SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.55 issue4SERUM CYTOKINE OF IL-2, IL-10 AND IL-12 LEVELS IN PATIENTS WITH STOMACH ADENOCARCINOMAMALNUTRITION AND CLINICAL OUTCOMES IN SURGICAL PATIENTS WITH COLORECTAL DISEASE author indexsubject indexarticles search
Home Pagealphabetic serial listing  

Services on Demand

Journal

Article

Indicators

Related links

Share


Arquivos de Gastroenterologia

Print version ISSN 0004-2803On-line version ISSN 1678-4219

Abstract

TABORDA, Roger Lafontaine Mesquita et al. Caracterização de Escherichia coli enteroagregativa entre crianças com diarreia na Amazônia ocidental brasileira. Arq. Gastroenterol. [online]. 2018, vol.55, n.4, pp.390-396. ISSN 1678-4219.  https://doi.org/10.1590/s0004-2803.201800000-84.

CONTEXTO:

A Escherichia coli enteroagregativa (EAEC) é um dos principais agentes causadores de diarreia aguda e crônica em crianças e adultos, principalmente em países em desenvolvimento.

OBJETIVO:

Caracterizar cepas de EAEC isoladas de amostras fecais e identificar genes que potencialmente contribuem para a virulência, produção de biofilme e resistência antimicrobiana em crianças internadas em um hospital pediátrico em Porto Velho, Rondônia.

MÉTODOS:

Um total de 1.625 cepas de E. coli foram isolados de 591 crianças com gastroenterite aguda na faixa etária de 6 anos que foram internadas no Hospital Infantil Cosme e Damião na cidade de Porto Velho, entre fevereiro de 2010 e fevereiro de 2012. Colônias sugestivas de E. coli foram submetidas a reação em cadeia da polimerase para identificação de fatores de virulência. O ensaio de adesão in vitro foi desenvolvido com célula HEp-2. A detecção de biofilme foi realizada através do teste de espectrofotometria e os testes de susceptibilidade aos antimicrobiana foram realizados através do método de difusão em disco.

RESULTADOS:

A E. coli diarreiogênica foi encontrada em 27,4% (162/591) das crianças e a EAEC foi a E. coli diarreiogênica mais frequentemente associada à diarreia com 52,4% (85/162), seguida pela E. coli enteropatogênica 43,8% (71/162), E. coli enterotoxigênica 2,4% (4/162) e E. coli enterohemorrágica 1,2% (2/162). O gene aggR foi detectado em 63,5% (54/85) dos isolados de EAEC com correlação estatisticamente significante entre esse gene com os genes aatA (P<0,0001), irp2 (P=0,0357) e shf (P=0,0328). Neste estudo 69% (59/85) das cepas de EAEC eram produtoras de biofilme, destas 73% (43/59) possuíam o gene aggR, ao passo que entre as não produtoras 42,3% (11/26) possuíam o gene (P=0,0135). Essa associação também foi observada com o gene aatA, presente em 61% (36/59) das cepas produtoras e em 19,2% (5/26) das não produtoras (P<0,0004). O teste de sensibilidade aos antibimicrobianos evidenciou que a maioria das EAEC eram resistentes a ampicilina 70,6% (60/85), ao sulfametoxazol 60% (51/85), a tetraciclina 44,7% (38/85) e a cefotaxima 22,4% (19/85).

CONCLUSÃO:

Este é o primeiro estudo no Norte do Brasil sobre a investigação dos fatores de virulência de EAEC mostrando a susceptibilidade antimicrobiana de cepas de EAEC isoladas de crianças com diarreia.

Keywords : Escherichia coli, classificação; Diarreia infantil; Criança; Virulência, genética.

        · abstract in English     · text in English     · English ( pdf )