Scielo RSS <![CDATA[Neotropical Entomology]]> http://www.scielo.br/rss.php?pid=1519-566X20070002&lang=pt vol. 36 num. 2 lang. pt <![CDATA[SciELO Logo]]> http://www.scielo.br/img/en/fbpelogp.gif http://www.scielo.br <![CDATA[<B>Controle microbiano de artrópodes-praga em fruteiras tropicais</B>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1519-566X2007000200001&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt A multitude of insects and mites attack fruit crops throughout the tropics. The traditional method for controlling most of these pests is the application of chemical pesticides. Growing concern on the negative environmental effects has encouraged the development of alternatives. Inundatively and inoculatively applied microbial control agents (virus, bacteria, fungi, and entomopathogenic nematodes) have been developed as alternative control methods of a wide variety of arthropods including tropical fruit pests. The majority of the research and applications in tropical fruit agroecosystems has been conducted in citrus, banana, coconut, and mango. Successful microbial control initiatives of citrus pests and mites have been reported. Microbial control of arthropod pests of banana includes banana weevil, Cosmopolites sordidus Germar (Coleoptera: Curculionidae) (with EPNs and fungi) among others Oryctes rhinoceros (L.) is one of the most important pests of coconut and one of the most successful uses of non-occluded virus for classical biological control. Key pests of mango that have been controlled with microbial control agents include fruit flies (Diptera: Tephritidae) (with EPNs and fungi), and other pests. Also successful is the microbial control of arthropod pests of guava, papaya and pineapple. The challenge towards a broader application of entomopathogens is the development of successful combinations of entomopathogens, predators, and parasitoids along with other interventions to produce effective and sustainable pest management.<hr/>Muitos insetos e ácaros atacam fruteiras nos trópicos. O método tradicional para controlar a maioria dessas pragas é a aplicação de inseticidas químicos. A crescente preocupação sobre os efeitos negativos desses produtos vem encorajando o desenvolvimento de alternativas. Agentes do controle biológico aplicados de forma inundativa ou inoculativa têm sido pesquisados como método de controle alternativo para uma variedade de pragas em grande número de culturas, incluindo fruteiras tropicais. A maioria das pesquisas e aplicações em fruteiras tropicais tem sido feita em citros, banana, côco e manga. Especificamente, há vários casos de sucesso em citros para diferentes ácaros e insetos. Em banana, o controle do moleque-da-bananeira, Cosmopolites sordidus Germar (Coleoptera: Curculionidae) com nematóides e fungus também é considerado de sucesso. Oryctes rhinoceros (L.) (Coleoptera: Scarabaeidae) é uma das principais pragas em côco e um dos mais importantes exemplos de controle biológico clássico por vírus não-ocluso. As pragas-chave em manga que têm sido controladas com diferentes agentes de controle microbiano são as moscas-das-frutas (Diptera: Tephritidae), com nematóides e fungos, o gorgulho-da-manga, Sternochetus mangiferae (Fabricius) (Coleoptera: Curculionidae), com fungos, e vários hemípteros com fungo. O controle microbiano de pragas tem sido bem sucedido também em goiaba, mamão e abacaxi. O desafio que se vislumbra para a maior aplicabilidade dessas tecnologias é o desenvolvimento de combinações compatíveis entre entomopatógenos, predadores e parasitóides juntamente com outras técnicas de controle. <![CDATA[<B>Diversidade e estrutura de comunidade de vespas sociais (Hymenoptera: Vespidae) em três ecossistemas da Ilha de Itaparica, BA</B>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1519-566X2007000200002&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt We studied the structure and composition of communities of social wasps associated with the three insular ecosystems: mangrove swamp, the Atlantic Rain Forest and the 'restinga'- lowland sandy ecosystems located between the mountain range and the sea. Three hundred and ninety-one nests of 21 social wasp species were collected. The diversity of wasps found in each ecosystem was significantly correlated to the diversity of vegetation in each of the three physiognomies, (r² = 0.85; F(1.16) = 93.85; P < 0. 01). The Tropical Atlantic Forest physiognomy had higher species richness (18 species), followed by the restinga (16 species) and the mangrove (8 species) ecosystems.<hr/>A estrutura e a composição de comunidades de vespas sociais associadas a três ecossistemas insulares com fisionomias distintas: Manguezal, Mata Atlântica e Restinga foram analisadas. Foram coletados 391 ninhos de 21 espécies de vespas sociais. A diversidade de vespas encontrada em cada ecossistema está significativamente correlacionada à diversidade de formas de vida vegetal encontrada em cada ambiente estudado (r² = 0,85; F(1.16) = 93,85; P < 0, 01). A floresta tropical Atlântica foi o ecossistema com maior riqueza de vespas (18 espécies), seguida pela Restinga (16 espécies) e pelo Manguezal (8 espécies). <![CDATA[<B>Fauna de abelhas euglossinas (Hymenoptera: Apidae: Euglossina) em fragmentos de Mata Atlântica em uma área urbana no sudeste do Brasil</B>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1519-566X2007000200003&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt Male orchid bees were collected by chemical baiting in four forest fragments in parks of the city of Belo Horizonte, Minas Gerais, southeastern Brazil. One thousand three hundred and twenty-five males belonging to 14 species were captured within one year. The capture data were compared through correlation tests. The data suggest that abundance of orchid bees tend to increase with fragment size, although no correlation between species richness and fragment size was obtained. The results presented herein suggest that forest fragments in a large city may be of importance concerning conservation of orchid-bee faunas.<hr/>Machos de abelhas euglossinas foram atraídos por compostos aromáticos e coletados em quatro fragmentos de Mata Atlântica em parques da cidade de Belo Horizonte, MG. Mil trezentos e vinte e cinco espécimes pertencentes a quartorze espécies foram coletados em um ano. Os dados das áreas amostradas no presente estudo foram comparados através de análises de correlação. Os resultados das análises indicaram que a abundância de abelhas euglossinas é maior em fragmentos maiores, embora não tenha havido correlação entre a riqueza e o tamanho dos fragmentos. Os dados apresentados sugerem que fragmentos de mata em uma grande metrópole podem ser importantes para a conservação da fauna dessas abelhas. <![CDATA[<B>Aspectos biológicos do período embrionário dos curculionídeos-das-raízes dos citros</B>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1519-566X2007000200004&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt O objetivo deste trabalho foi estudar algumas características da fase de ovo de três espécies de curculionídeos-das-raízes dos citros. Os insetos foram coletados em citros em Itapetininga, SP, levados ao Laboratório de Biologia de Insetos da ESALQ/USP, em Piracicaba, SP, onde foram mantidas as espécies numericamente mais importantes: Naupactus cervinus (Boheman), Naupactus versatilis (Hustache) e Parapantomorus fluctuosus (Boheman). Dessas espécies foi avaliada duração e a viabilidade da fase de ovo e calculados o limite térmico inferior de desenvolvimento (Tb) e a constante térmica (K). As espécies de curculionídeos-das-raízes dos citros apresentaram diferenças quanto à fase de ovo. O período embrionário, variou de 40,4 a 18,6 dias para N. cervinus, 38,7 a 20,0 dias para N. versatilis e 35,0 a 13,8 dias P. fluctuosus, dependendo da temperatura. Os limiares térmicos inferiores de desenvolvimento foram de 8,1; 8,3 e 9,9ºC com constante térmica 385,7; 397,7 e 294,1 graus dia (GD), respectivamente para N. cervinus, N. versatilis e P. fluctuosus. A duração da fase de ovo foi muito semelhante para N. cervinus e N. versatilis, nas mesmas temperaturas e P. fluctuosus, apresentou desenvolvimento mais rápido do que Naupactus spp., em todas as temperaturas testadas.