SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.46 número4Hematoma intramural esofágico após escleroterapia eletiva de varizesTumores carcinóides do cólon: estudo clinicopatológico de 23 doentes de uma única instituição índice de autoresíndice de assuntospesquisa de artigos
Home Pagelista alfabética de periódicos  

Serviços Personalizados

Journal

Artigo

Indicadores

Links relacionados

Compartilhar


Arquivos de Gastroenterologia

versão impressa ISSN 0004-2803

Resumo

DANTAS, Roberto Oliveira; ALVES, Leda Maria Tavares  e  CASSIANI, Rachel de Aguiar. Influência do gênero nas contrações do esôfago proximal. Arq. Gastroenterol. [online]. 2009, vol.46, n.4, pp.284-287. ISSN 0004-2803.  https://doi.org/10.1590/S0004-28032009000400007.

CONTEXTO: Há trabalhos que demonstram a existência de diferenças entre homens e mulheres na deglutição e nas contrações em parte distal do esôfago. OBJETIVO: Neste trabalho estuda-se a influência do gênero nas contrações em parte proximal do esôfago de pessoas assintomáticas. MÉTODO: Incluíram-se 20 homens (22-68 anos, mediana 39 anos) e 44 mulheres (18-61 anos, mediana 41 anos) sem doenças gastrointestinais, neurológicas ou respiratórias. Mediu-se o intervalo de tempo entre o início da contração em faringe 1 cm proximal ao esfíncter superior do esôfago e o início da contração em esôfago proximal 5 cm distal ao registro da faringe, e a amplitude, duração e área sob a curva da contração esofágica proximal. Utilizou-se o método manométrico com perfusão contínua. As contrações foram registradas em duplicata após a deglutição de 5 mL de água. RESULTADOS: Não se observaram diferenças entre homens e mulheres no intervalo entre a contração da faringe e do esôfago proximal, e na amplitude da contração do esôfago. A duração da contração foi maior nas mulheres (2,35 ± 0,60 s) do que nos homens (2,07 ± 0,62 s) mas o resultado não atingiu significância estatística (P = 0,087). A área sob a curva das contrações esofágicas foi maior nas mulheres (130,2 ± 55,2 mm Hg x s) do que nos homens (97,4 ± 49,4 mm Hg x s, P = 0,026). CONCLUSÃO: Observou-se que há diferença entre homens e mulheres nas contrações em esôfago proximal quando da deglutição de água, o que não deve ter importância clínica.

Palavras-chave : Esôfago, fisiologia; Identidade de gênero.

        · resumo em Inglês     · texto em Inglês     · Inglês ( pdf )

 

Creative Commons License Todo o conteúdo deste periódico, exceto onde está identificado, está licenciado sob uma Licença Creative Commons