Scielo RSS <![CDATA[Revista Dor]]> http://www.scielo.br/rss.php?pid=1806-001320160004&lang=en vol. 17 num. 4 lang. en <![CDATA[SciELO Logo]]> http://www.scielo.br/img/en/fbpelogp.gif http://www.scielo.br <![CDATA[Clinical listening of painful patients and its importance in the daily life of pysicians]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1806-00132016000400243&lng=en&nrm=iso&tlng=en <![CDATA[Prevalence of opiophobia in cancer pain treatment]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1806-00132016000400245&lng=en&nrm=iso&tlng=en ABSTRACT BACKGROUND AND OBJECTIVES: Pain depreciates patients' quality of life, even influencing disease recovery. This study aimed at evaluating the prevalence of pain and opiophobia as barrier for the adequate management of cancer pain. METHODS Participated in the study 280 cancer patients in clinical treatment, who have answered a questionnaire made up of questions related to pain and use of opioid drugs. Demographic and clinical data were obtained by reviewing medical charts. The study was individually and randomly applied by the authors during outpatient visits. RESULTS: Prevalence of pain was 50.3%; 19.2% of patients would refuse morphine for pain control and fear of dependence was the most reported reason. The perception that morphine is directly related to worsening the disease was reported by 67.8% of respondents. CONCLUSION: A high prevalence of moderate and severe pain was found among studied patients, as well as a high prevalence of opiophobia.<hr/>RESUMO JUSTIFICATIVA E OBJETIVOS: A dor se apresenta como fator depreciativo da qualidade de vida dos pacientes, influenciando inclusive na recuperação da doença. O objetivo deste estudo foi avaliar a prevalência da dor e da opiofobia, enquanto barreira ao manuseio adequado deste sintoma em pacientes com câncer. MÉTODOS: Foram avaliados 280 pacientes com câncer em tratamento clínico dessa doença, que responderam a um questionário composto por questões relacionadas à dor e ao uso de fármacos opioides. Os dados demográficos e clínicos foram obtidos por meio de revisão de prontuários. O estudo foi aplicado individualmente pelos autores ao acaso, durante o atendimento ambulatorial. Apresentado em 25 de julho de 2016. Aceito para publicação em 03 de novembro de 2016. Conflito de interesses: não há - Fontes de fomento: não há. RESULTADOS: A prevalência de dor encontrada foi de 50,3%; 19,2% dos pacientes recusariam a morfina como tratamento da dor e o medo da dependência foi o motivo mais relatado. A percepção de que o uso da morfina tem relação direta com o agravo da doença foi descrita por 67,8% dos entrevistados. CONCLUSÃO: A alta prevalência de dor moderada e intensa foi encontrada nos pacientes estudados, bem como uma elevada prevalência de opiofobia. <![CDATA[Morning salivary cortisol with regard to gender in individuals with perceived facial pain]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1806-00132016000400248&lng=en&nrm=iso&tlng=en ABSTRACT BACKGROUND AND OBJECTIVES: Facial pain seems to be related to physiological responses to stress and sexual dimorphism. However, the relationship among facial pain, cortisol secretion and gender has been poorly investigated. This study aimed to investigate differences in morning salivary cortisol profile between males and females either with or without perceived facial pain symptoms. METHODS: Participated in the study 39 individuals reporting facial pain and 33 painless controls of both genders. Facial pain symptoms were evaluated with Axis II Research Diagnostic Criteria for Temporomandibular Disorders, which has supplied chronic pain scores. Saliva was collected in the morning to obtain cortisol peaks, being stored for further use. Salivary cortisol levels were evaluated by immunosorbent assay. Statistical analysis has included hypotheses tests and ANOVA with significance level of 5% and a binary logistic regression, which has tested the association between gender, cortisol and each facial pain symptom. RESULTS: There has been no association between facial pain and gender. Cortisol levels were similar among individuals with and without facial pain, regardless of gender. The adjusted model has shown that most symptoms were not associated to gender, regardless of cortisol levels. CONCLUSION: In individuals with and without facial pain symptoms, morning salivary cortisol levels regulation has been similar for both genders.<hr/>RESUMO JUSTIFICATIVA E OBJETIVOS: A percepção da dor facial parece estar relacionada com respostas fisiológicas ao estresse e com o dimorfismo sexual. No entanto, a relação entre dor facial, secreção de cortisol e o sexo ainda foi pouco investigada. O objetivo deste estudo foi investigar as diferenças nos perfis de cortisol salivar matutino em homens e mulheres com ou sem sintomas de dor facial. MÉTODOS: Trinta e nove indivíduos que relataram dor facial e 33 controles sem dor, de ambos os sexos, participaram deste estudo. Os sintomas de dor facial foram avaliados utilizando o Eixo II do Critério de Diagnóstico para Pesquisa das Disfunções Temporomandibulares, que forneceu os escores de dor crônica. A saliva foi coletada dos participantes no turno matutino a fim de obter os picos de cortisol, sendo armazenada até utilização posterior. Os níveis salivares de cortisol foram avaliados por ensaio imunoenzimático. A análise estatística incluiu testes de hipóteses e ANOVA com nível de significância de 5%, e uma regressão logística binária que testou a