SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.72 número2Desordens temporomandibulares são comorbidade importante da migrânea e podem ser clinicamente difíceis de distinguir da cefaleia tipo tensional índice de autoresíndice de assuntospesquisa de artigos
Home Pagelista alfabética de periódicos  

Serviços Personalizados

Journal

Artigo

Indicadores

Links relacionados

Compartilhar


Arquivos de Neuro-Psiquiatria

versão impressa ISSN 0004-282X

Resumo

SILVA, Luciana Alvarenga da; SIQUEIRA, José Tadeu Tesseroli de; TEIXEIRA, Manoel Jacobsen  e  SIQUEIRA, Silvia Regina Dowgan Tesseroli de. O papel da xerostomia na síndrome da ardência bucal: estudo caso controle. Arq. Neuro-Psiquiatr. [online]. 2014, vol.72, n.2, pp.91-98. ISSN 0004-282X.  http://dx.doi.org/10.1590/0004-282X20130218.

Objetivo

: Avaliar a eficácia do uso de medicação tópica anti xerostomica (ureia 10%) em pacientes com síndrome de ardência bucal.

Método

: Trinta e oito sujeitos diagnosticados com síndrome de ardência bucal de acordo com os critérios da Associação Internacional para Estudo da Dor foram randomizados para grupo placebo (5% de carboximetilcelulose de sódio, 0,15% de metilparabeno e 10% de glicerol em água destilada qsp 100g) ou grupo tratamento (ureia 10%) para ser aplicada na cavidade oral 3-4 vezes ao dia, durante três meses. Os pacientes foram avaliados antes e depois do tratamento: protocolo EDOF-HC, questionário de xerostomia, testes sensitivos quantitativos.

Resultados

: Não houve diferenças no fluxo salivar, limiares gustativos, olfativos e somestésicos (Mann-Whitney P>0,05). Quinze (60%) dos pacientes tiveram melhora com o tratamento (P=0,336, oneway ANOVA ).

Conclusão

: Em conclusão não houve diferenças entre os grupos, ambos apresentaram uma associação entre melhora e salivação.

Palavras-chave : xerostomia; fluxo salivar; dor orofacial; teste sensitivo quantitativo; síndrome ardência bucal.

        · resumo em Inglês     · texto em Inglês     · Inglês ( pdf )