SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.30 issue1DIFFERENT PROTOCOLS OF POSTCONDITIONING DOES NOT ATTENUATE MESENTERIC ISCHEMIA-REPERFUSION INJURY AFTER SHORT-TERM REPERFUSIONANATOMIC VARIATIONS OF HEPATIC ARTERY: A STUDY IN 479 LIVER TRANSPLANTATIONS author indexsubject indexarticles search
Home Pagealphabetic serial listing  

Services on Demand

Journal

Article

Indicators

Related links

Share


ABCD. Arquivos Brasileiros de Cirurgia Digestiva (São Paulo)

Print version ISSN 0102-6720On-line version ISSN 2317-6326

Abstract

PEREIRA, Marina Alessandra et al. IDENTIFICAÇÃO DE CÉLULAS TUMORAIS OCULTAS EM LINFONODOS DE PACIENTES COM CÂNCER GÁSTRICO CLASSIFICADOS COMO PN0. ABCD, arq. bras. cir. dig. [online]. 2017, vol.30, n.1, pp.30-34. ISSN 2317-6326.  https://doi.org/10.1590/0102-6720201700010009.

Racional:

A presença de metástase em linfonodos é um dos indicadores prognósticos mais importantes no câncer gástrico. As micrometástases têm sido estudadas como fator prognóstico no câncer gástrico, sendo relacionadas à diminuição da sobrevida global e aumento do risco de recidiva da doença. Entretanto, sua identificação é limitada pela metodologia convencional, uma vez que podem não ser identificadas pela rotina histopatológica por meio da coloração de H&E.

Objetivo:

Investigar a presença de células tumorais ocultas através de imunoistoquimica utilizando as citoqueratinas (CK) AE1/AE3 em pacientes com câncer gástrico com linfonodos histologicamente classificados como negativos por H&E.

Métodos:

Quarenta pacientes (T1-T4N0) submetidos à gastrectomia potencialmente curativa com linfadenectomia D2 foram avaliados. A presença de metástases, micrometástases e células tumorais isoladas foram correlacionadas com características clínicopatológicas e impacto no estadiamento. Os depósitos tumorais nos linfonodos foram classificados de acordo com o sistema TNM (7º TNM).

Resultados:

Um total de 1439 linfonodos foi obtido (~36 por paciente). Células tumorais foram detectadas por imunoistoquimica em 24 linfonodos de 12 pacientes (30%). As células neoplásicas estavam presentes na forma isolada ou em cluster. Invasão tumoral (p=0,002), venosa (p=0,016), linfática (p=0,006) e perineural (p=0,04), assim como resposta linfocítica peritumoral (p=0,012) foram correlacionadas com linfonodos CK-positivos que originalmente eram negativos à H&E. Dois pacientes tiveram o estadiamento alterado, migrando do estádio IB para IIA. Quatro dos 28 CK-negativos (14,3%) e três dos 12 CK-positivos (25%) tiveram recorrência da doença (p=0,65).

Conclusão:

A imunoistoquimica é meio eficaz para a detecção de células tumorais ocultas em linfonodos, podendo ser recomendada para melhor determinar o estágio do tumor. Ela pode ser útil como técnica complementar à rotina de H&E, de modo a fornecer melhor estadiamento patológico.

Keywords : Câncer gástrico; Micrometástases; Metástase linfonodal; Imunoistoquímica..

        · abstract in English     · text in English | Portuguese     · English ( pdf ) | Portuguese ( pdf )