SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.32 issue1STAGES AND FACTORS OF THE “PERIOPERATIVE PROCESS”: POINTS IN COMMON WITH THE AERONAUTICAL INDUSTRYTOTAL OMENTECTOMY IN GASTRIC CANCER SURGERY: IS IT ALWAYS NECESSARY? author indexsubject indexarticles search
Home Pagealphabetic serial listing  

Services on Demand

Journal

Article

Indicators

Related links

Share


ABCD. Arquivos Brasileiros de Cirurgia Digestiva (São Paulo)

Print version ISSN 0102-6720On-line version ISSN 2317-6326

Abstract

TEIXEIRA, Uirá Fernandes et al. RECUPERAÇÃO OTIMIZADA (ERAS) APÓS CIRURGIA HEPÁTICA: ESTUDO COMPARATIVO DE UM CENTRO TERCIÁRIO BRASILEIRO. ABCD, arq. bras. cir. dig. [online]. 2019, vol.32, n.1, e1424.  Epub Feb 07, 2019. ISSN 2317-6326.  https://doi.org/10.1590/0102-672020180001e1424.

Racional:

Após a publicação das primeiras recomendações da Sociedade ERAS sobre a cirurgia do cólon, a proposta de redução do estresse cirúrgico, manutenção das funções fisiológicas e recuperação otimizada foi ampliada para outras especialidades cirúrgicas, com pequenas variações.

Objetivo:

Analisar a implementação dos protocolos ERAS para cirurgia hepática em um centro terciário.

Métodos:

Cinquenta pacientes submetidos à cirurgia hepática eletiva foram avaliados retrospectivamente, utilizando dados de prontuários, de junho de 2014 a agosto de 2016. Após setembro de 2016, 35 pacientes foram prospectivamente avaliados e manejados de acordo com o protocolo ERAS.

Resultados:

Não houve diferença de idade, tipos de hepatectomia, cirurgia laparoscópica e complicações pós-operatórias entre os grupos. No grupo ERAS, observou-se redução no jejum pré-operatório e no tempo de internação hospitalar de dois dias (p<0,001). A carga de carboidratos, a incisão em forma de J, a alimentação oral precoce, a prevenção pós-operatória de náuseas e vômitos e a mobilização precoce também foram significativamente relacionadas ao grupo ERAS. Preparo mecânico do cólon, medicação pré-anestésica, incisão subcostal, intubação nasogástrica profilática e drenagem abdominal foram mais comuns no grupo controle.

Conclusão:

A implementação do protocolo ERAS é viável e benéfica para instituições de saúde e pacientes, sem aumentar a morbidade e a mortalidade.

Keywords : Hepatectomi; Tempo de Internaçã; Recuperação da função fisiológic; Cuidados pós-operatórios.

        · abstract in English     · text in English | Portuguese     · English ( pdf ) | Portuguese ( pdf )