Scielo RSS <![CDATA[Brazilian Journal of Oceanography]]> http://www.scielo.br/rss.php?pid=1679-875920050001&lang=en vol. 53 num. 1-2 lang. en <![CDATA[SciELO Logo]]> http://www.scielo.br/img/en/fbpelogp.gif http://www.scielo.br <![CDATA[<B>Sterols and fecal indicator microorganisms in sediments from Admiralty Bay, Antarctica</B>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1679-87592005000100001&lng=en&nrm=iso&tlng=en Sediments from the proximity of Ferraz station outfall, located in Admiralty Bay, Antarctica, were analyzed for fecal indicator microorganisms and sterols during the austral summer of 1999/2000 in order to assess human sewage input. Concentrations of total sterols and coprostanol ranged from 0.09 to 19.6 ¼g.g-1 and < 0.01 and 14.0 ¼g.g-1 dry weight (dw), respectively. Our analyses indicated that only sites within to 400m of the sewage outfall exhibited a sterol signal characteristic of human sewage input. Low levels of coprostanol and high levels of cholesterol in distant sites could be attributed to natural sources such as marine mammals and planktonic organisms. Fecal indicator microorganisms (E. coli, fecal streptococci and Clostridium perfringens) were non-detectable beyond 50m from outfall. Both indicators (sterols and fecal indicator microorganisms) produced consistent data and fecal sterol parameters have sho wn themselves to be efficient in the evaluation of trace amounts of fecal material. This study concluded that sewage contamination is limited to the immediate vicinity of the sewage outfall. In general, the concentration of fecal sterols and microbiological indicators were lower than in other Antarctic areas.<hr/>Amostras de sedimento, coletadas nas proximidades da saída de esgoto da Estação Antártica Comandante Ferraz (Brasil), Antártica, foram medidos durante o verão de 1999/2000. As concentrações de esteróis totais e coprostanol variaram entre 0,09 e 19,6 ¼g.g-1 e < 0,01 e 14,0 ¼g.g-1 de sedimento seco. Nossas análises mostraram que apenas os pontos localizados até 400 m desde a saída de esgotos apresentaram contribuições provenientes do esgoto da estação brasileira. Baixos níveis de coprostanol e alta concentração de colesterol em pontos distantes puderam ser atribuídos a fontes naturais, como os mamíferos marinhos e organismos planctônicos. Indicadores microbiológicos (E. coli, streptococci fecais e Clostridium perfringens) não foram detectados até 50 m desde a saída de esgotos. Ambos indicadores de poluição fecal produziram dados consistentes, embora os esteróis fecais tenham sido mais apropriados para avaliar quantidades traço de material fecal. Este estudo concluiu que a contaminação por esgotos está limitada apenas aos pontos mais próximos da saída de esgoto. Em geral, as concentrações de esteróis fecais e indicadores microbiológicos foram menores do que em outras regiões antárticas e centros urbanos. <![CDATA[<B>Reproductive biology and spatio-temporal distribution of <I>Stellifer rastrifer</I>, <I>Stellifer naso</I> and <I>Macrodon ancylodon</I> (Sciaenidae) in the Caeté estuary, northern Brazil</B>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1679-87592005000100002&lng=en&nrm=iso&tlng=en This study analyses the spatial and temporal distribution of the dominant Sciaenids in the Caeté estuary on the northern coast of Brazil. Samples were taken by otter trawls in four areas of the Caeté estuary between October 1996 and August 1997 six bimonthly. Stellifer rastrifer, Stellifer naso and Macrododon ancylodon presented the highest biomass out of eleven species of Sciaenidae caught. Minimum and mean length at first maturity were calculated and the main spawning periods determined. Changes in the spatio-temporal distribution of the three species were related to seasonal changes in estuarine salinity and spawning pulses. Larvae and juveniles of S. rastrifer, S. naso and M. ancylodon were found in the inner estuary while larger specimens were more abundant in the outer estuary with higher salinities. M. ancylodon spawned from October to February and rested from April to August whereas S. rastrifer and S. naso spawned throughout the year, though with two peaks, in October-December and June.