<hr/>The goal of this work was to study some characteristics of the egg phase of three species of citrus root weevils. The insects were collected from citrus plants in Itapetininga, SP, and brought to the Laboratório de Biologia de Insetos of ESALQ/USP, in Piracicaba, SP, where the species Naupactus cervinus (Boheman), Naupactus versatilis (Hustache) and Parapantomorus fluctuosus (Boheman) were kept. Duration and viability of the egg phase were evaluated, and the lower temperature threshold and thermal constant (K) were calculated for these species. The species of citrus root weevils showed different duration of egg phases. The egg phase ranged from 40.4 to 13.8 N. cervinus, from 38.7 to 20.0 days for N. versatilis, and from 35.0 to 13.8 days for P. fluctuosus, depending upon temperature. The temperature thresholds of this stage were 8.1, 8.3, and 9.9ºC at thermal constant was 385.7, 397.7 and 294.1 degree-days, for N. cervinus, N. versatilis and P. fluctuosus respectively. The duration of the egg phases of N. cervinus and N. versatilis were similar at the same temperatures and P. fluctuosus had a faster development than Naupactus spp. in all temperatures tested. <![CDATA[<B>Investigação preliminar da predação de sementes na fase de pré-dispersão por <I>Acanthoscelides schrankiae</I> Horn (Coleoptera: Bruchidae) em plantas de <I>Mimosa bimucronata</I> (DC.) Kuntze</B>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1519-566X2007000200005&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt This is the first record of Acanthoscelides schrankiae Horn. feeding in seeds of Mimosa bimucronata (DC.) Kuntze. We investigated the pattern of oviposition and seed exploitation by A. schrankiae, and the distribution of mature fruits and seed predation in the inflorescences. We also compared the percentage of predated seeds, the total dry weight of fruits and non-predated seeds, the percentage of aborted seeds, and the percentage of non-emergent insects, among different quadrants of the M. bimucronata canopy. To determine the occurring species, the emergence of bruchids and parasitoids was observed in the laboratory, resulting altogether, only in individuals of A. schrankiae and Horismenus sp. (Hymenoptera: Eulophidae) species, respectively. Mean number of fruits produced in the median region of inflorescence was significantly higher than in the inferior and superior regions, and the frequencies (observed and expected) of predated and non-predated seeds differed among the different regions of inflorescence. Females of A. schrankiae laid their eggs on fruits, and larvae, after emergence, perforated the exocarp to reach the seeds. Most fruits presented one to three eggs and only one bruchid larva was observed in each seed. The highest value of the rate "number of eggs/fruit" and the highest percentage of predated seeds were recorded in April. Dry weight of fruits (total) and seeds (non-predated), proportions of predated seeds, seed abortions, and non-emergent seed predators, were evenly distributed in the canopy.<hr/>Este é o primeiro registro de Acanthoscelides schrankiae Horn. predando sementes de Mimosa bimucronata (DC.) Kuntze. Investigou-se o padrão de oviposição e uso das sementes por A. schrankiae e a distribuição de frutos maduros e de predação na inflorescência. Também se comparou a matéria seca total e das sementes não predadas, a proporção de sementes predadas, e as taxas de aborto e de insetos não-emergentes, entre os diferentes quadrantes da copa de M. bimucronata. Para determinar as espécies ocorrentes, observou-se a emergência de bruquídeos e parasitóides, sendo que todos pertenciam às espécies A. schrankiae e Horismenus sp. (Hymenoptera: Eulophidae), respectivamente. O número médio de frutos produzidos na região mediana da inflorescência foi significativamente maior do que nas regiões inferior e superior, e as freqüências (observadas e esperadas) das sementes predadas e não predadas diferiram estatisticamente entre as diferentes regiões da inflorescência. As fêmeas de A. schrankiae depositavam seus ovos sobre os frutos e as larvas, ao eclodirem, perfuravam o exocarpo, alcançando as sementes. A maioria dos frutos possuía de um a três ovos, sendo que somente uma larva de bruquídeo se desenvolve em cada semente. O maior valor da razão "número de ovos/fruto" e a maior porcentagem de sementes predadas foram registrados em abril. A matéria seca total e das sementes não predadas, a proporção de sementes predadas, e as taxas de aborto e de predadores não-emergentes não diferiram significativamente entre os diferentes quadrantes das copas das árvores. <![CDATA[<B>Análise morfológica da glândula de veneno de <I>Apis mellifera </I>L. (Hymenoptera: Apidae) em populações de Mato Grosso do Sul</B>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1519-566X2007000200006&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt Em Apis mellifera L. a glândula de veneno (também conhecida como glândula ácida) é composta por células secretoras que circundam um canal que desemboca num reservatório sem musculatura. A glândula pode apresentar bifurcação apical. Neste trabalho foi registrada a freqüência de glândulas de veneno ramificadas em operárias de abelhas africanizadas provenientes de onze localidades do Mato Grosso do Sul. As relações entre o comprimento do ducto principal, o comprimento deste canal desde o reservatório até a inserção da ramificação, comprimento da ramificação (quando presente) e comprimento total da glândula também foram analisadas. A freqüência de glândulas ramificadas variou de 50% a 83% nas operárias provenientes das diferentes localidades, indicando que essa característica é plesiomórfica nessas abelhas. Os resultados da análise de funções discriminantes indicaram diferenças significativas na morfometria da glândula de veneno das abelhas das onze localidades (Wilk’s Lambda = 0,092; F(40,55) = 3,43; P < 0,001), permitindo assim uma diferenciação das populações que foram estudadas. Usando-se o teste de Mantel, verificou-se que não existe correlação significativa entre as características morfológicas e as distâncias geográficas para os locais avaliados (Mantel r = -0,006; P = 0,48). A elevada freqüência de operárias com glândula de veneno grande em todos os apiários considerados torna viável o desenvolvimento de um programa de seleção massal dirigida, para a obtenção de abelhas com glândulas de veneno mais longas, visando à produção comercial de veneno pelos apicultores daquelas localidades de Mato Grosso do Sul.