SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.24 número2O Mito da conversibilidadeO Desenvolvimento Econômico e a Retomada da Abordagem Clássica do Excedente índice de autoresíndice de assuntospesquisa de artigos
Home Pagelista alfabética de periódicos  

Serviços Personalizados

Journal

Artigo

Indicadores

Links relacionados

Compartilhar


Brazilian Journal of Political Economy

versão impressa ISSN 0101-3157versão On-line ISSN 1809-4538

Resumo

OREIRO, JOSÉ LUÍS; PAULA, LUIZ FERNANDO DE  e  SILVA, GUILHERME JONAS C. DA. Por uma Moeda Parcialmente Conversível: Uma Crítica a Arida e Bacha. Brazil. J. Polit. Econ. [online]. 2004, vol.24, n.2, pp.226-243.  Epub 15-Jun-2020. ISSN 1809-4538.  https://doi.org/10.1590/0101-31572004-1623.

O objetivo deste artigo é fazer uma avaliação crítica da hipótese de Arida-Bacha de que um prêmio de alto risco sobre a dívida externa e interna brasileira é consequência da conversibilidade limitada da conta de capital brasileira. Argumenta-se no presente trabalho que esta hipótese não é fundamentada nem em bases teóricas ou empíricas. A literatura teórica de conversibilidade da conta de capital não estabelece relação entre os controles de capital e o prêmio de risco sobre a dívida interna ou externa. A experiência recente da economia brasileira mostra que as taxas de juros reais ainda são muito altas, apesar da crescente liberalização da conta de capital. Testes econométricos envolvendo o prêmio de risco sobre a dívida externa brasileira e os índices de liberalização da conta de capital desenvolvidos por Cardoso e Goldfjan (1998) mostram que essas variáveis não cointegram. Assim, não é possível estabelecer a existência de uma relação de longo prazo entre a liberalização da conta de capital e o prêmio de risco, como seria de se esperar se a hipótese de Arida-Bacha estivesse correta.

Palavras-chave : Taxa de juros; prêmio de risco; conversibilidade do real; liberalização.

        · resumo em Inglês     · texto em Português     · Português ( pdf )