<hr/>O presente estudo caracteriza a distribuição espaço-temporal dos peixes com maior abundância dentre a família Sciaenidae no estuário do rio Caeté, litoral norte do Brasil. Estima-se o comprimento de inicio da maturação sexual, o comprimento médio da primeira maturação sexual e os períodos de desova. Para tal, durante os meses de outubro de 1996 a agosto de 1997, foram feitas 6 coletas bimestrais, através de arrastos de fundo. A partir de subamostras das espécies mais abundantes dentro das capturas, construíram-se distribuições de freqüência de comprimento total, que foram analisadas por período e local de coleta. De onze espécies de Sciaenidae coletadas, a maior contribuição em abundância de exemplares foi feita pelas espécies Stellifer rastrifer, Stellifer naso e Macrodon ancylodon. Determinou-se que a distribuição espacial das espécies no sistema, está relacionada com mudanças periódicas na salinidade dentro do estuário e a sua dinâmica de reprodução. Assim, os juvenis de S. rastrifer, S. naso e M. ancylodon distribuíram-se nas áreas mais internas do estuário e os adultos nas águas costeiras, com maiores teores de salinidade. Enquanto que M. ancylodon apresenta desovas periódicas durante outubro a fevereiro, S. rastrifer e S. naso apresentam desovas parceladas com dois picos mais intensos de outubro a dezembro e durante junho. <![CDATA[<B>Soft-Bottom macrobenthic communities of the Vitória Bay estuarine system, South-eastern Brazil</B>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1679-87592005000100003&lng=en&nrm=iso&tlng=en The present work describes and analyses the structure of the macrobenthic epi- and infaunal assemblage of the estuarine system of Vitória Bay, South-eastern Brazil, from January 1998 to June 1999. Replicated sampling at intertidal and subtidal levels was conducted quarterly at ten stations. Intertidal and subtidal sediment composition was characterised. Water physico-chemical parameters were measured in situ. A total of 10,695 individuals, belonging to 144 taxa, were collected. Molluscs, crustaceans and polychaetes were the most abundant groups. The bivalves Anomalocardia brasiliana, Mytella guyanensis and M. falcata were the most abundant species. Locally, significant discharges of residential and industrial wastewater resulted in high organic content in the sediment (up to 30%) and low dissolved oxygen concentration in the water (< 1mg.l-1). Near the two entrances of the bay, high hydrodynamic activity and coarse sand reduced the detrimental effects of raw and treated sewage inputs. Species richness (S), diversity (H') and total abundance (A) decreased from outer-bay stations (22 < S < 72; 1.99 < H' < 2.85; 320 < A < 1737) towards inner-bay stations (2 < S < 45; 0.59 < H' < 2.67; 2 < A < 1317), where salinity and dissolved oxygen were lowest and organic matter content highest.<hr/>O presente trabalho analisa e descreve a estrutura das associações faunísticas macrobênticas (epifauna e infauna) do sistema estuarino da Baía de Vitória, sudeste do Brasil, de Janeiro de 1998 a Junho de 1999. Amostras replicadas em níveis de entre-marés e sublitoral foram coletadas em intervalos de três meses em dez estações. Foram caracterizadas as composições dos sedimentos de entre-marés e sublitoral. Os parâmetros físico-químicos da água foram medidos in situ. Foram coletados 10.695 indivíduos, compreendendo a 144 taxa. Os grupos mais abundantes foram moluscos, crustáceos e poliquetos. As espécies mais abundantes foram os bivalves Anomalocardia brasiliana, Mytella guyanensis e M. falcata. Localmente, descargas significativas de esgoto doméstico causaram um aumento da quantidade de matéria orgânica no sedimento (até 30%) e baixa concentração de oxigênio dissolvido na água (< 1mg.l-1). Próximo às duas entradas da baía, o alto hidrodinamismo e a presença de areia grossa reduziram os efeitos deletérios dos aportes de esgotos. A riqueza (S), a diversidade (H') de espécies e a abundância total (A), decresceram das estações externas do estuário (22 < S < 72; 1.99 < H' < 2.85; 320 < A < 1737) em direção às estações internas (2 < S < 45; 0.59 < H' < 2.67; 2 < A < 1317), onde a salinidade e oxigênio dissolvido foram menores e as