SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.13 issue1Epiderm and leaf venation pattern of Lauraceae species author indexsubject indexarticles search
Home Pagealphabetic serial listing  

Services on Demand

Journal

Article

Indicators

Related links

Share


Acta Botanica Brasilica

Print version ISSN 0102-3306

Abstract

CASTELLANI, Tânia Tarabini; CAUS, César Antonio  and  VIEIRA, Silvana. Fenologia de uma comunidade de duna frontal no sul do Brasil. Acta Bot. Bras. [online]. 1999, vol.13, n.1, pp.99-113. ISSN 0102-3306.  https://doi.org/10.1590/S0102-33061999000100009.

Este estudo visou descrever os padrões fenológicos em uma comunidade de dunas costeiras em Santa Catarina (27ºS), avaliar suas relações a fatores climáticos e comparar estes padrões aos de comunidades situadas em outras latitudes na costa brasileira. O estudo foi realizado com espécies da duna frontal da Praia da Joaquina, Ilha de Santa Catarina, SC. Empregou-se um método com base em freqüência, calculando-se mensalmente a ocorrência das espécies e de suas fenofases (n=73 quadrados fixos de 1x1m). Ocorreram espécies florescendo e frutificando ao longo de todo o ano. como observado nas comunidades situadas a menores latitudes (SP: 24ºS e ES: 20ºS). O maior número de espécies em floração e frutificação ocorreu no período quente e super-úmido. De forma distinta ao que ocorre no extremo sul do Brasil (RS: 32ºS), observaram-se várias espécies em floração nos meses mais frios de inverno. Muitas destas, entretanto, com floração longa, mostraram redução em suas amplitudes de floração neste período. Isto pode sugerir certa limitação por temperaturas mais baixas e/ou refletir o déficit hídrico ocorrido neste período. Das 34 espécies monitoradas, 15 mostraram episódios de germinação, sendo estes mais freqüentes em meses de outono/inverno, com temperatura e umidade em declínio. A germinação no outono/inverno é discutida como estratégia utilizada pelas espécies de duna como forma de escapar das condições de maior temperatura e evapotranspiração no verão. Processos de rebrota foram registrados para 17 espécies, sendo também mais freqüentes no período do outono/inverno. Restrições de umidade com ocorrência de déficit hídrico afetam tanto os eventos de floração e frutificação, como os de germinação e brotamento.

Keywords : duna frontal; fenologia; floração; frutificação; germinação; sul do Brasil.

        · abstract in English     · text in Portuguese     · Portuguese ( pdf )

 

Creative Commons License All the contents of this journal, except where otherwise noted, is licensed under a Creative Commons Attribution License