SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.33 número3Estimativa da Radiação Solar Global com Base em Observações de Temperatura para o Estado de Goiás índice de autoresíndice de assuntospesquisa de artigos
Home Pagelista alfabética de periódicos  

Serviços Personalizados

Journal

Artigo

Indicadores

Links relacionados

Compartilhar


Revista Brasileira de Meteorologia

versão impressa ISSN 0102-7786versão On-line ISSN 1982-4351

Resumo

GURSKI, Bruno César; JERSZURKI, Daniela  e  SOUZA, Jorge Luiz Moretti de. Métodos Alternativos de Evapotranspiração de Referência para Tipos Climáticos Brasileiros. Rev. bras. meteorol. [online]. 2018, vol.33, n.3, pp.567-578. ISSN 1982-4351.  https://doi.org/10.1590/0102-7786333015.

A escolha de métodos alternativos consistentes é essencial para a melhoria das estimativas da evapotranspiração de referência (ETo) em diferentes zonas climáticas. Devido ao desconhecimento dos métodos alternativos mais adequados para as condições climáticas paranaenses, teve-se por objetivo no presente trabalho testar e avaliar os principais métodos alternativos de estimativa da ETo (Thornthwaite - EToTH; Camargo - EToC; Hargreaves e Samani - EToHS; Linacre - EToL; and, Budyko - EToB) para os tipos climáticos subtropical (Cfb) e semi-árido (Bsh) no Brasil. As estimativas alternativas foram comparadas com a ETo estimada como o método de Penman-Monteith ASCE (EToPM) entre 1970 e 2015, a partir da temperatura máxima e mínima do ar (T), horas de brilho solar (n), umidade relativa média (UR) e velocidade do vento a dois metros de altura (U2). Análises de regressão linear simples entre a ETo estimada com os métodos alternativos vs EToPM para cada tipo climático analisado, foram utilizadas para a calibração dos métodos. O desempenho dos métodos calibrados e não calibrados foi obtido a partir do índice “d” de concordância, “c” de desempenho, raiz quadrada do erro médio (RMSE) e erro médio (EM). Os resultados demonstraram a importância da calibração dos métodos alternativos para a melhoria das estimativas nas condições climáticas brasileiras. Os melhores desempenhos foram observados para os métodos calibrados Hargreaves and Samani e Linacre para os tipos climáticos subtropical e semi-árido, respectivamente. Além disso, os métodos calibrados Linacre e Budyko mostraram-se particularmente robustos nos tipos climáticos subtropical e semi-árido, respectivamente, destacando a importância de medidas contínuas da variável T, utilizada na modelagem de EToL e EToB. Os resultados obtidos indicaram a necessidade da melhoria das estimativas alternativas da ETo, a partir da utilização de pequeno conjunto de variáveis disponíveis para os tipos climáticos subtropical e semi-árido no Brasil.

Palavras-chave : modelagem; Penman Monteith ASCE; semi-árido; zonas subtropicais.

        · resumo em Inglês     · texto em Inglês     · Inglês ( pdf )