SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.42 issue5GLOBAL PRODUCTION CONCENTRATION OF MEDIUM DENSITY FIBERBOARD (MDF) (1995 - 2016)IN VITRO DEVELOPMENT OF YELLOW LAPACHO (BIGNONIACEAE) USING HIGH-POWER LIGHT EMITTING DIODE author indexsubject indexarticles search
Home Pagealphabetic serial listing  

Services on Demand

Journal

Article

Indicators

Related links

Share


Revista Árvore

Print version ISSN 0100-6762On-line version ISSN 1806-9088

Abstract

ALVES, Isa Rafaela; AMARAL, Cibele Hummel do; GLERIANI, José Marinaldo  and  CABRAL, Isadora Fausto Queiroz. DINÂMICA ESPACIAL DE FLORESTAS ESTACIONAIS SEMIDECIDUAIS: CASO DE ESTUDO NA BACIA DO RIO TURVO SUJO NO SUDESTE DO BRASIL, ENTRE OS ANOS DE 2003 E 2016. Rev. Árvore [online]. 2018, vol.42, n.5, e420507.  Epub Feb 04, 2019. ISSN 1806-9088.  https://doi.org/10.1590/1806-90882018000500007.

De acordo com a Agência Nacional das Águas (ANA), a escassez de água vem sendo um problema brasileiro desde 2012 e está diretamente relacionado com a conservação das bacias hidrográficas. É possível monitorar as mudanças da paisagem e conservação dessas bacias com imagens provenientes de sensores orbitais. O trabalho teve como objetivo analisar a dinâmica espacial de fragmentos de Florestas Estacionais Semideciduais (FES) na bacia do Rio Turvo Sujo, em Minas Gerais, no sudeste do Brasil, entre os anos de 2003 e 2016, bem como analisar sua relação com o relevo. Foram utilizadas imagens da série Landsat com correções geométrica, radiométrica e atmosférica. Para o processamento, amostras de cinco classes de uso e cobertura da terra foram coletadas a partir de composições RGB das imagens. As imagens foram classificadas por Máxima Verossimilhança e as exatidões globais, matriz de confusão e erros de comissão e omissão por classe foram obtidas na validação. Em 2003 a FES ocupava uma área de 6.956 hectares, com fragmentações acentuadas. Entre 2003 e 2016 as áreas de FES tiveram um aumento de 42% (3.053 hectares de regeneração), cobrindo 10.009 hectares da bacia em estudo em 2016. Os fragmentos de FES apresentaram maior concentração nas faces Sul, Sudeste, Sudoeste e Oeste em ambos os anos de estudo. Contudo a regeneração florestal entre esses anos não seguiu o mesmo padrão, ocupando semelhantemente todas as faces de exposição com exceção dos terrenos planos, que ocupam apenas 0,03% da bacia em questão. Este é um aspecto relevante e positivo, que deve ser monitorado, tendo em vista a necessidade de conservação de todas as faces do relevo para manutenção da disponibilidade e qualidade dos recursos hídricos nas bacias hidrográficas.

Keywords : Regeneração florestal; aspecto de exposição do terreno; sensoriamento remoto.

        · abstract in English     · text in English     · English ( pdf )