Scielo RSS <![CDATA[Caderno de Estudos]]> http://www.scielo.br/rss.php?pid=1413-925119980003&lang=en vol. num. 19 lang. en <![CDATA[SciELO Logo]]> http://www.scielo.br/img/en/fbpelogp.gif http://www.scielo.br <![CDATA[<b>Algumas reflexões sobre pesquisas empírica em contabilidade</b>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1413-92511998000300001&lng=en&nrm=iso&tlng=en Em um contexto de mudanças econômicas e sociais extremamente dinâmicas, a manutenção da importância estratégica da Contabilidade relaciona-se diretamente com a própria evolução do seu estudo sistematizado. Este artigo mostra que as pesquisas científicas ocupam-se cia busca de um maior entendimento dos fenômenos e suas relações. As teorias delas decorrentes. por sua vez, concorrem para as mudanças na prática. Enquanto instrumento cientifico de grande utilidade em outros campos do conhecimento, o emprego da pesquisa empírica na Contabilidade precisa ser intensificado, para que as observações e experimentações, que a caracterizam, propiciem a melhoria da teoria e dos modelos contábeis. Pela sua natureza, o estudo do modelo decisório rios usuários de informações contábeis alcançaria um grande desenvolvimento com o uso da pesquisa empírica. aproximando a Contabilidade de seus objetivos básicos de participação nas decisões econômicas. <![CDATA[<b>Informações</b>: <b>a busca da evidenciação ideal</b>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1413-92511998000300002&lng=en&nrm=iso&tlng=en As informações devem ser evidenciadas, de modo a propiciar condições para que os usuários possam tomar decisões acertadas. As subjetividades sobre quais e quantas informações seriam necessárias causam discórdias entre os pesquisadores da Contabilidade. Alguns defendem que todas as informações deveriam estar disponíveis através da utilização de um banco de dados flexível e outros defendem um numero limitado, afirmando que muitas informações causam confusões. Mais dois fatores. a serem observados, relacionam-se com as características que devem ter as informações para serem evidenciadas, quais sejam: Materialidade e Relevância. Existe um conjunto básico de informações que interessa a todos os tipos de usuários, que são relatados nos demonstrativos formais. Contudo, há uma necessidade de consubstanciar o poder informativo dos mesmos, através da evidenciação de demonstrativos complementares, como o Demonstrativo de Fluxo de Caixa, Demonstrativo do Valor Adicionado e outras informações julgadas necessárias como o goodwill, leasing, etc. <![CDATA[<b>Contribuição ao estudo da eficácia na aplicação do contrato de gestão nas empresas estatais</b>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1413-92511998000300003&lng=en&nrm=iso&tlng=en Na tentativa de controlar o desempenho das empresas estatais, o Governo acaba, em alguns casos, tirando a flexibilidade e a autonomia dos seus administradores, por intermédio da imposição de metas físicas e de gastos, a ponto de comprometer a sua capacidade adaptação às várias transformações econômicas sociais e políticas que caracterizam a realidade contemporânea. Isso ocorre porque ao Governo interessam os instrumentos que garantam que desempenhos das empresas estatais ocorram na direção por ele desejada tendo por escopo a necessidade de otimização co beneficio social gerado pelos recursos públicos investidos dos nessas empresas. Este trabalho mostra que, sob a hipótese de continuidade e independentemente da escolha da melhor alternativa econômica, o Contrato de Gestão consiste numa opção quanto à forma de relacionamento entre o Governo (principal acionista) e a empresa estatal. Como uma alternativa de relacionamento entre controladores e gestores da empresa, o Contrato de Gestão pode coexistir com qualquer das decisões ce continuidade da empresa. Assume-se como premissa deste trabalho que, se os gestores das empresas estatais fossem obrigados a prestar contas ao Congresso, tivessem regras pré-estabelecidas e obrigatoriedade no cumprimento de metas e se, na falta de qualquer destes quesitos, fossem automaticamente substituídos por outros gestores com mais capacidade empresarial, o desempenho das estatais seria bem melhor, assim como seus resultados econômicos, políticos e sociais. <![CDATA[<b>Modelo de decisão em gestão econômica</b>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1413-92511998000300004&lng=en&nrm=iso&tlng=en Num ambiente econômico caracterizado pela escassez de recursos, são as decisões, tomadas em todos os níveis da organização, que determinam ou não a utilização adequada de tais recursos para a consecução dos seus objetivos. Por outro lado, a obtenção da eficácia está condicionada ao direcionamento integrado das decisões tomadas pelos diversos gestores. Nas diversas fases do processo decisório, os modelos de decisão são utilizados pelos gestores na identificação e obtenção das informações relevantes para a formulação das diversas alternativas de ação e