SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.29 número2Padrão do sono em pacientes portadores de doença pulmonar obstrutiva crônica e correlação entre variáveis gasométricas, espirométricas e polissonográficasMortalidade por pneumoconioses nas macrorregiões do Brasil no período de 1979-1998 índice de autoresíndice de assuntospesquisa de artigos
Home Pagelista alfabética de periódicos  

Serviços Personalizados

Journal

Artigo

Indicadores

Links relacionados

Compartilhar


Jornal de Pneumologia

versão impressa ISSN 0102-3586versão On-line ISSN 1678-4642

Resumo

MUNIZ, Janaína Barbosa; PADOVANI, Carlos Roberto  e  GODOY, Irma. Inalantes no tratamento da asma: avaliação do domínio das técnicas de uso por pacientes, alunos de medicina e médicos residentes. J. Pneumologia [online]. 2003, vol.29, n.2, pp.75-81. ISSN 1678-4642.  http://dx.doi.org/10.1590/S0102-35862003000200006.

A asma resulta da combinação de três características essenciais: obstrução das vias aéreas, hiper-responsividade brônquica e inflamação. O uso dos inalantes com técnica inadequada tem sido apontado como um dos responsáveis pelo fracasso terapêutico. O objetivo deste estudo foi avaliar o domínio da técnica de uso das medicações inalatórias de 20 estudantes do 6º ano médico, 36 médicos residentes em Clínica Médica/Pediatria e de 40 pacientes. Os pacientes eram acompanhados no Ambulatório de Pneumologia do HC/Unesp e estavam em uso de medicação inalatória durante pelo menos seis meses. Os dispositivos avaliados foram: nebulímetros pressurizados (NEPS), nebulímetros com espaçadores (ESP) e inaladores de pó seco (IPS). A técnica foi observada e pontuada por examinador único, de acordo com protocolo apropriado. Os profissionais de saúde demonstraram a técnica com os três tipos de inalantes citados, enquanto os pacientes foram avaliados somente nos que faziam parte do seu tratamento. O NEP foi o dispositivo mais conhecido tanto por médicos quanto por pacientes. Para o NEP, os erros mais comuns, em todos os grupos estudados, foram os relacionados com a coordenação entre a inspiração e o acionamento do dispositivo. Para o IPS, foi a não realização da expiração máxima antes da inalação do medicamento. Foi observado que os pacientes apresentavam grande carência de informações precisas quanto ao uso dos dispositivos e que os profissionais desconheciam a técnica ou sentiam-se inseguros quanto à melhor forma de ensinar seus pacientes, optando, muitas vezes, por não orientá-los.

Palavras-chave : Asma; Administração por inalação; Técnicas; Estudantes de medicina; Médicos residentes.

        · resumo em Inglês     · texto em Inglês     · Inglês ( pdf )

 

Creative Commons License Todo o conteúdo deste periódico, exceto onde está identificado, está licenciado sob uma Licença Creative Commons