associação entre o sexo, cortisol, e cada sintoma de dor facial. RESULTADOS: Não foi observada associação entre dor facial e o sexo. Os níveis de cortisol foram semelhantes entre indivíduos com ou sem dor facial, independentemente do sexo. O modelo ajustado mostrou que a maioria dos sintomas não teve associação com o sexo, independentemente dos níveis de cortisol. CONCLUSÃO: Nos indivíduos com e sem dor facial, a regulação dos níveis de cortisol salivar matutino ocorreu de forma semelhante em ambos os sexos. <![CDATA[Pain evaluation in workers of the textile industry]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1806-00132016000400254&lng=en&nrm=iso&tlng=en ABSTRACT BACKGROUND AND OBJECTIVES: Currently, major workers' health problem is the set of diseases affecting the musculoskeletal system. This study aimed at evaluating pain, its intensity and mostly affected anatomic region of textile industry workers. METHODS: This is a cross-sectional study with qualitative and quantitative approach. A physiotherapeutic evaluation card and the visual analog scale were used to evaluate pain. A total of 26 workers were evaluated. RESULTS: According to the evaluation, it was possible to infer that 88% (n=23) individuals had some pain complaint. Pain intensity has varied from 2 to 8 with mean of 4.8±2.4. Region with more severe pain was shoulders (VAS=6.6), followed by lumbar and cervical region (VAS=6); the region with least intensity was wrist (VAS=5). CONCLUSION: This study has shown that a large number of workers have occupational pain. Lumbar spine was the region with the highest incidence of complaints and highest pain intensity was referred on shoulders.<hr/>RESUMO JUSTIFICATIVA E OBJETIVOS: O grande problema na saúde do trabalhador nos dias atuais é o conjunto de afecções que afetam o sistema musculoesquelético. O objetivo deste estudo foi avaliar a dor, sua intensidade e região anatômica mais acometida de um grupo de trabalhadores da indústria têxtil. MÉTODOS: A pesquisa é caracterizada como um estudo transversal com abordagem qualitativa e quantitativa. Foi utilizada uma ficha de avaliação fisioterapêutica, e a escala analógica visual para avaliar a dor. Um total de 26 trabalhadores foi avaliado. RESULTADOS: De acordo com a avaliação, pode-se inferir que 88% (n=23) dos indivíduos sofriam de alguma queixa de dor. A intensidade da dor variou entre 2 e 8 com média de 4,8±2,4. A região que obteve maior intensidade na dor foi a dos ombros (EAV=6,6), seguido pela região lombar e cervical (EAV=6), a região de menor intensidade de dor foi o punho (EAV=5). CONCLUSÃO: O presente estudo mostrou que grande parcela dos trabalhadores apresentaram dores ocupacionais. A região com maior incidência de queixas foi à coluna lombar e a maior intensidade de dor referida foi à região dos ombros. <![CDATA[Self-mutilation: pain intensity, triggering and rewarding factors]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1806-00132016000400257&lng=en&nrm=iso&tlng=en ABSTRACT BACKGROUND AND OBJECTIVES: Self-mutilation is a self-destruction behavior elicited by the desire of self-punishment which may be unconscious and has major impact on individuals' lives. This study aimed at identifying pain intensity which satisfies self-mutilation need the most, in addition to triggering and rewarding factors. METHODS: Cohort study, carried out by means of a questionnaire with participation of 20 patients aged above 18 years, treated in a Psychiatry ambulatory of a medium-sized city of Vale do Paraiba. RESULTS: Participants were aged between 16 and 60 years, being 85% females. Depression was the most prevalent disease and sadness was the triggering factor. With regard to feelings, 65% have answered being relieved and the period with large number of occurrences was at night. As to pain intensity according to pain numerical scale, 45% have reported no pain, 35% mild pain, 15% moderate and 5% severe pain. However, when considering pain interpreted outside the moment of crisis, 5% have reported no pain, 45% moderate pain and 50% severe pain. CONCLUSION: The prevalence of self-mutilation was higher among young females with some psychiatric disorder and the period with large number of occurrences was at night. Pain intensity was low to mild, especially as compared to patients' evaluation outside the moment of crisis.<hr/>RESUMO JUSTIFICATIVA E OBJETIVOS: A automutilação é um comportamento de autodestruição oriundo de um desejo de se punir que pode ser inconsciente e apresenta grande impacto na vida do indivíduo. O presente estudo teve como objetivo identificar a intensidade dolorosa que mais satisfaz a necessidade da automutilação, assim como os fatores desencadeantes e gratificantes. MÉTODOS: Estudo de coorte, realizado mediante resposta a um questionário com participação de 20 pacientes com idade superior a 18 anos; atendidos em ambulatório de Psiquiatria, de uma clínica de uma cidade de médio porte do Vale do Paraíba. RESULTADOS: Os participantes do estudo apresentavam idade entre 16 e 60 nos, sendo 85% do gênero feminino. A depressão foi a doença mais prevalente e o fator desencadeante foi a tristeza. Em relação ao sentimento alcançado, 65% responderam obter alívio e o período do dia de maior ocorrência foi o noturno. Quanto a intensidade dolorosa, segundo a escala numérica de dor, 45% relataram ausência de dor, 35% dor leve, 15% moderada e 5% intensa. Porém, ao se considerar a dor interpretada fora do momento da crise, 5% relatou ausência de dor, 45% dor