<hr/>In Apis mellifera L. the venom gland (also called acid gland) is composed of secretory cells that surround a channel that opens into a reservoir devoid of musculature. This gland can present apical branching. In this study the frequency of branched venom glands in Africanized honeybee workers (A. mellifera) from eleven localities in the state of Mato Grosso do Sul was recorded. The relations among the length of the main duct, the length of the duct from the reservoir to the beginning of branching, the length of the branched segment (when present) and the total length of the gland were also analyzed. The frequency of branched glands varied from 50% to 83% in the workers, indicating that this characteristic is primitive in those bees. The results of the Analysis of Discriminant Functions indicated significant differences in the morphometrical segments of the venom gland (Wilk’s Lambda = 0.092; F (40, 55) = 3.43; P < 0.001), and permitted a differentiation of the populations studied. Using the Mantel test we verified that there does not exist a significant correlation between the morphologic characteristics and the geographical distance between the localities evaluated (Mantel r = -0.006, P = 0.48). The high frequency of workers with large venom gland in all the apiaries considered makes viable the development of a selection program in order to obtain bees with longer venom glands, aimed at the commercial production of venom by the beekeepers of those localities of Mato Grosso do Sul. <![CDATA[<B>Chaves de identificação para famílias e gêneros de gerromorpha e nepomorpha (Insecta: Heteroptera) na Amazônia central</B>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1519-566X2007000200007&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt São poucos os estudos sobre Gerromorpha e Nepomorpha aquáticos e semi-aquáticos (Heteroptera) realizados no Brasil, sendo Minas Gerais o estado onde esses insetos foram mais estudados. Este trabalho tem como objetivo apresentar chaves de identificação de adultos de Gerromorpha e Nepomorpha como ferramenta para estudos ecológicos sobre esses grupos de insetos aquáticos na Amazônia Central. Os exemplares utilizados para elaboração das chaves taxonômicas foram coletados nos municípios de Presidente Figueiredo (riachos e lagos artificiais) e Manaus (riachos, lagos de várzea e igapó). Espécimes pertencentes ao acervo da Coleção de Invertebrados do Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia (INPA) também foram examinados e incluídos nas chaves de identificação. As chaves incluem 31 gêneros pertencentes a 13 famílias das duas infra-ordens estudadas.<hr/>Few studies have been done in Brazil on aquatic and semi-aquatic Gerromorpha and Nepomorpha (Heteroptera), Minas Gerais being the state where these insects have been studied the most. The present study presents keys for identification of Gerromorpha and Nepomorpha adults, thus providing a tool for ecological studies on aquatic insects in Central Amazonia. The specimens used to elaborate the taxonomic keys were collected in Presidente Figueiredo county in streams and artificial lakes and in Manaus county in streams, white-water floodplain (várzea) lakes and Rio Negro black-water flooded forest (igapó). Specimens from the invertebrate collection of the Instituto Nacional de Pesquisas da Amazonia (INPA) were also examined and included in the keys. Thirty one genera from 13 families of the infra-orders mentioned. <![CDATA[<B>Uma nova espécie de <I>Brachygasterina</I> Macquart do Chile (Diptera: Muscidae)</B>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1519-566X2007000200008&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt The genus Brachygasterina Macquart is Neotropical, with six species recorded from Argentina, Chile, Ecuador and Colombia. A new species was found among an extensive unidentified muscid material from South America in the collection of the California Academy of Sciences collection (San Francisco, California, U.S.A.). Brachygasterina maculata, new species, from Santiago, Chile, is here described and illustrated, and its position in the genus Brachygasterina is discussed.<hr/>O gênero Brachygasterina Macquart é Neotropical, com seis espécies registradas da Argentina, Chile, Equador e Colômbia. Uma nova espécie foi encontrada em numeroso material de múscidas não identificados, proveniente da América do Sul e pertencente à coleção do "California Academy of Sciences" (San Francisco, Califórnia, U.S.A.). Brachygasterina maculata, nova espécie, de Santiago, Chile, é aqui descrita e ilustrada e sua posição no gênero Brachygasterina é discutida. <![CDATA[<B>Desenvolvimento, longevidade e reprodução de <I>Trissolcus basalis</I> (Wollaston) e <I>Telenomus podisi</I> Ashmead (Hymenoptera: Scelionidae) em condições naturais durante a entressafra da soja no sul do Paraná</B>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1519-566X2007000200009&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt Investigou-se o desenvolvimento, a longevidade e a reprodução de Trissolcus basalis (Wollaston) e Telenomus podisi Ashmead mantidos em condições naturais durante a entressafra da soja de 1999 a 2001 no sul do Paraná, a fim de se conhecer como esses parasitóides sobrevivem durante o outono e inverno em regiões subtropicais. Adultos de T. basalis e T. podisi emergiram durante o outono e inverno de ovos parasitados a 18ºC entre abril e junho. A longevidade dos adultos em condições naturais foi superior a oito e sete meses, para T. basalis e T. podisi respectivamente, demonstrando que os parasitóides hibernam no estágio adulto. O índice de sobrevivência das fêmeas até o final do inverno foi superior a 85% e a mortalidade acentuou-se significativamente após o início da primavera. Fêmeas dos parasitóides mantidas por até seis meses em condições naturais parasitaram ovos de E. heros após sua transferência para 25ºC e a progênie constou de machos e fêmeas, demonstrando a ocorrência da cópula durante o outono e o inverno. A temperatura durante o desenvolvimento dos estágios imaturos afetou significativamente o potencial dos adultos hibernantes, regulando sua longevidade e capacidade reprodutiva após a dormência. Parasitóides desenvolvidos em temperaturas mais elevadas (início do outono) foram mais bem sucedidos no processo de hibernação, apresentando maior longevidade e parasitando mais ovos hospedeiros após a sua transferência para 25ºC, em relação a fêmeas que nas fases imaturas passaram por temperaturas mais baixas (final do outono).<hr/>The development, longevity and reproduction of Trissolcus basalis (Wollaston) and Telenomus podisi Ashmead were investigated under natural conditions during autumn and winter from 1999 to 2001, in Southern Paraná State, Brazil, in order to understand how these parasitoids overwinter in subtropical regions. Adults of T. basalis e T. podisi emerged during autumn and winter from eggs parasitized between April and June. Adult longevity in natural conditions was higher than eight and seven months, for T. basalis and T. podisi respectively, showing that both species overwinter in the adult stage. Percentage survival of T. basalis and T. podisi females during autumn and winter was higher than 85% and mortality increased significantly in spring. Females maintained for six months in natural conditions parasitized E. heros eggs after transference to 25ºC, and the presence of females in the offspring showed that mating occurred during autumn and winter. Temperature during immature development influenced significantly the adult performance, regulating the longevity and reproductive capacity after dormancy. Female parasitoids that developed in higher temperatures lived longer and parasitized more host eggs after transference to 25ºC than females that developed under colder conditions. <![CDATA[<B>Parasitismo de larvas da mosca-do-mediterrâneo por<I> Diachasmimorpha longicaudata</I> (Ashmead) (Hymenoptera: Braconidae) em diferentes cultivares de goiaba</B>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1519-566X2007000200010&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt Foram realizados testes para avaliar a eficiência de parasitismo de Diachasmimorpha longicaudata (Ashmead) sobre quatro cultivares de goiaba (Paluma, Sassaoca, Pedro Sato e Kumagai) infestadas com larvas de Ceratitis capitata (Wiedemann) (Diptera: Tephritidae). Cinco lotes de oito frutos de goiaba, sendo dois frutos por cultivar, foram acondicionados em gaiolas contendo adultos de C. capitata, por 2h para oviposição. Após uma semana, quando as larvas já haviam se desenvolvido dentro dos frutos, estes foram expostos aos parasitóides durante 24h. Foram avaliados o peso médio dos frutos, a mortalidade das larvas, o número de pupários e as porcentagens de moscas e parasitóides emergidos. Não houve diferença estatística entre as cultivares para peso dos frutos, mortalidade das larvas, número de pupários e emergência de moscas. O parasitismo foi significativamente maior na cv. Pedro Sato (19,8%), em relação à cv. Kumagai (2,9%), não diferindo, porém, das outras cultivares.