais, educação e pedagogia</B>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1413-24782003000200004&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt Apresenta amplo panorama sobre o surgimento, a constituição e o desenvolvimento dos Estudos Culturais como área multifacetada de estudos que concebe a cultura como campo de luta e arena política. Suas conexões e embates com os marxismos, os feminismos e sua oposição ao racismo são focalizados, bem como suas aproximações e cruzamentos, com vertentes teóricas e tendências metodológicas. Apresenta um esboço do seu desenvolvimento na América Latina, com especial ênfase à identificação das temáticas mais abordadas e dimensões mais freqüentemente polemizadas. Ressalta, nesse caso, sua profunda imersão em questões culturais do continente, tais como a tensão local-global, a hibridação de identidades, as audiências, dentro de uma crescente multiplicidade temática. A partir do panorama desenhado, são discutidas as relações entre Estudos Culturais, educação e pedagogia, exemplificando-se com um breve esboço da pluralidade de trabalhos já realizados em nosso país dentro desse campo, assim como através de uma reflexão específica sobre a articulação entre os Estudos Culturais e a escola.<hr/>Presents a panoramic view of the emergence, the constitution and the development of Cultural Studies as a multifaceted area which conceives culture as a battlefield and political arena. The connections and clashes with Marxisms, feminisms and their opposition to racism are highlighted, as well as their approximation and crossings with theoretical issues and methodological tendencies. A sketch is made of their development in Latin America, with special emphasis on those themes and dimensions which are most frequently tackled and debated. In this case, the deep immersion in cultural issues of the continent, such as the local-global tension, the hybridisation of identities, the audiences, within an increasing thematic multiplicity are emphasised. Starting from this panorama, the close relations between Cultural Studies, education and pedagogy are discussed, presenting as an example a short review of the plurality of works already carried out in this new area in Brazil, as well as through a specific reflection on the linkage between Cultural Studies and the school. <![CDATA[<B>Cultura e cotidiano escolar</B>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1413-24782003000200005&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt Com base nas idéias de Michel de Certeau e Michel Foucault, busca indicar como se dá a "trama da cultura" nas múltiplas e diversas relações dos praticantes dos cotidianos através de acontecimentos culturais. Fazendo uso de imagens do contexto cotidiano de escolas e de outros contextos cotidianos, são desenvolvidas questões sobre as relações cultura e cotidianos educativos, em torno de um eixo que tem ocupado o centro dos estudos desenvolvidos pelo grupo de pesquisa "Redes de conhecimentos em educação e comunicação: questão de cidadania: a tecnologia e os artefatos culturais".<hr/>Based on the ideas espoused by Michel de Certeau and Michel Foucault, the present paper seeks to show the ways in which the "knitting of culture" is made through the multiple and diverse relationships between "everyday practitioners" within "cultural happenings". By making use of images of the everyday school and other routine daily contexts, we discuss questions concerning the relationships between culture and everyday educational dynamics, focusing on a theme that has occupied the centre of the studies developed by our research group, namely: "Networks of knowledge in education and communication: the question of citizenship, technology and cultural artefacts". <![CDATA[<B>Cultura negra e educação</B>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1413-24782003000200006&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt A relação entre cultura, cultura negra e educação é o foco principal deste artigo. Discute-se que a cultura negra é uma particularidade cultural - construída historicamente por um grupo étnico/racial específico - presente no modo de vida do brasileiro, seja qual for o seu pertencimento étnico. Todavia, a sua predominância se dá entre os descendentes de africanos escravizados no Brasil, ou seja, o segmento negro da população. No caso específico da educação escolar brasileira, entende-se que a discussão sobre a cultura negra não pode desconsiderar a existência do racismo e da desigualdade entre negros e brancos em nossa sociedade. Tal consideração nos afastará das práticas educativas que ainda insistem em colocar a cultura negra no lugar do exótico e do folclore, e possibilitará a construção de uma postura política diante da questão racial na educação brasileira.