SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.25 issue1Methodological controversies in social psychology: reviewing postures in the fieldAgainst the "violence of the inexistence": critical psychology and human diversity author indexsubject indexarticles search
Home Pagealphabetic serial listing  

Services on Demand

Journal

Article

Indicators

Related links

Share


Psicologia & Sociedade

On-line version ISSN 1807-0310

Abstract

BATISTA, Mariana Klein; GRISCI, Carmem Ligia Iochins; GALLON, Shalimar  and  FIGUEIREDO, Marina Dantas de. Slow movement: trabalho e experimentação do tempo na vida líquido-moderna. Psicol. Soc. [online]. 2013, vol.25, n.1, pp.30-39. ISSN 1807-0310.  https://doi.org/10.1590/S0102-71822013000100005.

O presente artigo coloca em pauta uma reflexão cujo objetivo é discorrer sobre os modos de trabalhar e de viver na vida líquido-moderna. Para tanto, apresenta o Slow Movement como referência de análise. Divulgado como movimento mundial em prol da desaceleração, sua proposta difundiu-se e firmou-se ao acolher a sensação generalizada de esgotamento promovida pela vida líquida, conforme preconizada por Bauman (2007). Objetiva-se compreender se e como o Slow Movement possibilita uma outra experimentação do tempo, bem como se interpõe enquanto expressão da resistência aos atuais modos de trabalhar e de viver. A análise empreendida permite perceber que o Slow Movement, apesar de se apresentar como um modo de expressão da resistência frente à aceleração, mantém-se subordinado à ideologia gerencialista (Gaulejac, 2007) que caracteriza os atuais modos de trabalhar. Desse modo, o movimento contribui para apaziguar os sofrimentos psíquicos causados pela pressão do tempo, mas não para a sua revolução.

Keywords : tempo; aceleração; resistência; estilos de vida; trabalho.

        · abstract in English     · text in Portuguese     · Portuguese ( pdf )

 

Creative Commons License All the contents of this journal, except where otherwise noted, is licensed under a Creative Commons Attribution License