moderada e 50% intensa. CONCLUSÃO: A prevalência da automutilação foi maior em mulheres, jovens, portadoras da algum transtorno psiquiátrico e o período do dia de maior ocorrência ocorreu a noite. Quanto a percepção dolorosa, foi de baixa a leve intensidade, principalmente se comparadas ao que o paciente avalia para o mesmo fenômeno fora das crises. <![CDATA[Musculoskeletal disorders and quality of life of dentists]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1806-00132016000400261&lng=en&nrm=iso&tlng=en ABSTRACT BACKGROUND AND OBJECTIVES: Quality of life has always been a human concern, especially nowadays when job market requirements are exposing dentists to stressing situations and adverse conditions, thus favoring the installation of several labor-related diseases. This study aimed at evaluating labor-related musculoskeletal disorders, painful symptoms and their relation with quality of life and the use of preventive measures by dentists. METHODS: Study population was made up of dentists of the private network (n=64). Two self-applicable questionnaires were used being one to measure quality of life World Health Organization Quality of Life-bref and the other for musculoskeletal disorders. RESULTS: Pain was more prevalent on neck and cervical spine (49.2%), followed by lumbar region (40%). With regard to quality of life, physical domain had higher mean scores (76.5%) followed by social relations domain (74.9%). CONCLUSION: The region with higher prevalence of pain was neck and cervical spine and professionals with pain were not so happy with their quality of life.<hr/>RESUMO JUSTIFICATIVA E OBJETIVOS: A qualidade de vida sempre foi uma preocupação do homem, especialmente nos últimos tempos em que as exigências do mercado de trabalho vêm expondo o profissional de odontologia a situações estressantes e condições adversas, favorecendo a instalação de diversas doenças decorrentes das atividades laborais. O objetivo deste estudo foi avaliar a presença de distúrbios osteomusculares relacionados ao trabalho; sintomas dolorosos e sua relação com qualidade de vida e o emprego de medida preventiva entre cirurgiões-dentistas. MÉTODOS: A população de estudo foi composta por cirurgiões-dentistas da rede privada (n=64); dois questionários autoaplicáveis foram empregados, sendo um para mensurar qualidade de vida, World Health Organization Quality of Life-bref e o outro para distúrbios osteomusculares. RESULTADOS: A região mais acometida por dores foi a do pescoço e da coluna cervical (49,2%), seguida pela região lombar (40%). No que se relaciona à qualidade de vida, o domínio físico apresentou a média de escores mais altos (76,5%) seguido do domínio relações sociais (74,9%). CONCLUSÃO: A região com maior prevalência de sintomas dolorosos foi a do pescoço e coluna cervical; profissionais com dores apresentaram menor satisfação com sua qualidade de vida. <![CDATA[Influence of gender on cold-induced pain]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1806-00132016000400266&lng=en&nrm=iso&tlng=en ABSTRACT BACKGROUND AND OBJECTIVES: Ice as treatment modality is indiscriminately used without considering possible differences between males and females in terms of threshold and tolerance to cold-induced pain during cryotherapy. Pain referred by patients during cryotherapy may be a defense mechanism against possible tissue injury caused by severe vasoconstriction. This study aimed at observing the difference in threshold, tolerance and perception of cold-induced pain between individuals of both genders. METHODS: Participated in the study 117 young volunteers of both genders, who were submitted to cold-induced pain protocol simulating a situation of immersion cryotherapy. RESULTS: The study has shown significant differences between genders in pain threshold and tolerance. Pain perception was not significantly different between groups. CONCLUSION: Males had higher threshold and tolerance to cold-induced pain as compared to females. According to results, one may infer that differences in responses between genders should be respected, since indiscriminate standardization of cryotherapy application time might result in tissue injury.<hr/>RESUMO JUSTIFICATIVA E OBJETIVOS: O uso do gelo como forma de tratamento é utilizado indiscriminadamente sem considerar as prováveis diferenças, entre os pacientes do gênero masculino e feminino, no limiar e na tolerância à dor induzida pelo frio durante a aplicação da crioterapia. A dor referida pelo paciente durante a aplicação da crioterapia pode atuar como um mecanismo de defesa frente a uma possível agressão tecidual ocasionada por uma vasoconstrição acentuada. O objetivo deste estudo foi verificar a diferença no limiar, tolerância e percepção da dor induzida pelo frio entre indivíduos de ambos os gêneros. MÉTODOS: Participaram do estudo 117 voluntários jovens, de ambos os gêneros, que foram submetidos a um protocolo de indução de dor pelo frio simulando uma situação de crioterapia por imersão. RESULTADOS: A análise dos grupos estudados revelou diferenças significativas entre os gêneros para o limiar e a tolerância a dor. A percepção da dor não apresentou diferença significativa entre os gêneros. CONCLUSÃO: Indivíduos do gênero masculino apresentaram maior limiar e tolerância à dor, induzida pelo frio, do que os do gênero feminino. De acordo com os resultados, pode-se inferir que as diferenças nas repostas encontradas entre os gêneros devem ser respeitadas, já que uma padronização indiscriminada