<hr/>This article is focused on the relation between culture, black culture and education. Black culture is presented as a cultural peculiarity - historically constructed by a specific ethnic / racial group - extant in the Brazilian way of life, independent of its ethnic origins. However, it predominates among the descendants of enslaved Africans in Brazil, that is, among the black segment of the population. In the specific case of Brazilian school education, it is understood that the discussion on black culture cannot disregard the existence of racism and inequality between black and white people in our society. Such a consideration will distance us from the educational practices, which still insist on classifying black culture as part of our exotic folklore and will enable us to construct a political posture with respect to the racial issue in Brazilian education. <![CDATA[<B>"Cara ou coroa"</B>: <B>uma provocação sobre educação para índios</B>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1413-24782003000200007&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt O artigo apresenta-se como espaço de reflexão e algumas provocações sobre o "fazer" em educação indígena, tendo como foco de discussão a atual configuração de mundo globalizado que, com o crescente uso da tecnologia, fragiliza fronteiras entre as mais diferentes comunidades. Neste sentido, apresenta uma breve discussão sobre a compreensão de cultura, sob a perspectiva do campo dos Estudos Culturais, destacando a constituição de culturas e identidades híbridas. Localizando a escola enquanto espaço e instituição legitimada de construção e transmissão de verdades e valores simbólicos, discute a função e importância desta para as comunidades indígenas. Assim, levantam-se alguns questionamentos sobre as "verdades" e "valores" dos modelos de escola necessária propostos pelos não-índios para as comunidades indígenas.<hr/>This study constitutes a space for reflection and for some challenges on the education of Brazilian native Indians, with a specific focus on the current configuration of the globalised world, which with the growing use of technology, weakens the boundaries between the most diverse communities. In this sense it presents a brief discussion about the understanding of culture, from the perspective of the field of Cultural Studies, highlighting the constitution of cultures and hybrid identities. Considering the school as the legitimated space and institution for the construction and transmission of symbolic truths and values, it discusses its function and importance for the Indian communities. Thus some questions are raised as to the "truths" and "values" of the models of the necessary school proposed by non-Indians for the Indian community. <![CDATA[<B>Youth cultures</B>: <B>a field of studies; a brief agenda for discussions</B>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1413-24782003000200008&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt Propõe-se questionar os modos como, a partir do campo cultural, são pensadas as culturas juvenis, que, caracterizadas por sentidos múltiplos e móveis, incorporam, mesclam, inventam símbolos e emblemas, em contínuo movimento que as torna difíceis de serem representadas. Para este questionamento, assume como primeiro pressuposto a enorme diversidade da categoria "jovens": estudantes, bandas, punks, "crentes", pequenos empresários, ravers, desempregados, "traficantes", todos filhos da modernidade, da crise e do desencanto; e, como segundo, o complexo e mutável contexto atual, no qual vivem esses "jovens". Organiza o artigo em três eixos temáticos: a) análise dos discursos que produziram conhecimento sobre os jovens; b) discussão dos "novos" cenários sobre as culturas juvenis, assim como seus territórios materiais e simbólicos; c) perspectivas e desafios que o campo de estudo das culturas juvenis coloca para as ciências sociais.<hr/>The present paper aims to discuss ways by which youth cultures have been presented, from cultural point of view. It argues that youth cultures have mobile and multiple senses, incorporating, mixing and inventing symbols and emblems, in a continual movement that makes it difficult to represent them. We firstly build on the assumption that there is a great diversity within the "youth" category, comprising: students, bands, punks, popular protestant religious people, small businessmen, ravers, unemployed people, "traffic dealers", all being children of the modern age with its crisis and disenchantement; secondly, we take into account the complex and highly changeable contemporary context, in which these young people live. The article is organised in three thematic axes: a) analysis of the discourses of those that have produced knowledge about youth; b) discussion of "new" sceneries of youth cultures, as well as its material and symbolic territories; c) perspectives and challenges that the field of studies concerning youth cultures has been posing to social sciences. <![CDATA[<B>Cultur@s juvenis, identid@des e internet</B>: <B>questões atuais</B>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1413-24782003000200009&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt Este artigo é constituído por um recorte parcial de um estudo de tese de doutorado sobre identidades e jovens em chats sobre música da Internet, já com alguns desenvolvimentos. Propõe-se a levantar algumas conexões entre a Internet temática que "está na mesa", a cultura e a formação de tribos no ciberespaço, sob a ótica dos Estudos Culturais, mostrando a multiplicidade de interrogações que esta temática proporciona, principalmente, no que se refere às culturas juvenis e às identidades.