<hr/>The parasitism efficiency of the Braconidae wasp, Diachasmimorpha longicaudata (Ashmead), was checked on four guava cultivars (Paluma, Sassaoca, Pedro Sato and Kumagai) infested with larvae of medfly, Ceratitis capitata (Wiedemann) (Diptera: Tephritidae). Five blocks of eight fruits, each with two fruits of each cultivar, were put inside C. capitata adult cages, during 2h for oviposition, and a week later, when the larvae inside guavas were developed, the fruits were exposed to parasitoids for 24h. The mean fruit weight, larvae mortality, number of pupae, percentage of medfly and parasitoid emergence were evaluated. There was not statistical difference among cultivars to weight, larvae mortality, number of pupae e emergence of medfly. The percentage of parasitism was higher in Pedro Sato cultivar (19.8%) compared with Kumagai cultivar (2.9%), but it was statistically similar to the other cultivars. <![CDATA[<B>Interação da temperatura com o ácaro parasita <I>Acarophenax lacunatus</I> (Cross & Krantz) (Prostigmata: Acarophenacidae) sobre o desenvolvimento de <I>Rhyzopertha dominica </I>(Fabricius) (Coleoptera: Bostrichidae)</B>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1519-566X2007000200011&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt O presente trabalho teve como objetivo avaliar o efeito da interação de diferentes temperaturas com o parasita Acarophenax lacunatus (Cross & Krantz) na supressão populacional de Rhyzopertha dominica (Fabricius). Os ensaios foram realizados com e sem o parasita, em cinco repetições, às temperaturas de 20, 25, 30 e 35ºC, umidade relativa de 60 ± 5% e escotofase de 24h. As unidades experimentais consistiram de placas de Petri, contendo 40 g de grãos de trigo (13% b.u.), infestados com 10 adultos de R. dominica. Foram realizadas três inoculações de cinco fêmeas de A. lacunatus por placa de Petri. As avaliações foram realizadas depois de 20, 40, 60, 80, 100 e 120 dias do início do experimento. A interação da temperatura com A. lacunatus mostrou ser uma importante ferramenta para a supressão populacional de R. dominica. Todavia, em temperaturas maiores que 25ºC, mesmo A. lacunatus reduzindo grande proporção das fases imaturas de R. dominica, as perdas de massa dos grãos foram elevadas aos 120 dias do armazenamento. A manutenção da temperatura dos grãos armazenados a 20ºC pode ser usada como complemento para o controle biológico de R. dominica com A. lacunatus.<hr/>The objective of this study was to evaluate the effect of different temperatures with the association of the mite Acarophenax lacunatus (Cross & Krantz) on the population suppression of Rhyzopertha dominica (Fabricius). The experimental units were petri dishes containing 40 g of whole wheat grains (13% moisture content) infested with 10 adults of R. dominica, under the temperatures of 20, 25, 30 and 35ºC, with or without A. lacunatus, in five replicates. Relative humidity of 60 ± 5% and escotophase of 24h were used for all temperatures. Five days after the infestation, five mites were inoculated in each experimental unit. The evaluations were carried out at 20, 40, 60, 80, 100 and 120 days after R. dominica infestation. The interaction of the temperature with the parasite A. lacunatus was an important tool for the population suppression of R. dominica. In temperatures higher than 25ºC, however, despite the reduction of the immature stages of R. dominica, there was a high grain weight loss after 120 days. The maintenance of the temperature of the wheat grains stored at 20ºC can be used to complement the biological control of R. dominica with A. lacunatus. <![CDATA[<B>Flutuação populacional de cigarrinhas vetoras de <I>Xylella fastidiosa</I> Wells <I>et al.</I> em pomares comerciais de citros no noroeste do Paraná</B>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1519-566X2007000200012&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt A Clorose Variegada dos Citros (CVC) é uma importante doença causada pela bactéria Xylella fastidiosa Wells et al., que é transmitida por insetos sugadores do xilema como vetores, denominados cigarrinhas (Hemiptera: Cicadellidae). No presente estudo, avaliou-se a flutuação populacional de espécies de cigarrinhas pertencentes às tribos Cicadellini e Proconiini, da subfamília Cicadelinae, em um pomar comercial de laranja-doce [Citrus sinensis (L.) Osb.], contendo as variedades Valência, Natal, Pêra e Folha Murcha, localizados no Noroeste do Paraná. Amostragens quinzenais foram realizadas com o uso de armadilhas adesivas amarelas, no total de 24 armadilhas em cada avaliação, de novembro de 1999 a março de 2004. As espécies mais representativas foram Dilobopterus costalimai Young, da tribo Cicadellini e Acrogonia citrina Marucci & Cavichioli, da tribo Proconiini. Ambas foram constantes durante o período do levantamento, fato importante por estas espécies possuírem maior potencial para transmissão e apresentarem hábitos alimentares na planta de citros. Deste modo, como foi registrada a presença de diversas espécies vetoras de CVC na região, recomenda-se o monitoramento da ocorrência das cigarrinhas e maior controle das mesmas, visando reduzir a disseminação da doença na área.<hr/>The citrus variegated chlorosis (CVC), an important disease of citrus in Brazil, is caused by the bacterium Xylella fastidiosa Wells et al. and transmitted by xylem-feeding sharpshooters (Hemiptera: Cicadellidae). This study evaluated the fluctuation of populations of species of sharpshooters belonging to the tribes Cicadellini and Proconiini, from subfamily Cicadelinae, in a commercial sweet orange [Citrus sinensis (L.) Osb.] grove, located in the Northwest Region of Paraná State, Brazil, in four varieties: Valência, Natal, Pêra, and Folha Murcha. Sharpshooters population was monitored using yellow stick traps sampled at 15 day-intervals, in 24 traps, from November of 1999 to March of 2004. The most abundant species were Dilobopterus costalimai Young (tribe Cicadellini) and Acrogonia citrina Marucci & Cavichioli (tribe Proconiini). Both species were detected during the complete period studied, which is important because they have great potential for transmitting CVC. Thus, since more than a sharpshooter species were detected, more efforts are recommended to monitor and control these insects in citrus groves, aiming to reduce the dissemination of CVC. <![CDATA[<B>Impacto dos herbicidas glifosate, 2,4-D, atrazina e nicosulfuron sobre as populações de collembola (Arthropoda: Ellipura) edáficos em sistema de plantio