na analise e avaliação destas, fundamentando a escolha da melhor alternativa. Os modelos de decisão permitem que as conseqüências das várias alternativas sejam avaliadas antes de tomar a decisão, possibilitando ao decisor escolher aquela que apresente os melhores resultados. Constituem, assim, um procedimento estruturado, no qual as diversas variáveis que impactam a decisão podem ser organizadas e examinadas de modo sistemático e consistente. A partir das definições de modelo e de decisão, pode-se definir modelo de decisão como a representação do impacto de uma ocorrência, levando-se em consideração as variáveis relevantes para a avaliação de cada alternativa, visando à escolha daquela que melhor atenda aos objetivos da empresa. Os modelos de decisão agem como elementos de indução e motivação dos gestores no processo decisório. O modelo de decisão sob a ótica da gestão econômica, além de induzir a eficácia, permite que o desempenho dos gestores seja avaliado segundo sua contribuição para a geração do resultado global da organização. <![CDATA[<b>Valor da empresa</b>: <b>avaliação de ativos pela abordagem do resultado econômico residual</b>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1413-92511998000300005&lng=en&nrm=iso&tlng=en O artigo discorre sobre a avaliação de empresas, considerando as várias metodologias disponíveis e detendo-se especificamente sobre uma delas, aqui denominada, Resultado Econômico Residual -RER.Tal metodologia, longe de ser uma novidade, e algo que vem sendo discutido durante muito tempo, tendo recebido muitas contribuições desde o inicio do século XIX. O ponto forte da metodologia consiste na sua simplicidade conceitual e abrangência lógica, possibilitando a avaliação do desempenho operacional, financeiro e do montante de investimentos. Por outro lado, a sua grande vulnerabilidade é a necessidade de critérios de ajustes, que podem se tornar subjetivos face às peculiaridades encontradas nas organizações. A metodologia pode ser usada para a análise interna de direcionamento de investimentos, avaliação de desempenho interna e análise externa. Pelas suas características, a última abordagem é aquela que maiores imperfeições pode gerar. <![CDATA[<b>As mudanças nas políticas de dividendos e o mercado financeiro</b>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1413-92511998000300006&lng=en&nrm=iso&tlng=en O artigo discorre sobre a avaliação de empresas, considerando as várias metodologias disponíveis e detendo-se especificamente sobre uma delas, aqui denominada, Resultado Econômico Residual -RER.Tal metodologia, longe de ser uma novidade, e algo que vem sendo discutido durante muito tempo, tendo recebido muitas contribuições desde o inicio do século XIX. O ponto forte da metodologia consiste na sua simplicidade conceitual e abrangência lógica, possibilitando a avaliação do desempenho operacional, financeiro e do montante de investimentos. Por outro lado, a sua grande vulnerabilidade é a necessidade de critérios de ajustes, que podem se tornar subjetivos face às peculiaridades encontradas nas organizações. A metodologia pode ser usada para a análise interna de direcionamento de investimentos, avaliação de desempenho interna e análise externa. Pelas suas características, a última abordagem é aquela que maiores imperfeições pode gerar. <![CDATA[<b>O custeio por atividades aplicado ao tratamento contábil dos gastos de natureza ambiental</b>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1413-92511998000300007&lng=en&nrm=iso&tlng=en O trabalho versa sobre a apuração dos custos ambientais por meio do custeio das atividades desenvolvidas, direta ou indiretamente, para a manutenção do sistema de gestão ambiental. Os custos ambientais tornaram-se compulsórios, visto a exigência de órgãos normatizadores de qualidade ambiental e do aumento na rigorosidade da legislação. Contudo, Os gastos, na sua maioria, não guardam relação com o processo operacional rotineiro e, além disso, são predominantemente de natureza fixa de montante relevante. Passando, com isso, a exigir especial atenção dos administradores, no que tange a sua consideração no planejamento das estratégias a serem seguidas pela companhia. O custeamento das atividades de natureza ambiental oferece condições mais seguras de apuração dos custos do processo de controle ambiental. uma vez que as atividades podem ser mais objetivamente associadas aos processos do que os recursos. Conhecer os custos ambientais é fundamental para assegurar a continuidade da empresa, seja em função das penalidades impostas pelo mercado e pelos órgãos fiscalizadores, os quais estão impondo serias restrições para as empresas que ainda não adequaram seus processos operacionais ao que é ambientalmente saudável; ou seja, em função do impacto negativo sobre a gestão econômica da empresa advindos do consumo desnecessário de recursos (matéria-prima, mão-de-obra etc): de penalidades por agressões ao meio ambiente etc.