SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.42 issue4 author indexsubject indexarticles search
Home Pagealphabetic serial listing  

Services on Demand

Journal

Article

Indicators

Related links

Share


Arquivos Brasileiros de Endocrinologia & Metabologia

On-line version ISSN 1677-9487

Abstract

MACIEL, Léa M.Z.. Adenoma tireoideano tóxico: aspectos clínicos e conduta. Arq Bras Endocrinol Metab [online]. 1998, vol.42, n.4, pp.277-282. ISSN 1677-9487.  https://doi.org/10.1590/S0004-27301998000400006.

Adenoma tireoideano tóxico é uma das principais etiologias do hipertireoidismo, ao lado da Doença de Graves e do Bócio Multinodular Tóxico. Apresenta incidência variável nos diferentes países (2 a 33%), ocorrendo principalmente em áreas carentes em iodo. É mais freqüente em mulheres e no grupo etário mais idoso. Estudos recentes apontam para mutação do gene que expressa o receptor do TSH ou da proteína G como causas do aparecimento do adenoma. As características clínicas de um nódulo autônomo tóxico são similares às de outras formas de tireotoxicose, porém, pela maior incidência em um grupo etário mais idoso, há menor exuberância dos sintomas com predomínio das manifestações cardiovasculares. Os pacientes comumente se apresentam pelo nódulo tireoideano, com níveis elevados dos hormônios tireoideanos e supressos de TSH. O diagnóstico é confirmado pela presença de nódulo quente ao mapeamento com 131I,123I ou 99mTc. Os tratamentos clássicos preconizados, para corrigir a tireotoxicose, são a terapia cirúrgica ou com radioiodo e, mais recentemente, a injeção percutânea com etanol dirigida por ultra-som, uma vez que a resolução espontânea do processo é muito rara.

Keywords : Adenoma tireoideano tóxico; Nódulo tireoideano autônomo.

        · abstract in English     · text in Portuguese     · Portuguese ( pdf )

 

Creative Commons License All the contents of this journal, except where otherwise noted, is licensed under a Creative Commons Attribution License