no tempo de aplicação da crioterapia pode acarretar em lesões teciduais. <![CDATA[Animal-assisted activity and pain sensation in hospitalized children and adolescents]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1806-00132016000400270&lng=en&nrm=iso&tlng=en ABSTRACT BACKGROUND AND OBJECTIVES: The interest on Animal-Assisted Activity, Education and Therapy is growing in Brazil. Only in the last decade, Brazilian investigators have started scientific studies aiming at evaluating the effectiveness of Animal-Assisted Activity, Education and Therapy as from international literature references. The methodological option of developing this project in hospital environment comes to meet the increasing interest of such institutions in introducing animals during the hospitalization period of patients, especially children. The presence of animals seems to produce significant socioemotional benefits as adjuvant to clinical management of hospitalized patients. This study aimed at evaluating the effects of Animal-Assisted Activity on pain sensation of hospitalized children and adolescents. METHODS: This is an intervention, quantitative and qualitative research. Participated in the study 17 patients aged as from 7 years, hospitalized in the Hospital Infantil Sabará, with pain complaints. Participant co-therapist dogs were Bruce (large size) and Sheep (small size). Pain numerical scale was applied before and after Animal-Assisted Activity, Education and Therapy. RESULTS: There are evidences, in the studied population, that this activity was effective to decrease patients' self-referred pain, in addition to improving emotional aspects of hospitalization, confirming literature data on the subject. CONCLUSION: There has been significant pain decrease after intervention with dogs, confirming some international studies carried out on the subject.<hr/>RESUMO JUSTIFICATIVA E OBJETIVOS: Cresce o interesse sobre Atividade, Educação e Terapia Assistida por Animais no Brasil. Somente na última década, pesquisadores brasileiros iniciaram investigações científicas com vistas a avaliar a efetividade do trabalho com Atividade, Educação e Terapia Assistida por Animais, a partir de referências da literatura internacional. A opção metodológica de desenvolver esse projeto em ambiente hospitalar vem ao encontro do interesse crescente dessas instituições em introduzir os animais durante o período de hospitalização dos pacientes, especialmente as crianças. A presença dos animais parece produzir benefícios sócioemocionais significativos como adjuvante ao tratamento clínico de pacientes hospitalizados. O objetivo deste estudo foi avaliar os efeitos da Atividade Assistida por Animais na sensação de dor em crianças e adolescentes hospitalizados. MÉTODOS: Trata-se de pesquisa de intervenção, de natureza quantitativa e qualitativa. Participaram do estudo 17 pacientes a partir de 7 anos de idade, hospitalizados no setor de internação do Hospital Infantil Sabará, com queixa de dor. Os cães coterapeutas participantes foram Bruce (porte grande) e Sheep (porte pequeno). A escala numérica de dor foi aplicada antes e depois da Atividade, Educação e Terapia Assistida por Animais. RESULTADOS: Na população estudada, há evidências de que a esta atividade demonstrou eficácia quanto à redução da dor autorreferida pelos pacientes, além de melhorar aspectos emocionais sobre a hospitalização, corroborando dados bibliográficos de pesquisas realizadas sobre o tema. CONCLUSÃO: Houve diminuição significativa da sensação de dor após a intervenção com o cão, corroborando com alguns estudos internacionais já realizados sobre o tema. <![CDATA[Pilates training improves pain and quality of life of women with fibromyalgia syndrome]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1806-00132016000400274&lng=en&nrm=iso&tlng=en ABSTRACT BACKGROUND AND OBJECTIVES: There is still lack of evidence that supports Pilates training in women with fibromyalgia syndrome. Hence, the aim of the present study was to assess the effects of Pilates on pain, quality of life, depression and anxiety in women with fibromyalgia syndrome. METHODS: Twenty female volunteers diagnosed with fibromyalgia took part on this study. Thirteen women were assigned for the treatment group and seven, for the control group. All 20 patients were evaluated before and immediately after 8 weeks. Along with the anamnesis, volunteers were assessed for the 18 tender points described by the American College of Rheumatology, for number of painful regions, pain intensity with the visual analogue scale, quality of life with the Fibromyalgia Impact Questionnaire, for depression with the Beck Depression Inventory and for anxiety with the Beck Anxiety Inventory. The treated group underwent a 1-hour Pilates session twice a week for 8 weeks. The control group remained with prior treatment interventions and therapies unchanged. RESULTS: Statistically significant improvement was observed in pain intensity and number of painful regions (p&lt;0.05) in the treated group, whereas no statistical differences were found in other variables (p&gt;0.05) or for the control group (p&gt;0.05). Strong correlations were found mostly between number of active tender points and Fibromyalgia Impact Questionnaire (r&gt;0.8, p&lt;0.05). CONCLUSION: The results support Pilates as a safe physical therapy resource in improving pain for fibromyalgia patients.