direto</B>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1519-566X2007000200013&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt The use of herbicides is a common and intensive practice in no tillage systems. The herbicides can influence, directly or indirectly, the population of edaphic arthropods. Collembola is a group that functions as a bio-indicator of soil conditions. The degree of abundance and diversity of Collembola provides the level of soil disturbance provoked by agricultural practices. This experiment was designed to compare the influence of herbicides on the population fluctuation of Collembola in a no-till soil preparation system. The work was conducted in a non irrigated no-till area at the Núcleo Experimental de Ciências Agrárias of the Universidade Federal de Mato Grosso do Sul (UFMS), Campus de Dourados, in soil planted with corn as a surface covering, during the period of December, 2002 to December, 2003. The data were analyzed according to a completely randomized model, in a split plot design. The plots received four types of herbicides: glyphosate, atrazine, 2,4-D and nicosulfuron. A fifth plot did not receive any herbicide (control), for a total of five treatment types. The sub plots were represented by their collection times (10, 20, 30 and 40 days after the herbicide applications). Both the type of herbicide and the time of data sampling influenced the Collembola population fluctuaction. The treatments with atrazine and 2,4-D caused the most reduction of the population of Collembola, depending on the time of application.<hr/>No plantio direto o uso de herbicidas é uma prática comum e intensiva, que influencia direta ou indiretamente a população de artrópodes da mesofauna edáfica. O grau de abundância e diversidade de Collembola comumente é indicado para comprovar a extensão de distúrbios de várias práticas agrícolas, pois esse grupo serve como bioindicador das condições do solo. Esta pesquisa teve como objetivo comparar a influência de alguns herbicidas na flutuação populacional de Collembola, em solo sob o sistema de plantio direto. O trabalho foi realizado em uma área de plantio direto de sequeiro, do Núcleo Experimental de Ciências Agrárias da Universidade Federal de Mato Grosso do Sul (UFMS), Campus de Dourados, em latossolo roxo distroférrico com cobertura de milho, durante os meses de outubro de 2002 a janeiro de 2003. Os dados obtidos foram analisados segundo o modelo inteiramente casualizado constituído de tratamentos dispostos no esquema de parcelas subdivididas, onde as parcelas são representadas por uma testemunha mais quatro herbicidas: glifosate, atrazina, 2,4-D e nicosulfuron (totalizando cinco tratamentos) e as subparcelas pelas épocas de cada coleta (10, 20, 30 e 40 dias após aplicação dos herbicidas). Tanto os herbicidas testados quanto as épocas de coleta influenciaram a população de Collembola. Dependente do período de degradação dos herbicidas no solo, os tratamentos com 2,4-D, Atrazina, foram os que mais influenciaram a abundância de Collembola reduzindo sua população. <![CDATA[<B>Susceptibilidade de seis cultivares de café arábica às moscas-das-frutas (Diptera: Tephritoidea) em sistema orgânico com e sem arborização em Valença, RJ</B>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1519-566X2007000200014&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt Foram determinados os índices de infestação por moscas-das-frutas em seis cultivares de Coffea arabica L. nos sistemas com e sem arborização, sob manejo orgânico. O delineamento experimental foi inteiramente casualizado com parcelas sub-subdivididas e quatro repetições. Uma amostra de 250 g de frutos maduros por parcela foi colhida em maio de 2005. As cultivares ‘Icatu Amarelo’ e ‘Catucaí Amarelo’ mostraram menor susceptibilidade aos tefritídeos, nos dois sistemas de cultivo. Quanto aos lonqueídeos, ‘Oeiras’, ‘Catucaí Amarelo’ e ‘Catuaí Vermelho’ foram as cultivares menos susceptíveis no sistema arborizado, não havendo diferença entre as cultivares no sistema sem arborização. Dos frutos foram obtidas as seguintes espécies de Tephritidae: Ceratitis capitata (Wiedemann), Anastrepha fraterculus (Wiedemann) e A. sororcula Zucchi (Tephritidae). Os lonqueídeos foram representados por: Neosilba bifida Strikis & Prado, N. certa (Walker), N. glaberrima (Wiedemann), N. pendula (Bezzi), N. pseudopendula (Korytkowski & Ojeda), Dasiops rugifrons Hennig, Neosilba n.sp.10 e Neosilba n.sp.14.<hr/>The infestation indices by fruit flies were determined for six cultivars of Coffea arabica L. in shaded and unshaded systems under organic management. The experiment was set in a completely randomized design with a split-split-plot arrangement and four replicates. A 250g-sample of maturing fruits per plot was harvested in May 2005. The cultivars ‘Icatu Amarelo’ and ‘Catucaí Amarelo’ were the least susceptible to attack by tephritids in both systems. As for lonchaeids, ‘Oeiras’, ‘Catucaí Amarelo’ and ‘Catuaí Vermelho’ were the least susceptible cultivars in the shaded system, and there was no difference among the cultivars in the unshaded system. The following tephritid species were obtained: Ceratitis capitata (Wiedemann), Anastrepha fraterculus (Wiedemann) and A. sororcula Zucchi (Tephritidae). Lonchaeids were represented by Neosilba bifida Strikis & Prado, N. certa (Walker), N. glaberrima (Wiedemann), N. pendula (Bezzi), N. pseudopendula (Korytkowski and Ojeda), Dasiops rugifrons Hennig, Neosilba n.sp.10 and Neosilba n.sp.14. <![CDATA[<B>Infectividade natural por <I>Xylella fastidiosa</I> Wells <I>et al.</I> de cicadelíneos (Hemiptera: Cicadellidae) de lavouras cafeeiras do Paraná</B>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1519-566X2007000200015&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt Xylella fastidiosa Wells et al. é uma bactéria gram-negativa, limitada ao xilema de plantas e responsável por doenças de importância econômica em diversas culturas, como a requeima-da-folha ou atrofia-dos-ramos em cafeeiro. É transmitida por insetos sugadores de xilema e quatro espécies de cigarrinhas já foram descritas como transmissoras do patógeno para cafeeiro. O objetivo deste trabalho foi determinar o grau de infectividade natural por X. fastidiosa em cinco espécies de cigarrinhas Cicadellidae potencialmente transmissoras da bactéria para cafeeiro: Acrogonia citrina Marucci & Cavichioli, Bucephalogonia xanthophis (Berg), Dilobopterus costalimai Young, Oncometopia facialis (Signoret) e Sonesimia grossa (Signoret). As coletas foram realizadas em lavouras cafeeiras de cinco municípios das regiões Norte e Noroeste do Paraná, de outubro de 1998 a novembro de 2001. O total de 806 amostras contendo de três a cinco insetos foi examinado para presença de X. fastidiosa utilizando os testes de PCR e nested PCR. Os resultados obtidos revelaram a presença de X. fastidiosa em amostras de todas as cinco espécies de cigarrinhas nas duas regiões cafeeiras. O potencial infectivo natural das amostras foi de 30,4% e variou de 2,2% para O. facialis a 68,8% para A. citrina. As cigarrinhas coletadas na primavera apresentaram tendência para menor infectividade natural de X. fastidiosa quando comparadas com as amostras coletadas nas outras três estações do ano. Os resultados obtidos revelaram o grande potencial de disseminação de X. fastidiosa por insetos vetores em cafeeiros no Paraná.