quantidades de matéria orgânica maiores. <![CDATA[<B>Digenean metacercaria (Trematoda, Digenea, Lepocreadiidae) parasitizing "coelenterates" (Cnidaria, Scyphozoa and Ctenophora) from Southeastern Brazil</B>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1679-87592005000100004&lng=en&nrm=iso&tlng=en Metacercaria specimens of the genus Opechona (Trematoda: Digenea: Lepocreadiidae) are described parasitizing "coelenterates" (scyphomedusae and ctenophores) from Southeastern Brazil (São Paulo state). The worms are compared to other Opechona species occurring on the Brazilian coast, but no association has been made because only adult forms of these species have been described. Suppositions as to the possible transference of the parasites are made.<hr/>Exemplares de metacercárias do gênero Opechona (Trematoda: Digenea: Lepocreadiidae) são descritos parasitando "celenterados" (cifomedusas e ctenóforos) no sudeste do Brasil (estado de São Paulo). Os vermes foram comparados a outras espécies de Opechona ocorrentes no litoral brasileiro, porém nenhuma associação foi realizada devido às demais espécies terem sido descritas a partir de exemplares adultos. São apresentadas suposições sobre as possíveis formas de transferência dos parasitas. <![CDATA[<B>Seasonal chaetognath abundance and distribution in a tropical estuary (Southeastern, Brazil)</B>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1679-87592005000100005&lng=en&nrm=iso&tlng=en This study focuses on the seasonal variation of the chaetognath species in the Vitória Bay/Passage Channel estuarine system, Espírito Santo, Brazil, in terms of their abundance and distribution. Specimens of chaetognaths were collected between July 1997 and April 1998 at 10 sampling stations, with a cylindrical-conical plankton net of 200 µm mesh and 30 cm mouth, fitted with a mechanical flowmeter. Five chaetognath species were identified: Sagitta enflata, Sagitta decipiens, Sagitta hispida, Sagitta friderici and Sagitta minima. Most of them were distributed in areas of high salinity (e.g. at the stations closest to the outer estuary). The dominant species, S. enflata and S. friderici, were more frequent in the outer estuary where salinities varied from 32 (wet season - summer) to 28 (dry season - winter). S. friderici was the only species found right in the middle of the Passage Channel, at a station close to the main freshwater input into the estuary. Results showed that chaetognaths only enter the estuary due to the tidal effect, and that they are not typical residents of this system. This is to be expected because the group normally inhabits only truly marine regions.<hr/>Este estudo abordou a abundância e distribuição sazonal das espécies de quetognatos, no sistema estuarino baía de Vitória/Canal da Passagem, Espírito Santo, Brasil. Os organismos foram coletados entre julho de 1997 e abril de 1998 em 10 estações amostrais, utilizando uma rede de plâncton cilíndrico-cônica de 200µm de malha e 30 cm de abertura de boca, dotada de um fluxômetro mecânico. Cinco espécies de quetognatos foram identificadas: Sagitta enflata, Sagitta decipiens, Sagitta hispida, Sagitta friderici e Sagitta minima. A maioria destas espécies esteve distribuída em áreas com alta salinidade (e.g. estações próximas a saída do estuário). As espécies dominantes S. enflata e S. friderici foram mais freqüentes na parte externa do estuário onde as salinidades variaram de 32 (verão - estação chuvosa) a 28 (inverno - estação seca). S. friderici foi a única espécie encontrada no meio do Canal da Passagem, em uma estação próxima a uma fonte de água doce para o estuário. Os resultados mostram que os quetognatos entram no estuário devido ao efeito da maré, não sendo residentes típicos desse sistema. Isto é esperado visto que este grupo normalmente habita regiões verdadeiramente marinhas. <![CDATA[<B>An evaluation of the accumulation of intracellular inorganic nitrogen pools by marine microalgae in batch cultures</B>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1679-87592005000100006&lng=en&nrm=iso&tlng=en Methods of extraction, changes in concentrations with growth, and effects of culture conditions on intracellular inorganic