<hr/>RESUMO JUSTIFICATIVA E OBJETIVOS: Ainda faltam evidências que apoiem o treino de Pilates em mulheres com fibromialgia. O objetivo deste estudo foi avaliar os efeitos do Pilates na dor, qualidade de vida, depressão e ansiedade em mulheres com fibromialgia. MÉTODOS: Vinte mulheres com diagnóstico de fibromialgia foram voluntárias do estudo. Treze foram aleatoriamente alocadas para o grupo tratamento e sete para o grupo controle. Todas as 20 pacientes foram avaliadas antes e imediatamente após o tratamento de 8 semanas. Junto com a anamnese, avaliaram-se os 18 tender points descritos pelo American College of Rheumatology para classificação da fibromialgia. Além disso, avaliou-se o número de regiões dolorosas, a intensidade da dor com a escala analógica visual, a qualidade de vida pelo Questionário de Impacto da Fibromialgia, a depressão pelo Inventário de Depressão de Beck e a ansiedade pelo Inventário de Ansiedade de Beck. O grupo tratamento realizou sessões de 1h de Pilates duas vezes por semana por 8 semanas. O grupo controle continuou com seus tratamentos anteriores ao estudo sem modificações. RESULTADOS: Melhora estatisticamente significativa foi observada na intensidade da dor e no número de regiões dolorosas (p&lt;0,05) no grupo tratado, ao passo que não há diferenças estatísticas para outras variáveis (p&gt;0,05) ou para o grupo controle (p&gt;0,05). Foram encontradas fortes correlações principalmente entre o número de tender points ativos e o Questionário de Impacto da Fibromialgia (r&gt;0,8, p&lt;0,05). CONCLUSÃO: Os resultados obtidos apoiam o Pilates como um recurso fisioterapêutico seguro para melhorar a dor em pacientes com fibromialgia. <![CDATA[Prevalence of self-referred chronic pain and intercurrences in the health of the elderly]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1806-00132016000400279&lng=en&nrm=iso&tlng=en ABSTRACT BACKGROUND AND OBJECTIVES: Chronic pain is a public health problem eliciting personal and social losses. This study aimed at identifying the prevalence of chronic pain and its repercussions in the health of the elderly. METHODS: This was a transversal, population-based study with 416 elderly living in a city to the South of Brazil. Data were collected by home interviews with the Health, Wellbeing and Aging research questionnaire. Chronic pain was considered dependent variable and socio-demographic and health condition characteristics were considered independent variables. Descriptive and inferential data analysis was carried out. Pearson Chi-square and Fisher Exact tests were used for the association between categorical variables, with significance level of 5%. Logistic regression model was used for raw and adjusted analysis. RESULTS: Chronic pain prevalence was 54.7%, mostly in females (64.8%). Among the elderly with chronic pain, 58.6% have classified their health as regular, poor or very poor, 53.3% did not practice physical activities, 19.8% have mentioned difficulties to perform basic daily life activities and 82.5% have referred pain in lower limbs and 74.8% in lumbar region (p&lt;0.001). CONCLUSION: Measures to decrease chronic pain in the elderly should be priority, especially in primary health attention services, because this is a multidimensional and complex public health problem.<hr/>RESUMO JUSTIFICATIVA E OBJETIVOS: A dor crônica é um problema de saúde pública que provoca prejuízos pessoais e sociais. O objetivo deste estudo foi identificar a prevalência de dor crônica e a repercussão na saúde dos idosos. MÉTODOS: Realizou-se um estudo transversal de base populacional com 416 idosos residentes em município no Sul do Brasil. Coletaram-se os dados por inquérito domiciliar com o questionário da pesquisa Saúde, Bem-Estar e Envelhecimento. Consideraram-se como variável dependente a dor crônica; e independente as características sócio-demográficas e as relacionadas às condições de saúde. Realizou-se análise descritiva e inferencial dos dados. Na associação entre as variáveis categóricas, utilizaram-se os testes Qui-quadrado de Pearson e Exato de Fisher, com nível significativo de 5%. Na análise bruta e ajustada, foi utilizado o modelo de regressão logística. RESULTADOS: A prevalência de dor crônica foi de 54,7%, em sua maioria mulheres (64,8%). Entre os idosos com dor crônica, 58,6% classificaram sua saúde como regular, ruim ou muito ruim, 53,3% não praticavam atividade física, 19,8% apontaram dificuldades para atividades básicas de vida diária e 82,5% referiram dor nos membros inferiores e 74,8% na região lombar (p&lt;0,001). CONCLUSÃO: Medidas de redução da dor crônica no idoso devem ser priorizadas, em especial pelos serviços de atenção primária à saúde, por se tratar de um problema de saúde pública multidimensional e complexo. <![CDATA[Quality of life and anxiety and depression symptoms in elderly females with and without chronic musculoskeletal pain]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1806-00132016000400283&lng=en&nrm=iso&tlng=en ABSTRACT BACKGROUND AND OBJECTIVES: Several studies look for an isolated relationship between anxiety, depression and quality of life and musculoskeletal pain in the elderly population. However, there are few studies comparing such variables among individuals with and without chronic musculoskeletal pain. This study aimed at evaluating anxiety and depression symptoms levels and quality of life in elderly females with and without chronic musculoskeletal pain. METHODS: This is a cross-sectional study carried out with females aged 60 years or above, participants of mothers' clubs of the city of Caxias do Sul/RS. Participants were divided in two groups; group G1 (with chronic musculoskeletal pain) and group G2 (without pain). Beck Anxiety Inventory was used to evaluate anxiety symptoms, Beck II Depression Inventory was used to evaluate depression symptoms and WHOQOL-bref was used to evaluate quality of life. RESULTS: Participated in the study 178 elderly females and four were excluded for not meeting all inclusion criteria. From remaining 174, 95 were included in G1 and 79 in G2. G1 has presented higher anxiety (p&lt;0.001) and depression (p&lt;0.001) symptoms levels and worse quality of life (p&lt;0.05) as compared to G2. CONCLUSION: Chronic musculoskeletal pain is frequent in the elderly population and is associated to higher incidence of depressive and anxious symptoms, in addition to negatively affecting quality of life.