SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.63 número5Extração e partição de nutrientes em cebola cultivada no sistema orgânicoProdução de mudas de cultivares de maxixeiro em fibra de coco fertirrigadas com diferentes concentrações de nutrientes índice de autoresíndice de assuntospesquisa de artigos
Home Pagelista alfabética de periódicos  

Serviços Personalizados

Journal

Artigo

Indicadores

Links relacionados

Compartilhar


Revista Ceres

versão impressa ISSN 0034-737Xversão On-line ISSN 2177-3491

Resumo

ALEXANDRE, Rodrigo Sobreira et al. Diferentes propágulos e concentrações de auxina no enraizamento de maracujazeiro-de-restinga. Rev. Ceres [online]. 2016, vol.63, n.5, pp.691-697. ISSN 2177-3491.  http://dx.doi.org/10.1590/0034-737x201663050014.

A espécie Passiflora mucronata Lam. é identificada como resistente ao Fusarim oxysporum f. passifloraceae e, portanto, pode ser utilizada como porta-enxerto para a espécie Passiflora edulis Sims. f. flavicarpa Deg., e a obtenção desses porta-enxertos pode dar-se por propagação vegetativa por estaquia. Objetivou-se, com este trabalho, avaliar diferentes tipos de estacas e diferentes concentrações do ácido indol-3-butírico (AIB), no enraizamento adventício de P. mucronata. Os experimentos foram realizados em delineamento inteiramente casualizado, com quatro repetições, de 16 estacas cada. No primeiro experimento, os tratamentos foram os diferentes tipos de estacas de plantas-matrizes de ambiente protegido: apical; de duas folhas e dois nós; de uma folha e um nó; sem folhas e dois nós; sem folhas e um nó. No segundo experimento, as estacas foram retiradas de campo e os tratamentos foram as concentrações de AIB: 0; 1000 (0,0036456 mol L-1); 1500 (0,0054684 mol L-1) e 2000 mg kg-1 (0,0072912 mol L-1). As características avaliadas no primeiro (1º) e no segundo (2º) experimentos foram: sobrevivência (1º e 2º); brotação (1º e 2º); número (2º), comprimento (2º), número de folhas (2º) e massa seca do broto (2º); calejamento (1º); enraizamento (1º e 2º); número (1º e 2º), comprimento (1º e 2º), volume (1º e 2º) e massa seca de raiz (1º e 2º). Recomenda-se usar estacas sem folhas e com dois nós, e não as apicais, para o processo de enraizamento de P. mucronata. O enraizamento das estacas sem folhas e com dois nós de P. mucronata dispensa o uso de reguladores de crescimento, tanto para as estacas provenientes de casa de vegetação quanto para as de campo.

Palavras-chave : Passiflora mucronata Lam.; propagação vegetativa; estaquia; auxina.

        · resumo em Inglês     · texto em Inglês     · Inglês ( pdf )