<hr/>This article is based in part on a doctoral thesis on identity and young people in Internet chat sessions on music, with some further developments. Our objective is to raise some of the connections between Internet a theme that is vogue culture and the formation of cyberspace tribes, from the perspective of Cultural Studies, revealing a multitude of questions which this theme poses, mainly concerning youth cultures and identities. <![CDATA[<B>O que se pode aprender com a "MTV de papel" sobre juventude e sexualidade contemporâneas?</B>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1413-24782003000200010&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt Fundamentando-se em pressupostos da teorização cultural contemporânea, o artigo problematiza um artefato cultural específico - a revista MTV, Music Television - para discutir possíveis relações entre educação, cultura de mídia, juventude e sexualidade. Essa revista é analisada, aqui, como fazendo parte de uma pedagogia cultural - o "mundo MTV" - que produz significados, ensina determinados comportamentos e os institui como sendo comportamentos juvenis adequados. Argumenta-se que problematizações como essas podem ser produtivas para se pensar como os artefatos culturais - revistas, programas de televisão e filmes, por exemplo - estão ajudando a constituir formas de ser e viver a sexualidade e a juventude, na contemporaneidade.<hr/>Based on presuppositions of contemporary cultural theory, this article problematises a specific cultural artefact - the magazine MTV Music Television - as a means of discussing possible relations between education, media culture, youth and sexuality. The magazine is analysed as constituting a cultural pedagogy - the MTV "world"-, which produces meanings and teaches certain behaviours that are, in turn, established as youth-appropriate. The article argues that problematisations like these can be productive for thinking about how cultural artefacts - magazines, television programmes and films, for example - are helping to constitute forms of being and living sexuality and youth, in the contemporary world. <![CDATA[<B>The school, different cultural contexts and border cultures</B>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1413-24782003000200011&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt A partir de uma perspectiva centro-americana, região onde vive e trabalha, o autor procura situar o papel da escola frente aos diferentes contextos culturais e às culturas de fronteira. Esses diferentes contextos abrangem, em primeiro lugar, as culturas indígenas presentes na América Latina, que superam as fronteiras geográficas e apresentam diferenças que não podem ser ignoradas pelas escolas, pois se constituem em desafios a sua prática cotidiana. Em segundo lugar, a globalização atual, que está criando uma "nova ordem mundial", também está gerando novas culturas de fronteira, que invadem os espaços locais e criam novas ordens para as "culturas excluídas". Essas novas ordens se expressam no trabalho informal e de ocasião, quando não na prostituição, nas drogas, na violência e em outras formas de rebelião. A escola deve procurar compreendê-las como um novo colonialismo e ajudar a superá-las, nos termos da pedagogia de Paulo Freire.<hr/>Based on a Central American perspective- the region where the author of the present paper now lives and works - the study discusses the role of school with reference to different cultural contexts and to border cultures. It argues that those different contexts firstly include indigenous cultures in Latin American, which go beyond geographical borders and present singularities that cannot be ignored by the school, since they represent on-going challenges to its everyday practices. Secondly, it deals with the contemporary globalisation, which not only creates a "new world order" but also new border cultures that invade local spaces and generate new orders for the "excluded cultures". Those new orders are expressed in the presence of informal and occasional jobs, as well as in prostitution, drugs, violence and other sorts of rebellions. The argument is that school should endeavour to understand them as a new form of colonialism and help going beyond them, in the ways proposed by Paulo Freire's pedagogy. <![CDATA[<B>Educação escolar e cultura(s)</B>: <B>construindo caminhos</B>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1413-24782003000200012&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt Defende a necessidade de currículos pautados por justiça curricular, entendendo-a como o grau em que os currículos contribuem para reduzir diferenças e desigualdades sociais. Em outras palavras, sustenta que, além da preocupação com a desigualdade econômica, a escola e o currículo precisam levar em conta a pluralidade cultural de nossa sociedade, buscando desafiar as relações de poder que produzem e preservam as diferenças. Discute a centralidade da cultura na sociedade contemporânea, analisa estratégias pedagógicas para lidar com a pluralidade cultural e apresenta pontos a serem incluídos na formação de professores(as) multiculturalmente orientados.