SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.22 número3Riqueza, abundância e sazonalidade de Sphingidae (Lepidoptera) num fragmento de Mata Atlântica de Pernambuco, BrasilClinodiplosis costai, uma nova espécie galhadora (Diptera, Cecidomyiidae) associada com Paullinia weinmanniaefolia Mart (Sapindaceae) índice de autoresíndice de assuntospesquisa de artigos
Home Pagelista alfabética de periódicos  

Serviços Personalizados

Journal

Artigo

Indicadores

Links relacionados

Compartilhar


Revista Brasileira de Zoologia

versão impressa ISSN 0101-8175

Resumo

LOEBMANN, Daniel  e  VIEIRA, João P.. Distribuição espacial e abundância das assembléias de peixes no Parque Nacional da Lagoa do Peixe, Rio Grande do Sul, Brasil. Rev. Bras. Zool. [online]. 2005, vol.22, n.3, pp.667-675. ISSN 0101-8175.  https://doi.org/10.1590/S0101-81752005000300023.

Este trabalho analisou a distribuição espacial e a abundância relativa da ictiofauna ao longo do gradiente salino do Parque Nacional da Lagoa do Peixe. Em função de apresentar uma barra intermitente, que permite a entrada de água salgada dentro de um sistema alimentado constantemente por água de baixa salinidade, proveniente de banhados e arroios, a Lagoa do Peixe apresentou uma ictiofauna composta de espécies límnicas, estuarino-relacionadas e marinhas. Baseado na composição específica da ictiofauna, a Lagoa pode ser compartimentada em quatro subsistemas: pré-límnico raso, pré-límnico profundo, estuarino raso e estuarino profundo. A variabilidade espacial na composição da ictiofauna revelou que existe uma mudança gradual na dominância das principais espécies, havendo uma substituição gradativa das espécies marinhas-estuarino relacionadas por peixes de água doce, e uma redução pronunciada nas abundâncias das espécies na zona rasa. A localização geográfica da barra, no centro da Lagoa, induz a uma divisão espacial ambiental atípica, quando comparados aos outros estuários do estado do Rio Grande do Sul, pois tanto para o Norte como para o Sul, há presença de uma zona pré-límnica. Este comportamento faz com que a Lagoa do Peixe apresente uma ictiofauna semelhante nos extremos Norte e Sul, separados por espécies estuarina e marinhas associadas às águas próximas a desembocadura central.

Palavras-chave : Estuário; Ictiofauna; unidade de conservação.

        · resumo em Inglês     · texto em Português     · Português ( pdf )

 

Creative Commons License Todo o conteúdo deste periódico, exceto onde está identificado, está licenciado sob uma Licença Creative Commons