SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.52 suppl.1Transtornos relacionados ao uso de álcool e fatores associados em zona rural do BrasilAtividade física na população rural de Pelotas, RS: prevalência e fatores associados índice de autoresíndice de assuntospesquisa de artigos
Home Pagelista alfabética de periódicos  

Serviços Personalizados

Journal

Artigo

Indicadores

Links relacionados

Compartilhar


Revista de Saúde Pública

versão impressa ISSN 0034-8910versão On-line ISSN 1518-8787

Resumo

MARTINS-SILVA, Thais; MOLA, Christian Loret de; VAZ, Juliana dos Santos  e  TOVO-RODRIGUES, Luciana. Obesidade geral e abdominal em adultos residentes em zona rural no Sul do Brasil. Rev. Saúde Pública [online]. 2018, vol.52, suppl.1, 7s.  Epub 17-Set-2018. ISSN 1518-8787.  https://doi.org/10.11606/s1518-8787.2018052000264.

OBJETIVO

Avaliar a prevalência de obesidade geral, abdominal e concomitância de ambos os desfechos e seus determinantes em adultos residentes na zona rural.

MÉTODOS

Este estudo transversal de base populacional foi conduzido em município de médio porte da região Sul do Brasil. Três desfechos foram avaliados: obesidade geral (índice de massa corporal ≥ 30 kg/m 2 ), abdominal (circunferência da cintura ≥ 102 cm e ≥ 88 cm em homens e mulheres, respectivamente) e concomitância de ambas, classificada em: sem risco; apenas um fator de risco; e fatores agregados. Foram realizadas análises brutas e ajustadas por regressão de Poisson para cada desfecho de obesidade e regressão logística multinomial para o risco metabólico. Características demográficas e socioeconômicas foram consideradas como variáveis independentes.

RESULTADOS

Foram incluídos no estudo 1.433 indivíduos. Desses, 29,5% apresentaram obesidade geral e 37,8%, abdominal. A presença de um fator de risco foi observada em 15,8% da amostra, enquanto 25,8% apresentaram fatores agregados. O risco de obesidade geral, abdominal e a concomitância dos desfechos aumentaram significativamente com a idade, em ambos os sexos. Homens mais ricos apresentaram risco aumentado para obesidade geral (RP = 1,7; IC95% 1,0–2,9), abdominal (RP = 1,8; IC95% 1,1–2,9) e fatores agregados (RO = 1,9; IC95% 1,4–5,8). Ter 12 anos ou mais de estudo se mostrou fator de proteção para mulheres em relação à obesidade abdominal (RP=0,4; IC95% 0,2–0,8) e fatores agregados (RO = 0,2; IC95% 0,05–0,7). Realizar atividade rural reduziu o risco de obesidade geral (RP = 0,6; IC95% 0,5–0,8) e fatores agregados (RO = 0,5; IC95% 0,3–0,8) em mulheres, e de obesidade abdominal (RP = 0,6; IC95% 0,5–0,8) e presença de um fator de risco (RO = 0,5; IC95% 0,3–0,7), em homens. Cor da pele e tempo de vida residido na zona rural não foram estatisticamente associados aos desfechos estudados.

CONCLUSÕES

Altas prevalências de obesidade geral e abdominal foram observadas nessa população, condizentes com os valores encontrados em populações urbanas. Entretanto, a realização de atividades rurais mostrou-se um fator de proteção para os desfechos de obesidade.

Palavras-chave : Adulto; Obesidade; Obesidade Abdominal, Epidemiologia; Índice de Massa Corporal; Circunferência da Cintura; Fatores de Risco; População Rural.

        · resumo em Inglês     · texto em Português | Inglês     · Português ( pdf ) | Inglês ( pdf )