<hr/>RESUMO JUSTIFICATIVA E OBJETIVOS: Diversos estudos buscam uma relação isolada entre ansiedade, depressão e qualidade de vida com a dor musculoesquelética em idosos. No entanto, há poucos que comparam essas variáveis entre indivíduos com e sem dores musculoesqueléticas crônicas. O objetivo deste estudo foi avaliar os níveis de sintomas de ansiedade e depressão e a qualidade de vida em idosas com dores musculoesqueléticas crônicas e idosas sem dores. MÉTODOS: Trata-se de um estudo transversal, realizado com mulheres com 60 anos ou mais, participantes dos clubes de mães da cidade de Caxias do Sul/RS. As idosas foram divididas em dois grupos, grupo G1 (com dor musculoesquelética crônica) e grupo G2 (sem dor). Para avaliar os sintomas de ansiedade foi utilizado o Inventário de Ansiedade de Beck, para os sintomas depressivos o Inventário de Depressão de Beck II e para a qualidade de vida o WHOQOL-bref. RESULTADOS: Participaram do estudo 178 idosas, sendo que 4 idosas foram excluídas por não se adequarem em todos os critérios de inclusão. Das 174 restantes, 95 foram incluídas do grupo G1 e 79 no grupo G2. O grupo G1 apresentou níveis mais elevados de sintomas de ansiedade (p&lt;0,001) e sintomas depressivos (p&lt;0,001) e pior qualidade de vida (p&lt;0,05) que o grupo G2. CONCLUSÃO: A dor musculoesquelética crônica é frequente na população idosa e está associada com maior incidência de sintomas depressivos e ansiosos, além de afetar negativamente a qualidade de vida dos indivíduos. <![CDATA[Perceived pain and stress in post-vaginal delivery women]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1806-00132016000400289&lng=en&nrm=iso&tlng=en ABSTRACT BACKGROUND AND OBJECTIVES: Prenatal follow-up by nurses qualifies the assistance and is the moment when women's questions are answered, pain and stress are evaluated and relaxation methods during labor are explained, among other aspects. So, this study aimed at measuring referred pain and perceived stress of post-vaginal delivery women. METHODS: This is a descriptive, analytical, observational and cross-sectional study carried out in a hospital Obstetric Unit with 40 post-partum women using short-form McGill Pain Questionnaire and Perceived Stress Scale. RESULTS: Thirty-five percent of respondents, mean age of 25 years, were having their second baby and had term gestation with mild pain; 27.5% had moderate pain and 22.5% moderate pain. Mean "sensory" pain estimate index was 6.60. Questions 3 (have you been nervous or stressed), 6 (believed she was unable to deal with all the things she had to do) and 9 (has been angry due to things beyond her control), had the highest means. CONCLUSION: Post-partum women refer pain and have postvaginal delivery stress, thus the importance of evaluating such symptoms and of preparing women to cope with pain and stress during this period.<hr/>RESUMO JUSTIFICATIVA E OBJETIVOS: O acompanhamento pré-natal pelo enfermeiro qualifica a assistência, momento em que esclarecem dúvidas da mulher, avalia dor, estresse, orienta sobre métodos de relaxamento durante o trabalho de parto, dentre outros aspectos. Assim, o objetivo deste estudo foi mensurar a dor referida e o estresse percebido por mulheres no pós-parto vaginal. MÉTODOS: Estudo descritivo, analítico, observacional, transversal, realizado em uma Unidade Obstétrica hospitalar, com 40 puérperas, com utilização do Questionário McGill de Dor, forma reduzida e a Escala de Estresse Percebido. RESULTADOS: Trinta e cinco por cento das entrevistadas, que tinham idade média de 25 anos, eram secundíparas e tiveram gestações a termo e apresentaram dor leve; 27,5% dor intensa e 22,5% dor moderada. O índice de estimativa de dor "Sensorial" teve média de 6,60. As questões 3 (esteve nervoso ou estressado), 6 (achou que não conseguiria lidar com todas as coisas que tinha por fazer) e 9 (esteve bravo por causa de coisas que estiveram fora de seu controle), apresentaram as maiores médias. CONCLUSÃO: As puérperas referem dor e vivenciam o estresse no pós-parto vaginal, daí a importância de avaliá-los e de preparar a mulher para o enfrentamento da dor e do estresse neste período. <![CDATA[Impact of parecoxib on hospital discharge: retrospective analysis of Brazilian health insurance]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1806-00132016000400294&lng=en&nrm=iso&tlng=en ABSTRACT BACKGROUND AND OBJECTIVES: Adequate postoperative pain and renal colic control is critical for patients' recovery and to decrease hospitalization costs and the use of resources. So, this study aimed at evaluating hospitalization time of patients treated with parecoxib sodium versus other non-steroid anti-inflammatory drugs