<hr/>Xylella fastidiosa Wells et al., a gram-negative and xylem limited bacterium, causes significative economic on several crops, such as the leaf scorch in coffee. It is transmitted by xylem feeding insects and four sharpshooters species have been reported as vectors of X. fastidiosa in coffee. The objective of this study was to determine the natural infectivity of X. fastidiosa in five species of sharpshooters from coffee trees: Acrogonia citrina Marucci & Cavichioli, Bucephalogonia xanthophis (Berg), Dilobopterus costalimai Young, Oncometopia facialis (Signoret) and Sonesimia grossa (Signoret). Samples were collected from coffee plantations in five counties of the North and Northwest regions of the State of Parana, Brazil, from October 1998 through November 2001. A total of 806 samples containing three to five insects were examined for the presence of X. fastidiosa by using PCR and nested PCR tests. X. fastidiosa was present in samples of all five species of sharpshooters collected in the two coffee regions. The average level of natural infectivity potential was 30.4%. However, this natural infectivity ranged from 2.2% for O. facialis to 68.8% for A. citrina. Sharpshooters collected in the spring tended to have lower natural infectivity of X. fastidiosa as compared to those collected in other seasons. The results obtained showed the high potential of dissemination of X. fastidiosa by different insect vectors in coffee trees in Parana. <![CDATA[<B>História de vida de <I>Amblyseius herbicolus</I> (Chant) (Acari: Phytoseiidae) em cafeeiro</B>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1519-566X2007000200016&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt The predaceous mite Amblyseius herbicolus (Chant) is the second most abundant phytoseiid on coffee plants (Coffea arabica L), after Euseius alatus DeLeon, in Lavras, MG, Brazil, associated to the vector of the coffee ring spot virus, Brevipalpus phoenicis (Geijskes) (Acari: Tenuipalpidae). Its life history was studied taking into account biological aspects, life table, predatory activity and functional and numerical responses in relation to the density of the prey. The adult female has longevity of 38 days when supplied with B. phoenicis. The intrinsic rate of population increase (r m) was 0.150 and the mean generation time (T) 25.3 days. The population doubles every 4.6 days. Thirty mites B. phoenicis /3-cm diameter coffee leaf arenas were separately offered to one specimen of each predator phase. Adult females were more efficient in killing all developmental phases of B. phoenicis, followed by the nymph stages. For the functional and numerical responses studies, from 0.14 to 42.3 immature specimens of the prey /cm² of arena were submitted to the predator, the preferred phase for predation. Predation and the oviposition of A. herbicolus increased with increasing prey density, with a positive and highly significant correlation. Regression analysis suggests a functional type II response, with a maximum daily predation near 35 B. phoenicis /cm² /one adult female.<hr/>O ácaro predador Amblyseius herbicolus (Chant) é o segundo fitoseídeo mais abundante em cafeeiro (Coffea arabica L.), após Euseius alatus DeLeon, na região de Lavras, MG, associado ao vetor do vírus da mancha-anular, Brevipalpus phoenicis (Geijskes) (Acari: Tenuipalpidae). Sua história de vida foi estudada levando em conta aspectos biológicos, tabela de vida, atividade predatória e respostas funcional e numérica em função da densidade de presa. Foi constatada longevidade de 38 dias para fêmeas adultas quando alimentadas com B. phoenicis. A estimativa da capacidade inata de crescimento da população (r m) foi 0,150 e a duração média de uma geração (T) 25,3 dias. A população dobrou a cada 4,6 dias. Trinta ácaros B. phoenicis /arena de folha de cafeeiro (3 cm de diâmetro) foram oferecidos separadamente para um espécime de cada fase do ácaro predador. Fêmeas adultas foram mais eficientes na predação de todas as fases do desenvolvimento do ácaro-presa, seguidas das fases ninfais. Para o estudo das respostas funcional e numérica, a presa foi oferecida nas densidades de 0,14 a 42,3 formas imaturas de B. phoenicis /cm² de arena, por serem preferidas para predação. A predação e oviposição de A. herbicolus aumentam com o aumento da densidade de presa, com uma correlação positiva e altamente significativa. A análise de regressão realizada sugere uma resposta funcional do tipo II, com uma predação máxima diária de aproximadamente 35 B. phoenicis /cm² /fêmea adulta. <![CDATA[<B>Ácaros associados à cultura da soja no Rio Grande do Sul</B>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1519-566X2007000200017&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt Nas últimas safras agrícolas, foram observadas severas infestações de ácaros fitófagos em diversos municípios do Rio Grande do Sul, demandando a utilização de pesticidas para seu controle. Este trabalho teve como objetivo identificar as espécies de ácaros fitófagos e predadores associados à soja em dez municípios daquele estado, nas safras de 2002/03 e 2003/04, em cinco cultivares de soja (A 6001 RG, A 7001 RG, A 8000 RG, A 8100 RG, Anta 82), todas geneticamente modificadas. Em amostras de folhas foram encontradas quatro espécies de ácaros fitófagos (Mononychellus planki (McGregor), Polyphagotarsonemus latus (Banks), Tetranychus desertorum Banks e Tetranychus gigas Pritchard & Baker) e duas espécies de ácaros predadores (Phytoseiulus fragariae Denmark & Schicha e Typhlodromalus aripo De Leon). Tetranychus desertorum foi registrada pela primeira vez, associada à soja, no país. P. fragariae e T. aripo foram registradas pela primeira vez em soja. O potencial dos ácaros fitoseídeos como agentes de controle biológico na cultura da soja foi discutido. Dentre as hipóteses para o crescimento das infestações de culturas de soja com ácaros fitófagos estão a expansão progressiva da área cultivada, os veranicos observados nos últimos anos durante a estação de plantio, as modificações no sistema de cultivo da soja que levaram ao aumento no uso de pesticidas e a utilização de novas cultivares com características morfológicas ou bioquímicas que favorecem o desenvolvimento de populações desses ácaros.<hr/>During the last growing seasons, high infestations of phytophagous mites were observed in the State of Rio Grande do Sul, Brazil, becoming necessary to apply pesticides for their control. The objective of this study was to identify phytophagous and predatory mite species associated with soybean in ten counties of that state, during the 2002/03 and 2003/04 growing seasons, in five soybean cultivars (A 6001 RG, A 7001 RG, A 8000 RG, A 8100 RG, Anta 82), all genetically modified. In samples of soybean leaves four phytophagous mite species (Mononychellus planki (McGregor), Polyphagotarsonemus latus (Banks), Tetranychus desertorum Banks and Tetranychus gigas Pritchard & Baker) and two predatory mite species (Phytoseiulus fragariae Denmark & Schicha and Typhlodromalus aripo De Leon) were found. T. desertorum was found for the first time associated with soybean in the country. Phytoseiulus fragariae and T. aripo are reported for the first time on soybean. The potential of phytoseid mites as biological control agents in soybean crop was discussed. Among the hypotheses to explain the increasing infestation of soybean fields with phytophagous mites area are the progressively larger cultivated area, the dry spells observed in the last few years in the growing season, changes in soybean cropping system that led to increased use of pesticides and utilization of new soybean cultivars with morphological or biochemicals characteristics that favour the development of these mite populations. <![CDATA[<B>Avaliação da MosquiTRAP na detecção de <I>Aedes </I>(<I>Stegomyia</I>)<I> aegypti</I> (L.) (Diptera: Culicidae) durante estação seca em Belo Horizonte, MG</B>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1519-566X2007000200018&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt MosquiTRAP™ is a sticky trap specifically designed to capture gravid females of Aedes aegypti (L.) and allows the identification of the mosquito in the field during the inspection of the trap. This study aims to compare this sticky trap to larval and ovitrap surveys for field monitoring of A. aegypti during the dry season. The study was conducted from March to June of 2003 in 20 blocks of the district of Itapoã, Belo Horizonte, MG. The traps were monitored every week while the larval survey was conducted on a monthly basis. The larval index: Premise Index (PI) and Breteau Index (BI) had equal values throughout the experiment (1.72 in the first two months and zero in the last two). The container index (CI) during the first two months was 0.09 and 0.1%, respectively and zero in the last two. The Ovitrap Positive Index (OPI) ranged from 16.7 to 76.9%, and the MosquiTRAP Positive Index (MPI) ranged from 0 to 31.5%. The Egg Density Index (EDI) ranged from 26.6 to 82.8, while the Adult Density Index ranged from 0 to 1.6 throughout the experiment. Temperature and rainfall did not affect the Positive and Density Indices, although these environmental variables seemed to have affected the larvae indices. Although the MosquiTRAP caught a low number of Aedes mosquitoes during the study, it was more sensitive than the larval survey to detect the presence of Aedes mosquitoes.<hr/>MosquiTRAP é uma armadilha desenvolvida para a captura de fêmeas grávidas de Aedes aegypti (L.) e permite a identificação do mosquito em campo, durante a vistoria da armadilha. O objetivo desse estudo foi comparar essa armadilha com a pesquisa larvária e a ovitrampa para o monitoramento do A. aegypti em campo durante a estação seca. O trabalho foi realizado de março a junho 2003 em 20 quarteirões no bairro Itapoã, Belo Horizonte (MG). O monitoramento das armadilhas foi semanal e a pesquisa larvária foi realizada mensalmente. O Índice Predial (IP) e o Índice de Breteau (IB) apresentaram valores iguais durante todo o experimento (1,72 nos primeiros dois meses e zero nos dois últimos) e o Índice de Recipiente (IR) nos dois primeiros meses foi de 0,09 e 0,1% respectivamente e nos dois últimos foi zero. O Índice de Positividade de Ovitrampa (IPO) variou de 16,7 a 76,9% e o Índice de Positividade de MosquiTRAP (IPM) variou de 0 a 31,5%. O Índice de Densidade de Ovos (IDO) variou de 26,6 a 82,8 enquanto o Índice de Densidade de Adultos (IDA) variou de 0 a 1,6 durante todo o experimento. A temperatura e a precipitação não influenciaram os Índices de Positividade e de Densidade, mas parecem ter influenciado os índices larvários. Apesar de a MosquiTRAP ter coletado um número pequeno de Aedes, observou-se que ela foi mais sensível para detectar a presença de Aedes do que a pesquisa larvária. <![CDATA[<B>Resistência de populações de <I>Aedes aegypti</I> (L.) (Diptera: Culicidae) ao organofosforado temefós na Paraíba</B>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1519-566X2007000200019&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt Relatos da resistência de Aedes aegypti (L.) ao temefós em vários estados brasileiros, justificou esta pesquisa que teve por objetivo verificar e caracterizar a resistência ao temefós de populações de A. aegypti da Paraíba. A resistência ao temefós foi avaliada e caracterizada a partir da dose diagnóstica de 0,012 mg/l, e de curvas de concentração-mortalidade. Os dados de mortalidade nas concentrações múltiplas foram submetidos à análise de Probit, sendo as razões de resistências calculadas a partir das CL50s das populações resistentes e da CL50 da população suscetível de laboratório. Todas as populações de A. aegypti mostraram-se resistentes ao temefós. A população do Sítio Piabas com RR = 4,0 apresentou baixa resistência, as populações de Campina Grande com RR = 6,0, Lagoa do Mato com RR = 9,3 e Capim de Cheiro com RR = 9,0 apresentaram moderada resistência, e Boqueirão com RR = 11,0, Brejo dos Santos com RR = 16,6 e Itaporanga com RR = 15,6 mostraram média resistência ao temefós. Os resultados confirmam a necessidade contínua de um programa de monitoramento e manejo da resistência de A. aegypti na Paraíba.<hr/>Rumors of Aedes aegypti (L.) resistance to temephos in diferent Brazilian states justified this research, whose objective was to verify and characterize the resistance to temephos in A. aegypti populations from Paraíba State. The temephos resistance was evaluated and characterized through a diagnostic dose of 0.012 mg/l and concentration-mortality curves. The mortality data of multiple concentrations were submitted to Probit analysis, and the resistance ratios (RR) were figured out from the CL50s of the survived population and CL50 a laboratory susceptible population. All the A. aegypti populations showed resistance to temephos. The Sítio Piabas population with RR = 4.0, showed lower resistance, the Campina Grande with RR = 6.0, Lagoa do Mato with RR = 9.3 and Capim de Cheiro with RR = 9.0, showed a moderate resistance, and Boqueirão with RR = 11.0, Brejo dos Santos with RR = 16.6 and Itaporanga with RR= 15.6, showed intermediate levels of resistance to temephos. These results confirm the need of a continuous monitoring and managing program of A. aegypti resistance in Paraíba State. <![CDATA[<B>Dieta artificial para criação de <I>Doru luteipes</I> (Scudder) (Dermaptera: Forficulidae), predador da lagarta-do-cartucho do milho, <I>Spodoptera frugiperda </I>(J.E. Smith) (Lepidoptera: Noctuidae)</B>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1519-566X2007000200020&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt Uma nova técnica de criação para o predador Doru luteipes (Scudder), envolvendo dietas artificiais e substrato artificial de oviposição é sugerida. Tanto adultos, quanto ninfas foram mantidos em placas contendo um canudinho transparente de refrigerante com algodão umedecido e o respectivo alimento. Foram testados os seguintes tratamentos: ovos de Spodoptera frugiperda (J.E. Smith); ovos de Diatraea saccharalis Fabricius (Lepidoptera: Pyralidae); ovos de Anagasta kuehniella Zeller (Lepidoptera: Pyralidae); farinha de pupa de insetos (FPI); pólen comercial de abelhas Apis mellifera L. (Hymenoptera: Apidae) (PC); FPI + PC, FPI + pólen de taboa [Typha angustifolia L. (Thyphaceae)]. Para as dietas artificiais, observou-se que os tratamentos com farinha de pupas de insetos (FPI), FPI + pólen comercial (PC) e FPI + pólen de taboa resultaram em 32; 29 e 29 dias de período ninfal, com 83; 90 e 100% de sobrevivência, respectivamente, sendo superiores ao tratamento com PC , com 37 dias e 67% de sobrevivência. Os tratamentos com farinha de pupas de insetos, isolada ou em mistura com pólens, foram semelhantes ao padrão com ovos de S. frugiperda. Conclui-se que a criação de D. luteipes com as dietas artificiais testadas, bem como o método de criação, são adequados para sua produção em laboratório.