nitrogen pools (IIN - ammonia, nitrite, and nitrate) were studied in nine species of marine microalgae in batch cultures. The microalgae were analysed to compare three methods of extraction of IIN, one of them developed in this study. The extraction of IIN occurs efficient by with all three methods for four out of the nine species tested. However, for five species significant differences were found among the methods, the best results being obtained with the new method. Microalgae accumulate inorganic forms of nitrogen in different proportions. The species show higher concentrations of either ammonia or nitrate, and always lower concentrations of nitrite. Microalgae of smaller cellular volumes tend to attain higher values of IIN per cubic micrometer (the converse in large-volume species), with some exceptions (Amphidinium carterae and Nannochloropsis oculata). The use of aeration in the cultures determines a decrease in the concentrations of IIN, favours nitrogen assimilation, and generates an increase in growth rates and C:N ratio. High concentrations of IIN are characteristic of the exponential growth phase, but in some cases their occurrence may result from carbon deficiency.<hr/>Métodos de extração, mudanças na concentração durante o crescimento e efeitos de condições de cultivo sobre conteúdos de nitrogênio inorgânico intracelular (NII - amônia, nitrito e nitrato) foram estudados em nove espécies de microalgas marinhas em cultivos estanques. As microalgas foram analisadas para comparar três métodos de extração de NII, um dos quais desenvolvido neste estudo. A extração de NII ocorre de forma eficiente com os três métodos para quatro espécies. Contudo, para cinco espécies diferenças significativas foram encontradas e os melhores resultados foram obtidos com o método novo. As microalgas acumulam formas inorgânicas de nitrogênio em proporções diferentes. As espécies apresentam concentrações de amônia ou nitrato como as mais altas e sempre menores concentrações de nitrito. Microalgas de menores volumes celulares tendem a atingir valores mais altos de NII por micrômetro cúbico (contrariamente para espécies de volumes celulares maiores), com algumas exceções (Amphidinium carterae e Nannochloropsis oculata). A adição de aeração nos cultivos determina um decréscimo na concentração de NII, favorece a assimilação de nitrogênio e gera um aumento na taxa de crescimento e na razão C:N. Concentrações altas de NII são características da fase de crescimento exponencial, mas em alguns casos sua ocorrência pode resultar de deficiência por carbono. <![CDATA[<B>A chemical analysis of sediment pore water in oxygen-free atmosphere</B>: <B>application to a contaminated area</B>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1679-87592005000100007&lng=en&nrm=iso&tlng=en Methods of extraction, changes in concentrations with growth, and effects of culture conditions on intracellular inorganic nitrogen pools (IIN - ammonia, nitrite, and nitrate) were studied in nine species of marine microalgae in batch cultures. The microalgae were analysed to compare three methods of extraction of IIN, one of them developed in this study. The extraction of IIN occurs efficient by with all three methods for four out of the nine species tested. However, for five species significant differences were found among the methods, the best results being obtained with the new method. Microalgae accumulate inorganic forms of nitrogen in different proportions. The species show higher concentrations of either ammonia or nitrate, and always lower concentrations of nitrite. Microalgae of smaller cellular volumes tend to attain higher values of IIN per cubic micrometer (the converse in large-volume species), with some exceptions (Amphidinium carterae and Nannochloropsis oculata). The use of aeration in the cultures determines a decrease in the concentrations of IIN, favours nitrogen assimilation, and generates an increase in growth rates and C:N ratio. High concentrations of IIN are characteristic of the exponential growth phase, but in some cases their occurrence may result from carbon deficiency.