to manage postoperative pain of appendectomy or fractures and renal colic. METHODS: This is a retrospective data analysis of Brazilian private hospitals medical bills, including patients treated with non-steroid anti-inflammatory drugs to decrease post-appendectomy pain (n=1618), post orthopedic fracture pain (n=2858 and renal colic (n=6555), between January and June 2014. Mean hospitalization time was evaluated according to each group of drugs. Mean difference among groups was calculated by the Kruskal-Wallis method. RESULTS: Mean hospitalization time for patients submitted to appendectomy was 1.95 days with parecoxib versus 2.20 with other non-steroid anti-inflammatory drugs (p= 0.006). For patients submitted to orthopedic fracture surgery, mean time was 1.75 days with parecoxib versus 1.93 days with other anti-inflammatory drugs (p=0.008). Parecoxib has also significantly decreased hospitalization time for renal colic as compared to other drugs (25.2h versus 32.9h; p&lt;0.001). CONCLUSION: Parecoxib sodium has provided shorter hospitalization time with possible decrease in use of resources and costs and should be considered a choice for such painful conditions.<hr/>RESUMO JUSTIFICATIVA E OBJETIVOS: O controle adequado da dor pós-operatória e cólica renal é fundamental para a recuperação do paciente e redução de custos relacionados à hospitalização e utilização de recursos. Assim, o objetivo deste estudo foi avaliar o tempo de hospitalização entre pacientes tratados com parecoxibe sódico versus outros fármacos anti-inflamatórios não esteroides, no manuseio da dor pós-operatória associada à apendicectomia ou fraturas e cólica renal. MÉTODOS: Uma análise retrospectiva de dados de contas médicas de hospitais privados no Brasil foi realizada, incluindo pacientes tratados com anti-inflamatório não esteroide para redução da dor pós-apendicectomia (n=1.618), dor pós-fratura ortopédica (n=2.858) e cólica renal (n=6.555), entre janeiro e junho de 2014. O período médio de internação foi avaliado de acordo com cada grupo de fármacos. A diferença média entre os grupos foi avaliada utilizando o método de Kruskal-Wallis. RESULTADOS: O tempo médio de permanência hospitalar para pacientes submetidos à apendicectomia foi de 1,95 dias com parecoxibe versus 2,20 com outros anti-inflamatórios não esteroides (p = 0,006). Para pacientes submetidos a cirurgias de fraturas ortopédicas, o tempo médio foi de 1,75 dias com parecoxibe versus 1,93 dias para outros anti-inflamatórios (p=0,008). Parecoxibe também apresentou redução significativa no tempo de internação hospitalar para cólica renal em comparação com outros fármacos (25,2h versus 32,9h; p&lt;0,001). CONCLUSÃO: Parecoxibe sódico demonstrou menor tempo de permanência hospitalar com possível redução na utilização de recursos e custos, devendo ser considerado como uma escolha para estas condições dolorosas. <![CDATA[Chikungunya: vision of the pain clinician]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1806-00132016000400299&lng=en&nrm=iso&tlng=en ABSTRACT BACKGROUND AND OBJECTIVES: Chikungunya is a viral disease of tropical distribution which affects individuals in different countries of the world and is associated to variable clinical presentations, characterized by the existence of two phases: acute and chronic. The acute phase is short-lasting with nonspecific symptoms. The chronic phase is marked by persistent pain, impairing patients' quality of life. This study aimed at discussing Chikungunya, from the pain clinician point of view, paying attention to its epidemiological, pathophysiological, diagnostic and therapeutic aspects, especially with regard to pain management. CONTENTS: Chikyngunya's pathophysiology is poorly understood and involves predominantly peripheral mechanisms. It is diagnosed by observation of suggestive clinical presentation associated to specific laboratory exams. Management of patients with confirmed diagnosis involves common analgesics and anti-inflammatory drugs, in addition to steroids, antidepressants and anticonvulsants for refractory cases. Patients with chronic inflammatory rheumatic disease seem to benefit from methotrexate. CONCLUSION: Chikungunya is a complex and still poorly understood entity. There are different therapeutic schemes to treat pain associated to it, however 40% of patients evolve with chronic pain and impairment of quality of life.<hr/>RESUMO JUSTIFICATIVA E OBJETIVOS: A chikungunya é uma doença viral de distribuição tropical que acomete indivíduos em diferentes países do mundo e está associada a quadro clinico variável, caracterizado pela existência de duas fases: aguda e crônica. A fase aguda é de curta duração e de sintomas inespecíficos. A fase crônica é marcada pela presença de dor persistente, com comprometimento da qualidade de vida dos pacientes. O objetivo deste estudo foi discutir a chikungunya sob a ótica do clinico de dor, atentando para os seus aspectos epidemiológicos, fisiopatológicos, diagnósticos e terapêuticos, principalmente no que diz respeito ao tratamento dos sintomas álgicos. CONTEÚDO: A fisiopatologia da chikungunya é pouco compreendida e envolve mecanismos predominantemente periféricos. O seu diagnóstico é feito por meio da observação de quadro clinico sugestivo, associado a realização de exames laboratoriais específicos. A condução dos pacientes com diagnóstico confirmado envolve a utilização de analgésico comum e anti-inflamatório, além de corticosteroides, antidepressivos e anticonvulsivantes nos