SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.55 número3Bionomic data and larval density of Scarabaeidae (Pleurosticti) in sugarcane in the central region of Mato Grosso do Sul, BrazilThe effect of environment on development and survival of pupae of the necrophagous fly Ophyra albuquerquei Lopes (Diptera, Muscidae) índice de autoresíndice de assuntospesquisa de artigos
Home Pagelista alfabética de periódicos  

Serviços Personalizados

Journal

Artigo

Indicadores

Links relacionados

Compartilhar


Revista Brasileira de Entomologia

versão On-line ISSN 1806-9665

Resumo

LEITE, Germano Leão Demolin et al. Distribuição espacial da galha esférica (Hymenoptera, Eulophidae) em Caryocar brasiliense (Caryocaraceae). Rev. Bras. entomol. [online]. 2011, vol.55, n.3, pp.396-400.  Epub 07-Out-2011. ISSN 1806-9665.  https://doi.org/10.1590/S0085-56262011005000047.

Foi descrito, pela primeira vez, a distribuição espacial da galha esférica (Hymenoptera, Eulophidae) em árvores de Caryocar brasiliense Camb. (Caryocaraceae). Este trabalho foi desenvolvido em duas pastagens em Montes Claros, Estado de Minas Gerais, Brasil. As áreas estudadas foram: pastagem 1 (em atividade) e pastagem 2 (pastagem abandonada = cerrado em recuperação). Foi avaliada a distribuição de galhas esféricas em relação a: orientação das folhas no dossel, entre folhas (na borda ou no interior da copa da árvore), entre folíolos (direito, central, esquerdo), regiões distal, mediano, e proximal bem como na margem, área central e próximo à nervura central dos folíolos, e a diferença entre pastagens em 10 árvores infestadas por área. O menor número de galhas esféricas/folíolo foi observado na pastagem 1 do que na pastagem 2. Mais galhas esféricas foram encontradas na face norte em pastagem 1, mas na pastagem 2, o menor número destas galhas foi observado nesta face (norte). O número médio de galhas esféricas não diferiu estatisticamente entre os folíolos de C. brasiliense na pastagem 2. Entretanto, na pastagem 1, foi observado maior número de galhas esféricas no folíolo central. Mais galhas esféricas foram encontradas na borda do que no interior da copa das árvores. O número médio de galhas esféricas não diferiu estatisticamente entre as regiões longitudinais dos folíolos de C. brasiliense. Entretanto, esse inseto galhador preferiu colonizar a margem dos folíolos à parte central ou próximo da nervura central dos folíolos.

Palavras-chave : Cerrado; distribuição de inseto; inseto galhador; pequi.

        · resumo em Inglês     · texto em Inglês     · Inglês ( pdf )

 

Creative Commons License Todo o conteúdo deste periódico, exceto onde está identificado, está licenciado sob uma Licença Creative Commons