SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.56 número131O ENS TERTIO ADIACENS DE GERARDO ODON E O REALISMO PROPOSICIONALTOMÁS DE AQUINO E A ESSÊNCIA ABSOLUTAMENTE CONSIDERADA índice de autoresíndice de materiabúsqueda de artículos
Home Pagelista alfabética de revistas  

Servicios Personalizados

Revista

Articulo

Indicadores

Links relacionados

Compartir


Kriterion: Revista de Filosofia

versión impresa ISSN 0100-512Xversión On-line ISSN 1981-5336

Resumen

HAMELIN, Guy. HABITUS E VIRTUDE EM PEDRO ABELARDO: UMA DUPLA HERANÇA. Kriterion [online]. 2015, vol.56, n.131, pp.75-94. ISSN 1981-5336.  http://dx.doi.org/10.1590/0100-512X2015n13105gh.

Pedro Abelardo apresenta na sua obra uma teoria da virtude de natureza, à primeira vista, aristotélica. Ao que parece, essa concepção também contém diferentes elementos estoicos, que não se opõem necessariamente à visão do Estagirita. Todavia, o essencial da interpretação da Escola do Pórtico acerca da virtude difere da explicação dada por Aristóteles. No presente estudo, pretendemos examinar, primeiro, a índole da virtude como habitus na obra de lógica de Abelardo. Nesse caso, não há dúvida de que predomina a influência aristotélica. Em seguida, indicamos outras particularidades da virtude encontradas, desta vez, em tratados éticos e teológicos do nosso protagonista, as quais se revelam antes de caráter estoico. Em suma, projetamos identificar as diferentes fontes antigas e os principais intermediários latinos usados por Abelardo para elaborar a sua própria teoria da virtude. Trata-se de deixar clara a influência filosófica dominante em Abelardo sobre essa questão da virtude, já que este lógico não pode harmonizar teses substancialmente inconciliáveis.

Palabras clave : Abelardo; Aristóteles; estoicismo; ética; virtude; habitus.

        · resumen en Inglés     · texto en Portugués     · Portugués ( pdf )