<hr/>The article argues in favour of curricula informed by curricular justice, which is seen as the tendency of a curriculum to reduce social inequality and cultural difference. In other words, the paper suggests that, in addition to the concern with economic inequality, the school and the curriculum should take into account the cultural plurality of Brazilian society, attempting to challenge the relations of power which produce and preserve differences. It discusses the centrality of culture in contemporary society, analyses educational strategies to deal with cultural diversity and presents some aspects to be included in the training of multicultural oriented teachers. <![CDATA[Educação & Realidade]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1413-24782003000200013&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt Defende a necessidade de currículos pautados por justiça curricular, entendendo-a como o grau em que os currículos contribuem para reduzir diferenças e desigualdades sociais. Em outras palavras, sustenta que, além da preocupação com a desigualdade econômica, a escola e o currículo precisam levar em conta a pluralidade cultural de nossa sociedade, buscando desafiar as relações de poder que produzem e preservam as diferenças. Discute a centralidade da cultura na sociedade contemporânea, analisa estratégias pedagógicas para lidar com a pluralidade cultural e apresenta pontos a serem incluídos na formação de professores(as) multiculturalmente orientados.<hr/>The article argues in favour of curricula informed by curricular justice, which is seen as the tendency of a curriculum to reduce social inequality and cultural difference. In other words, the paper suggests that, in addition to the concern with economic inequality, the school and the curriculum should take into account the cultural plurality of Brazilian society, attempting to challenge the relations of power which produce and preserve differences. It discusses the centrality of culture in contemporary society, analyses educational strategies to deal with cultural diversity and presents some aspects to be included in the training of multicultural oriented teachers. <![CDATA[Cinema & educação: refletindo sobre cinema e educação]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1413-24782003000200014&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt Defende a necessidade de currículos pautados por justiça curricular, entendendo-a como o grau em que os currículos contribuem para reduzir diferenças e desigualdades sociais. Em outras palavras, sustenta que, além da preocupação com a desigualdade econômica, a escola e o currículo precisam levar em conta a pluralidade cultural de nossa sociedade, buscando desafiar as relações de poder que produzem e preservam as diferenças. Discute a centralidade da cultura na sociedade contemporânea, analisa estratégias pedagógicas para lidar com a pluralidade cultural e apresenta pontos a serem incluídos na formação de professores(as) multiculturalmente orientados.<hr/>The article argues in favour of curricula informed by curricular justice, which is seen as the tendency of a curriculum to reduce social inequality and cultural difference. In other words, the paper suggests that, in addition to the concern with economic inequality, the school and the curriculum should take into account the cultural plurality of Brazilian society, attempting to challenge the relations of power which produce and preserve differences. It discusses the centrality of culture in contemporary society, analyses educational strategies to deal with cultural diversity and presents some aspects to be included in the training of multicultural oriented teachers. <![CDATA[Professoras que as histórias nos contam]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1413-24782003000200015&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt Defende a necessidade de currículos pautados por justiça curricular, entendendo-a como o grau em que os currículos contribuem para reduzir diferenças e desigualdades sociais. Em outras palavras, sustenta que, além da preocupação com a desigualdade econômica, a escola e o currículo precisam levar em conta a pluralidade cultural de nossa sociedade, buscando desafiar as relações de poder que produzem e preservam as diferenças. Discute a centralidade da cultura na sociedade contemporânea, analisa estratégias pedagógicas para lidar com a pluralidade cultural e apresenta pontos a serem incluídos na formação de professores(as) multiculturalmente orientados.<hr/>The article argues in favour of curricula informed by curricular justice, which is seen as the tendency of a curriculum to reduce social inequality and cultural difference. In other words, the paper suggests that, in addition to the concern with economic inequality, the school and the curriculum should take into account the cultural plurality of Brazilian society, attempting to challenge the relations of power which produce and preserve differences. It discusses the centrality of culture in contemporary society, analyses educational strategies to deal with cultural diversity and presents some aspects to be included in the training of multicultural oriented teachers.