SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.40 número12Associação entre consumo de cafeína durante a gestação com baixo peso ao nascer e nascimento pré-termo na coorte de Ribeirão PretoRespostas eletrofisiológicas a diferentes isoformas de FSH em células humanas do cumulus oophorus: resultados preliminares índice de autoresíndice de assuntospesquisa de artigos
Home Pagelista alfabética de periódicos  

Serviços Personalizados

Journal

Artigo

Indicadores

Links relacionados

Compartilhar


Revista Brasileira de Ginecologia e Obstetrícia

versão impressa ISSN 0100-7203versão On-line ISSN 1806-9339

Resumo

SANDRIM, Valeria Cristina et al. Níveis circulantes de inibidor tecidual da metaloproteinase tipo-4 não são um preditor de preeclampsia no período entre 20 e 25 semanas de gestação. Rev. Bras. Ginecol. Obstet. [online]. 2018, vol.40, n.12, pp.757-762. ISSN 1806-9339.  https://doi.org/10.1055/s-0038-1676056.

Objetivo

Avaliar se o nível de inibidor tecidual de metaloproteinases tipo-4 (TIMP-4, na sigla em inglês) circulante no período entre 20 e 25 semanas de gestação é um preditor de preeclâmpsia.

Métodos

Foi realizado um estudo caso-controle aninhado em uma coorte de estudo prospectivo em Ribeirão Preto, São Paulo, Brasil. De 1.400 mulheres grávidas avaliadas entre 20 e 25 semanas de gestação, 460 tiveram parto em hospitais fora da nossa instituição. Das 940 gestantes que completaram o protocolo, 30 desenvolveram preeclâmpsia. Gestantes saudáveis (controles, n = 90) foram selecionadas aleatoriamente das 910 participantes restantes. A partir de amostras de sangue coletadas entre 20 e 25 semanas de gestação, foi realizada uma triagem de 55 proteínas relacionadas à angiogênese em 4 casos e 4 controles. A proteína TIMP-4 foi a mais diferentemente expressa entre os casos e os controles; portanto, medimos esta proteína em todos os casos (n = 30) e controles selecionados (n = 90).

Resultados

Não houve diferenças nos níveis plasmáticos de TIMP-4 nos casos em comparação com os controles (1.144 263 versus 1.160 362 pg/mL, respectivamente; p > 0,05).

Conclusão

Os níveis plasmáticos de TIMP-4 não foramalterados no período entre 20 e 25 semanas de gestação antes da manifestação dos sintomas clínicos; portanto, não são um bom preditor do desenvolvimento da preeclâmpsia.

Palavras-chave : preeclâmpsia; TIMP-4; TIMPs; MMPs; predição; biomarcadores circulantes; biomarcadores angiogênicos.

        · resumo em Inglês     · texto em Inglês     · Inglês ( pdf )