SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.35 número3Esquema reduzido de imunização anti-rábica humana com vacina Fuenzalida & Palacios: dados adicionaisEfeito da oxamniquina sobre a adesão celular da larva do S. mansoni na cavidade peritoneal de camundongos índice de autoresíndice de assuntospesquisa de artigos
Home Pagelista alfabética de periódicos  

Serviços Personalizados

Journal

Artigo

Indicadores

Links relacionados

Compartilhar


Revista do Instituto de Medicina Tropical de São Paulo

versão On-line ISSN 1678-9946

Resumo

WEINBERG, Adriana et al. Infecções por herpes simplex tipo 2 durante a gestação: excreção assintomática do vírus durante o parto e estudo soroepidemiológico de duas populações socioeconomicamente distintas. Rev. Inst. Med. trop. S. Paulo [online]. 1993, vol.35, n.3, pp.285-290. ISSN 1678-9946.  https://doi.org/10.1590/S0036-46651993000300011.

O objetivo deste estudo constou em determinar a prevalência dos anticorpos anti virus herpes simplex (HSV) tipo 2 em mulheres em idade fértil, pertencendo a 2 populações socioeconomicamente distintas, e verificar o risco de exposição neonatal a HSV, por meio de isolamento de vírus no início do parto. O estudo foi realizado em 2 hospitais: A, servindo uma população de baixa renda; B, servindo a classe média. 173 participantes do grupo A e 127 do grupo B responderam um questionário que mostrou que os pacientes pertenciam à mesma faixa etária (27,7 e 26,8 anos, respectivamente) mas divergiam quanto ao estado socioeconômico, idade ao início da vida sexual (18,6 e 20,6, respectivamente), número de parceiros sexuais (1,5 comparado à 1,2) e doenças sexualmente transmitidas (15% e 1,5%, respectivamente). Uma história de herpes genital no passado foi obtida em números semelhantes nos dois grupos, 11% do grupo A e 7% do B. 200 soros do grupo A e 455 do B foram analisados por ELISA quanto à presença de anticorpos anti HSV, e 92% e 86%, respectivamente, foram positivos. 60 amostras soropositivas do grupo A e 90 do B foram analisados por Western blot, que mostrou anticorpos anti HSV 2 em 42% do grupo A e 31% do B. Material cervical foi obtido para isolamento de vírus de 299 parturientes assintomáticas do grupo A e 313 do B. Uma paciente em cada grupo teve isolamento positivo para HSV, indicando uma incidência de 0,3% de excreção vírica assintomática em ambos os grupos. Em conclusão, a prevalência de anticorpos anti HSV 2 em mulheres em idade fértil em São Paulo se mostrou muito elevada, mas não variou com o estado socioeconômico da população. O risco da transmissão perinatal do HSV foi semelhante nas duas populações e comparável aos números relatados em países desenvolvidos. Nossos achados não indicam a necessidade de programas especiais de detecção da excreção assintomática de HSV em gestantes do Brasil.

Palavras-chave : Herpes simplex; Genital herpes; Pregnancy; Neonatal herpes.

        · resumo em Inglês     · texto em Inglês     · Inglês ( pdf )

 

Creative Commons License Todo o conteúdo deste periódico, exceto onde está identificado, está licenciado sob uma Licença Creative Commons