SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.93 issue6Placental and colostral transfer of antibodies reactive with enteropathogenic Escherichia coli intimins α, β, or γ,Comparison of the finger-feeding versus cup feeding methods in the transition from gastric to oral feeding in preterm infants, author indexsubject indexarticles search
Home Pagealphabetic serial listing  

Services on Demand

Journal

Article

Indicators

Related links

Share


Jornal de Pediatria

Print version ISSN 0021-7557On-line version ISSN 1678-4782

Abstract

ALMEIDA, Maria Fernanda Branco de et al. Óbitos neonatais precoces associados à asfixia perinatal em neonatos ≥2.500 g no Brasil,. J. Pediatr. (Rio J.) [online]. 2017, vol.93, n.6, pp.576-584. ISSN 1678-4782.  http://dx.doi.org/10.1016/j.jped.2016.11.008.

Objetivo:

Avaliar a taxa anual de óbitos neonatais precoces associados à asfixia perinatal em neonatos de peso ≥ 2.500 g no Brasil de 2005 a 2010.

Métodos:

A população do estudo envolveu todos os nascidos vivos de neonatos com peso ao nascer ≥ 2.500 g e sem malformações que morreram até seis dias após o nascimento por asfixia perinatal, definida como hipóxia intrauterina, asfixia no nascimento ou síndrome de aspiração de mecônio. A causa do óbito foi escrita em qualquer linha do atestado de óbito, de acordo com a Classificação Internacional de Doenças, 10a Revisão (P20.0, P21.0 e P24.0). Foi feita uma pesquisa ativa em 27 unidades federativas brasileiras. O teste qui-quadrado de tendência foi aplicado para analisar os índices de mortalidade neonatal associados a asfixia perinatal até o ano do estudo.

Resultados:

Morreram 10.675 neonatos com peso ≥ 2.500 g sem malformações até 0-6 dias após o nascimento por asfixia perinatal. Os óbitos ocorreram nas primeiras 24 horas após o nascimento em 71% dos neonatos. A síndrome de aspiração de mecônio foi relatada em 4.076 (38%) dos óbitos. O índice de mortalidade neonatal precoce relacionada à asfixia caiu de 0,81 em 2005 para 0,65 por 1.000 nascidos vivos em 2010 no Brasil (p < 0,001); o índice de mortalidade neonatal precoce relacionada a síndrome de aspiração de mecônio permaneceu entre 0,20-0,29 por 1.000 nascidos vivos durante o período do estudo.

Conclusões:

Apesar da redução nas taxas no Brasil de 2005 a 2010, as taxas de mortalidade neonatal precoce associadas à asfixia perinatal em neonatos no melhor espectro de peso ao nascer e sem malformações congênitas ainda são altas e a síndrome de aspiração de mecônio desempenha um importante papel.

Keywords : Asfixia neonatal; Mortalidade neonatal precoce; Síndrome de aspiração de mecônio; Neonato; Recém-nascido; Brasil.

        · abstract in English     · text in English | Portuguese     · English ( pdf ) | Portuguese ( pdf )