casos refratários. Pacientes com doença reumática inflamatória crônica parecem se beneficiar do uso de metotrexato. CONCLUSÃO: A chikungunya é uma entidade complexa e ainda pouco compreendida. Diferentes esquemas terapêuticos estão disponíveis para o tratamento do quadro álgico a ela associado, entretanto 40% dos pacientes evoluem com dor crônica e comprometimento da qualidade de vida. <![CDATA[McKenzie method for low back pain]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1806-00132016000400303&lng=en&nrm=iso&tlng=en ABSTRACT BACKGROUND AND OBJECTIVES: Low back pain is a disorder affecting people of all ages, being among major diseases leading individuals to look for health professionals' help. Clinicians agree that back pain is a heterogeneous condition, however there is no uniformity in the choice of most effective methods to manage pain. This study aimed at evaluating the contribution of the McKenzie method to manage low back pain, in addition to checking whether there is comparison of McKenzie with other treatment modalities. CONTENTS: Health Virtual Library and Pubmed portals were queried from November 2013 to March 2014. All studies were analyzed according to quality criteria established by the PEDro scale, in addition to inclusion and exclusion criteria established by the authors. Of 353 studies found, just six were considered eligible. McKenzie method compared to other therapeutic approaches was effective in functional performance and dysfunction indices, however there has been discrepancy of results due to heterogeneous samples of different clinical trials. CONCLUSION: Although having contributed to manage low back pain patients, McKenzie method requires further studies to validate the technique in specific patient groups.<hr/>RESUMO JUSTIFICATIVA E OBJETIVOS: A dor lombar é um transtorno que afeta pessoas de todas as idades, estando entre as principais doenças que levam o indivíduo a buscar ajuda de profissionais da área da saúde. Clínicos concordam que a dor lombar é uma condição heterogênea, porém não há uniformidade na escolha dos métodos mais eficazes para o tratamento da dor. O objetivo deste estudo foi avaliar a contribuição do método McKenzie para o tratamento da dor lombar, além de verificar se há comparação do McKenzie com outras abordagens de tratamento. CONTEÚDO: Foram realizadas buscas nos portais da Biblioteca Virtual em Saúde e Pubmed no período de novembro de 2013 a março de 2014. Todos os estudos foram analisados de acordo com os critérios de qualidade estabelecidos pela escala de PEDro, além de critérios de inclusão e exclusão estabelecidos pelos autores. Foram encontrados 353 estudos, sendo que apenas 6 foram considerados elegíveis. O método McKenzie ao ser comparado com outras abordagens terapêuticas mostrou-se eficaz em índices desempenho funcional e disfunção, porém houve discrepância de resultados por conta de amostra heterogênea nos diversos ensaios clínicos. CONCLUSÃO: Embora o método McKenzie tenha contribuído para o tratamento de pacientes com dor lombar, é necessário a realização de novos estudos que validem a técnica em grupos específicos de pacientes. <![CDATA[Mandibular condylar hyperplasia: diagnosis and management. Case report]]> http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1806-00132016000400307&lng=en&nrm=iso&tlng=en ABSTRACT BACKGROUND AND OBJECTIVES: Mandibular condylar hyperplasia is a disease where excessive growth of mandibular condyle, ramus and body elicits facial asymmetry. Its therapeutic management is not a consensus and, due to its complexity, is a challenge for maxillofacial surgeons and orthodontists. This study aimed at discussing clinical, diagnostic and therapeutic aspects of the management of this disease, and at explaining the role of condylectomy. CASE REPORT: Female patient, 19 years old, Caucasian, looked for maxillofacial surgeon assistance due to facial asymmetry and pain on right temporomandibular joint. Patient had no medical, gestational or family history of facial deformity, or history of previous joint trauma or infection. This was a case of hemimandibular elongation treated with condylectomy. CONCLUSION: Condylectomy is a safe and effective procedure, without functional joint sequelae, which prevents dentalfacial deformity progression, minimizing its psychosocial impact and helping future treatment.<hr/>RESUMO JUSTIFICATIVA E OBJETIVOS: A hiperplasia da cabeça mandibular é uma doença na qual há um crescimento excessivo da cabeça, ramo e corpo mandibulares que causa assimetria facial. A sua abordagem terapêutica não apresenta um consenso e, dada a sua complexidade, constitui um desafio para o cirurgião maxilofacial e para o ortodontista. O objetivo deste estudo foi discutir os aspectos clínicos, diagnósticos e terapêuticos envolvidos na abordagem dessa doença, clarificando o papel da condilectomia. RELATO DO CASO: Paciente do gênero feminino, 19 anos, caucasiana, procurou atendimento de um Cirurgião Maxilofacial devido a assimetria facial e dor na articulação temporomandibular direita. Não possuía antecedentes médicos ou gestacionais ou familiares de deformidade facial, nem história de trauma ou infecção articular prévios. Apresenta-se um caso clínico de alongamento hemimandibular tratado com condilectomia. CONCLUSÃO: A condilectomia é um procedimento seguro e eficaz, sem sequelas articulares funcionais, que evita a progressão da deformidade dentofacial, minimizando o seu impacto psicossocial e facilitando o tratamento posterior.