SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.44 issue6Housing conditions as a social determinant of low birthweight and preterm low birthweightSelf-medication in low-income adults in Southeastern Brazil author indexsubject indexarticles search
Home Pagealphabetic serial listing  

Services on Demand

Journal

Article

Indicators

Related links

Share


Revista de Saúde Pública

Print version ISSN 0034-8910

Abstract

FREIRE, Djacyr Magna Cabral; CECATTI, Jose Guilherme  and  PAIVA, Cláudio Sergio Medeiros. Curva de altura uterina por idade gestacional e diagnóstico de desvios do crescimento fetal. Rev. Saúde Pública [online]. 2010, vol.44, n.6, pp.1031-1038.  Epub Oct 15, 2010. ISSN 0034-8910.  https://doi.org/10.1590/S0034-89102010005000044.

OBJETIVO: Validar curva de referência de altura uterina por idade gestacional para o rastreamento de desvios do crescimento fetal e comparar sua performance com a curva-padrão adotada pelo Ministério da Saúde do Brasil. MÉTODOS: Estudo observacional que envolveu 753 gestantes de baixo risco de João Pessoa, PB, entre março e outubro de 2006, com idade gestacional acima de 27 semanas. A altura uterina foi medida de acordo com técnica preconizada pelo Ministério da Saúde. O padrão-ouro foi o peso fetal, estimado pelo ultrassom com base na curva de referência brasileira por idade gestacional. Uma subamostra de 122 casos com pesos neonatais obtidos até sete dias depois da estimativa do peso fetal, a classificação da altura uterina foi comparada com a curva de Lubchenco como padrão-ouro. A sensibilidade, a especificidade e os valores preditivos positivo e negativo foram calculados. Para comparar o desempenho da sensibilidade entre ambas as curvas de altura uterina, utilizou-se o teste χ2 de McNemar. RESULTADOS: A sensibilidade da nova curva para a detecção de fetos pequenos para a idade gestacional foi de 51,6%, enquanto a da curva do padrão-ouro foi significativamente menor (12,5%). Na subamostra que teve o peso neonatal como padrão-ouro, a sensibilidade da nova curva de referência foi de 85,7%, enquanto a do Ministério da Saúde exibiu 42,9% de sensibilidade para a detecção de fetos pequenos para a idade gestacional. CONCLUSÕES: A capacidade diagnóstica da nova curva de referência para detectar fetos pequenos para a idade gestacional foi significativamente melhor do que a da curva recomendada pelo Ministério da Saúde.

Keywords : Desenvolvimento Embrionário e Fetal; Útero [crescimento & desenvolvimento]; Idade Gestacional; Ultrassonografia Pré-Natal; Diagnóstico Pré-Natal; Estudos de Validação.

        · abstract in English | Spanish     · text in English     · English ( pdf )

 

Creative Commons License All the contents of this journal, except where otherwise noted, is licensed under a Creative Commons Attribution License