<hr/>A new technique involving an artificial diet and an artificial substrate for oviposition for the rearing of the predator Doru luteipes (Scudder) is suggested. Both adults and nymphs were maintained in petri dishes containing a transparent piece of soda straw filled with moistened cotton and the corresponding food for the biossays. The following treatments were tested: eggs of Spodoptera frugiperda (J.E. Smith), Diatraea saccharalis Fabricius (Lepidoptera: Pyralidae) and Anagasta kuehniella Zeller (Lepidoptera: Pyralidae); insect pupae meal (FPI); Apis mellifera L. (Hymenoptera: Apidae) commercial pollen (PC); FPI + PC, and FPI + cattail pollen [Typha angustifolia L. (Thyphaceae)]. Each treatment had 50 replicates, and food was offered in excess. Treatments consisting of insect pupae meal (FPI), FPI + commercial pollen (PC), and FPI + cattail pollen resulted in nymphal development of 32, 29, and 29 days, with 83, 90 and 100% survival, respectively, and were superior to the PC treatment, with values of 37 days and 67% survival observed for insects reared on commercial pollen. Treatments that included insect pupae flour, either alone or mixed with pollens, were similar to control (S. frugiperda eggs). We conclude that the artificial diets tested and rearing technique are suitable for the artificial rearing of D. luteipes in laboratory conditions. <![CDATA[<B>Pragas da bananeira atacando <I>Heliconia latispatha </I>Benth. (Heliconiaceae)</B>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1519-566X2007000200021&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt Em maio de 2005, foi constatada a infestação de lagartas de Antichloris eriphia (Fabr.) (Lepidoptera: Arctiidae) e Calligo illioneus (Cramer) (Lepidoptera: Nymphalidae), pragas da bananeira, em plantas de Heliconia latispatha Benth. com seis meses de idade, plantadas próximas a cultura de bananeiras em Jaguariúna, SP. Trata-se da primeira observação do ataque de C. illioneus em H. latispatha no Brasil.<hr/>In mid-May 2005, the caterpillars Antichloris eriphia (Fabr.) (Lepidoptera: Arctiidae) and Calligo illioneus (Cramer) (Lepidoptera: Nymphalidae) which are banana tree pests, were found attacking six-month old stalks of Heliconia latispatha Benth., planted near a banana tree plantation in Jaguariuna, SP, Brazil. The attack by C. illioneus is observed by the first time in Brazil. <![CDATA[<B>Descrição de <I>Apiomerus costai </I>sp. nov. do Mato Grosso, com notas taxonômicas sobre <I>Apiomerus </I>Hahn (Hemiptera, Heteroptera: Reduviidae, Harpactorinae, Apiomerini)</B>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1519-566X2007000200022&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt Apiomerus costai sp. nov. (Hemiptera: Reduviidae) é descrita. Notas taxonômicas sobre Apiomerus Hahn são apresentadas.<hr/>Apiomerus costai sp. nov. (Hemiptera: Reduviidae) is described and taxonomical notes about Apiomerus Hahn are presented. <![CDATA[<B><I>Argyrotaenia sphaleropa </I>(Meyrick) (Lepidoptera: Tortricidae) em citros no Estado do Paraná</B>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1519-566X2007000200023&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt Argyrotaenia sphaleropa (Meyrick) is associated with various fruit species in South America. This tortricid was first detected in citrus, Citrus sinensis (L.) Osbeck, in Brazil, in commercial groves in northern Paraná, during the 1994/95-crop season. The aim of this work was to study the biology of this lepidopteran under laboratory conditions (28 &plusmn; 2ºC, 70 &plusmn; 10% UR, 14h photofase) using the citrus cultivar Pêra. Larvae obtained from egg masses collected in a commercial citrus grove in Rolândia, PR, were individually placed on citrus terminal leaves inside glass shell vials (8.5 x 2.5 cm) until adulthood. A male and a female moth were then transferred to acrylic cages (13 x 10 cm) containing inside a bouquet made with new citrus flush to serve as oviposition substrate. Adults were fed daily with a 10% honey solution. The biological parameters evaluated were duration of development of egg, larval and pupal stages; pupae weight; duration of pre-oviposition and oviposition periods, fecundity and longevity. The length of the egg to adult stage was around 36 days. The pre-oviposition period was almost two days, the oviposition period approximately ten days and the embryonary period around six days. Adult longevity was almost 15 days for females and nine days for males, and the lifetime fecundity was slightly over 180 eggs.<hr/>Argyrotaenia sphaleropa (Meyrick) está associada a várias espécies de frutíferas na América do Sul. Esse tortricídeo foi detectado pela primeira vez em citros, Citrus sinensis (L.) Osbeck no Brasil em pomares comerciais no norte do Paraná, durante a safra de 1994/95. O objetivo deste trabalho foi estudar a biologia do lepidóptero em condições de laboratório (28 ± 2ºC, 70 ± 10% RH, 14h fotofase) utilizando a cultivar Pêra. Lagartas obtidas a partir de massas de ovos, coletadas em pomar comercial de citros, em Rolândia, PR, foram individualizadas em frascos de vidro (8,5 x 2,5 cm) dentro dos quais foram inseridas folhas dos ponteiros de ramos de citros até que atingissem o estágio de adulto. Casais foram transferidos para gaiolas de acrílico (13 x 10 cm) contendo um bouquet de folhas de citros que serviram como substrato para oviposição. Os adultos foram alimentados com solução de mel a 10%. A duração do período de ovo a adulto foi de cerca de 36 dias. A. sphaleropa apresentou período de pré-oviposição ao redor de dois dias, período de oviposição de aproximadamente dez dias e período embrionário de cerca de seis dias. A longevidade de machos e de fêmeas foi de aproximadamente 15 e nove dias, respectivamente e a fecundidade de cerca de 180 ovos. <![CDATA[<B>O nome correto do percevejo neotropical da soja (Hemiptera: Alydidae)</B>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1519-566X2007000200024&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt A species of Neomegalotomus is an occasional pest of soybean [Glycine max (L.) Merrill] in the neotropics, including in Brazil. It was known as Neomegalotomus parvus (Westwood); but the discovery of the type specimen of a species described earlier requires that the name be changed to Neomegalotomus simplex (Westwood), which becomes the correct name for the soybean pest.<hr/>Uma espécie de Neomegalotomus é praga ocasional de soja [Glycine max (L.) Merrill] na Região Neotropical, incluindo o Brasil. Essa espécie era conhecida como Neomegalotomus parvus (Westwood); entretanto, a descoberta da espécie tipo de uma outra espécie, descrita anteriormente, requer que o nome seja trocado para Neomegalotomus simplex (Westwood), o que o torna o nome correto para essa praga da soja. <![CDATA[<B>Ácaros (Arachnida: Acari) associados a <I>Bauhinia variegata </I>L. (Leguminosae) no noroeste do Estado de São Paulo</B>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1519-566X2007000200025&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt Foi estudada a acarofauna associada a Bauhinia variegata L., espécie introduzida no Brasil como ornamental. Dois exemplares dessa planta foram amostrados mensalmente, de maio de 2000 a abril de 2001. Foram registrados 8.482 ácaros, pertencentes a 25 espécies de 11 famílias. Os fitófagos foram os mais abundantes, sendo Lorryia formosa Cooreman a espécie dominante. A dominância de L. formosa foi provavelmente influenciada pela condição de estresse das plantas amostradas e pela baixa quantidade de ácaros predadores sobre estas plantas.<hr/>The occurrence of mites on Bauhinia variegata L., a species introduced in Brazil as ornamental, was studied. Two plants of this species were sampled monthly from May 2000 to April 2001. A total of 8,482 mites, belonging to 25 species in 11 families were collected. The abundance of phytophagous mites was higher, being Lorryia formosa Cooreman the dominant species. The dominance of L. formosa might be caused by stress conditions of sampled plants and low number of predaceous mites on those plants.