SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
 número74O trabalho da críticaA passagem do dois ao zero: dualidade e desintegração no pensamento dialético brasileiro (Paulo Arantes, leitor de Roberto Schwarz) índice de autoresíndice de assuntospesquisa de artigos
Home Pagelista alfabética de periódicos  

Serviços Personalizados

Journal

Artigo

Indicadores

Links relacionados

Compartilhar


Revista do Instituto de Estudos Brasileiros

versão impressa ISSN 0020-3874versão On-line ISSN 2316-901X

Resumo

HELAYEL, Karim  e  BRASIL JR, Antonio. Roberto Schwarz e a sociologia paulista dos anos 1960. Rev. Inst. Estud. Bras. [online]. 2019, n.74, pp.97-118.  Epub 10-Jan-2020. ISSN 2316-901X.  https://doi.org/10.11606/issn.2316-901x.v0i74p97-118.

O artigo apresenta a hipótese de que, ao identificar a “volubilidade” como princípio formal do romance Memórias póstumas de Brás Cubas, de Machado de Assis, Roberto Schwarz estaria se posicionando frente às divergências entre Maria Sylvia de Carvalho Franco e Fernando Henrique Cardoso em torno da mobilização da categoria “patrimonialismo”. Localizaremos o argumento de Um mestre na periferia do capitalismo (1990), de Schwarz, diante das críticas de Franco ao uso por ela considerado improcedente da categoria “patrimonialismo” por parte de Cardoso. Discutiremos ainda as relações entre o princípio formal da “volubilidade” com a categoria “dilema”, proposta por Florestan Fernandes em seus trabalhos.

Palavras-chave : Roberto Schwarz; Florestan Fernandes; Fernando Henrique Cardoso; Maria Sylvia de Carvalho Franco; patrimonialismo.

        · resumo em Inglês     · texto em Português     · Português ( pdf )