SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.104 número4Variação da Pressão Arterial na Gestação Segundo o IMC no Início da Gravidez: Uma Coorte BrasileiraQualidade de Vida na Hipertensão Arterial: Validade de Grupos Conhecidos do MINICHAL índice de autoresíndice de assuntospesquisa de artigos
Home Pagelista alfabética de periódicos  

Serviços Personalizados

Journal

Artigo

Indicadores

Links relacionados

Compartilhar


Arquivos Brasileiros de Cardiologia

versão impressa ISSN 0066-782X

Resumo

GUIMARAES FILHO, Gilberto Campos et al. Evolução da Pressão Arterial e Desfechos Cardiovasculares de Hipertensos em um Centro de Referência. Arq. Bras. Cardiol. [online]. 2015, vol.104, n.4, pp.292-298.  Epub 03-Fev-2015. ISSN 0066-782X.  https://doi.org/10.5935/abc.20150001.

Fundamento:

A hipertensão arterial é um problema de saúde pública devido à sua elevada prevalência, baixa taxa de controle e complicações cardiovasculares.

Objetivo:

Avaliar o controle da pressão arterial (PA) e desfechos cardiovasculares em pacientes atendidos no Centro de Referência em Hipertensão e Diabetes, localizado em uma cidade de médio porte da Região Centro-Oeste do Brasil.

Métodos:

Estudo de base populacional, que comparou pacientes matriculados no serviço no momento de sua admissão e após seguimento por período médio de 5 anos. Participantes ≥18 anos, em acompanhamento regular no Centro, até 6 meses antes da coleta dos dados. Foram avaliadas variáveis demográficas, PA, índice de massa corpórea, fatores de risco e desfechos cardiovasculares.

Resultados:

Estudamos 1.298 indivíduos, com predomínio do sexo feminino (60,9%) e média de idade de 56,7 ± 13,1 anos. Ao longo do tempo, houve aumento significativo de sedentarismo, etilismo, diabetes, dislipidemia e excesso de peso. Com relação aos desfechos cardiovasculares, observamos aumento de acidente vascular encefálico e revascularização do miocárdio e menor frequência de insuficiência renal crônica. Durante o seguimento, houve melhora significativa da taxa de controle da PA (de 29,6% para 39,6%; p = 0,001) e ocorrência de 72 óbitos, sendo 91,7% por doenças cardiovasculares.

Conclusão:

Apesar da considerável melhora da taxa de controle pressórico no período de seguimento, houve piora dos fatores de risco e número elevado de desfechos cardiovasculares.

Palavras-chave : Hipertensão / complicações; Pressão Arterial / fisiopatologia; Doenças Cardiovasculares; Fatores de Risco; Indicadores de Morbimortalidade.

        · resumo em Inglês     · texto em Português | Inglês     · Português ( pdf ) | Inglês ( pdf )