<hr/>Métodos de extração, mudanças na concentração durante o crescimento e efeitos de condições de cultivo sobre conteúdos de nitrogênio inorgânico intracelular (NII - amônia, nitrito e nitrato) foram estudados em nove espécies de microalgas marinhas em cultivos estanques. As microalgas foram analisadas para comparar três métodos de extração de NII, um dos quais desenvolvido neste estudo. A extração de NII ocorre de forma eficiente com os três métodos para quatro espécies. Contudo, para cinco espécies diferenças significativas foram encontradas e os melhores resultados foram obtidos com o método novo. As microalgas acumulam formas inorgânicas de nitrogênio em proporções diferentes. As espécies apresentam concentrações de amônia ou nitrato como as mais altas e sempre menores concentrações de nitrito. Microalgas de menores volumes celulares tendem a atingir valores mais altos de NII por micrômetro cúbico (contrariamente para espécies de volumes celulares maiores), com algumas exceções (Amphidinium carterae e Nannochloropsis oculata). A adição de aeração nos cultivos determina um decréscimo na concentração de NII, favorece a assimilação de nitrogênio e gera um aumento na taxa de crescimento e na razão C:N. Concentrações altas de NII são características da fase de crescimento exponencial, mas em alguns casos sua ocorrência pode resultar de deficiência por carbono. <![CDATA[<B>Preliminary evaluation of human health risks from ingestion of organotin contamined seafood in Brazil</B>]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1679-87592005000100008&lng=en&nrm=iso&tlng=en Methods of extraction, changes in concentrations with growth, and effects of culture conditions on intracellular inorganic nitrogen pools (IIN - ammonia, nitrite, and nitrate) were studied in nine species of marine microalgae in batch cultures. The microalgae were analysed to compare three methods of extraction of IIN, one of them developed in this study. The extraction of IIN occurs efficient by with all three methods for four out of the nine species tested. However, for five species significant differences were found among the methods, the best results being obtained with the new method. Microalgae accumulate inorganic forms of nitrogen in different proportions. The species show higher concentrations of either ammonia or nitrate, and always lower concentrations of nitrite. Microalgae of smaller cellular volumes tend to attain higher values of IIN per cubic micrometer (the converse in large-volume species), with some exceptions (Amphidinium carterae and Nannochloropsis oculata). The use of aeration in the cultures determines a decrease in the concentrations of IIN, favours nitrogen assimilation, and generates an increase in growth rates and C:N ratio. High concentrations of IIN are characteristic of the exponential growth phase, but in some cases their occurrence may result from carbon deficiency.<hr/>Métodos de extração, mudanças na concentração durante o crescimento e efeitos de condições de cultivo sobre conteúdos de nitrogênio inorgânico intracelular (NII - amônia, nitrito e nitrato) foram estudados em nove espécies de microalgas marinhas em cultivos estanques. As microalgas foram analisadas para comparar três métodos de extração de NII, um dos quais desenvolvido neste estudo. A extração de NII ocorre de forma eficiente com os três métodos para quatro espécies. Contudo, para cinco espécies diferenças significativas foram encontradas e os melhores resultados foram obtidos com o método novo. As microalgas acumulam formas inorgânicas de nitrogênio em proporções diferentes. As espécies apresentam concentrações de amônia ou nitrato como as mais altas e sempre menores concentrações de nitrito. Microalgas de menores volumes celulares tendem a atingir valores mais altos de NII por micrômetro cúbico (contrariamente para espécies de volumes celulares maiores), com algumas exceções (Amphidinium carterae e Nannochloropsis oculata). A adição de aeração nos cultivos determina um decréscimo na concentração de NII, favorece a assimilação de nitrogênio e gera um aumento na taxa de crescimento e na razão C:N. Concentrações altas de NII são características da fase de crescimento exponencial, mas em alguns casos sua ocorrência pode resultar de deficiência por carbono.